terça-feira, 31 de março de 2020

Sobrenome Mascarenhas


"MASCARENHAS - Sobrenome português toponímico. Apresenta também a grafia arcaica: MAZCARENHAS. É uma das famílias ilustres e beneméritas do Reino. Procedem de Estevão Rodrigues de Mascarenhas, senhor da terra de Mascarenhas, que é o seu solar; no reinado de Dom Sancho I (1154-1211). Os Mascarenhas se destacam em todas as terras ocupadas ou povoadas pelos portugueses."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 03 de Setembro de 1993, pág. 02

Sobrenome Fragoso


"FRAGOSO - Toponímico. Lugar em que há muitas fragas, rochas ou penedos. Diz Mário Melo: 'Antiga família genovesa, procedente de um duque."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 11 de Dezembro de 1991, pág. 02

Sobrenome Casado


"CASADO - É um sobrenome toponímico de origem espanhola que é resultado de um corrupção fonética do termo original. Refere-se à Vila de Quesada, no antigo reino medieval ibérico de Córdoba. A vertente portuguesa procede de Lopo Dias de Quesada, cavaleiro de Castela, que prestou serviços a Dom Afonso VII e depois passou a Portugal."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 09 de Maio de 1991, pág. 03

José Rodrigues Missel


"Fallecimento

Hoje pela manhã, quando se encaminhava para o arsenal de guerra, onde havia longos annos occupava o lugar de mestre de corrieiro, o nosso co-religionario José Rodrigues Missel, atacado de uma angina do peito, caiu á rua do Arroio, canto do alludido arsenal.

Recolhido ao quarto do porteiro da repartição, onde foi promptamente soccorrido pelos drs. Oscar Noronha e Amadeu Masson, duas horas depois o velho operario exhalava o ultimo alento, deixando em extrema pobreza sua numerosa familia.

Missel era um dos mais antigos empregados do arsenal de guerra, para onde entrou no anno de 1836.

Apresentamos os nossos pezames a sua desolada familia."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 11 de Julho de 1891, pág. 01, col. 04

segunda-feira, 30 de março de 2020

Sobrenome Marroquín


"MARROQUÍN - Sobrenome espanhol toponímico. Diz-se que um dos primeiros que usaram este sobrenome foi Diogo Sanchez Marroquín, cujo pai ou tutor esteve no Reino de Marrocos, a serviço da Espanha. A vertente portuguesa usa a forma MARROQUIM."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 03 de Setembro de 1993, pág. 02

Sobrenome Fradique


"FRADIQUE - Forma dialetal espanhola e portuguesa para o primeiro nome masculino Frederico. É um patronímico."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 07 de Novembro de 1991, pág. 02

Sobrenome Caminha


"CAMINHA - Topônimo. Sobrenome de origem galega. Localidade do Distrito de Viana do Castelo, na província do Minho, em Portugal. Fundada provavelmente pelos celtas e de muralhas construídas pelos romanos. Foi cabeça de ducado, até 1641. Os Caminhas são galegos e é seu solar a vila de Caminha, junto do Rio Minho, de que foram senhores. O rei Dom Sancho II de Castela deu as armas a um cavaleiro deste apelido, de quem procedem, em memória daquele feito heróico (em Penafiel, Galícia) entrando com grande valor no castelo que estava pelos mouros e quebrando as trancas e aldravas de uma porta, a abriu aos cristãos, que entraram por ela e o ganharam. No tempo do rei Dom Fernando, os Caminha passaram a Portugal para o servirem na guerra contra o rei Dom Henrique, o Bastardo, Fernão Caminha e seus filhos.

Personalidades: Adolfo Ferreira Caminha, escritor brasileiro (1867-1897); Pero de Andrade Caminha, poeta português (1520-1589); Pero Vaz de Caminha, navegador português, filho de Vasco Fernandes de Caminha. Morreu na Índia, famoso por ter escrito uma carta, com data de 1o. de Maio de 1500, relatando o descobrimento do Brasil, a carta foi publicada pela primeira vez em 1817, pelo Pe. Aires do Casal, na Corografia Brasileira."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 19 de Novembro de 1990, pág. 03

Um milhão de gatinhos


"O seguinte annuncio figurava em um jornal americano:

'Precisa-se de um milhão de gatinhos, e paga-se cinco centesimos por cabeça. Não devem ter mais de 14 dias. Dirigir-se a...'

Este annuncio deu que parafusar a todos os reporters americanos. Atiraram-se em bandos á casa indicada e acharam o annunciante, negociante sério, ao que parece, rodeado de uns trinta gatinhos.

- É para um industrialista, de Brooklyn, que pedi gatos, disse o negociante. Esse industrialista inventou ha pouco, tirando patente, um quadro destinado a gravuras e télas que assemelham-se a todos os quadros; mas em cima das que elle inventou está collocado um gatinho empalhado, debruçado sobre o espelho e olhando para o quadro.

O industrialista teve algumas duvidas com o sr. Bergh, da sociedade protectora dos animaes; mas elle convenceu o homem que matava os gatos por um processo scientifico. O sr. Bergh acreditou-se e consentio em não intervir nos negocios do fabricante de quadros.

- Ao que parece, o quadro-gato agradou tanto ao publico, que não ha mãos a medir para executar todas as encommendas, e o industrialista offereceu agora 10 cents. por cabeça de gato (240 reis)."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 11 de Novembro de 1886, pág. 02, col. 01

domingo, 29 de março de 2020

Sobrenome Mazagão


"MAZAGÃO - Sobrenome português toponímico. Vem do árabe: 'má', água, e 'sukhun', quente. Mazagão é o nome de uma cidade fundada pelos portugueses na África, em 1502 e a que mantiveram em seu poder até 1769. Em 1770, Dom José I ordenou a transferência para o Brasil de suas 114 famílias."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 03 de Setembro de 1993, pág. 02

Sobrenome Frade


"FRADE - Primitivamente uma alcunha. Provém do latim 'frater', que significa 'irmão'. Documenta-se desde 1327. Os frades são religiosos de ordem mendicante. Tem o mesmo sentido de monge."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 07 de Novembro de 1991, pág. 02

Sobrenome Bragança


"BRAGANÇA - Toponímico. Do celta-latino 'Brigantia'. O étimo 'briga', em celta significa castelo, fortaleza. Em Portugal, Bragança é distrito na Província de Trás-os-Montes e Alto Douro e, ainda, cidade e concelho. Destaca-se nela o castelo feudal dos Braganças. A cidade foi construída por Júlio César. Devastada pelos mouros, chegou a ficar despovoada. Foi reconstruída por D. Fernão Mendes, cunhado de Dom Afonso Henriques. Mais uma vez arrasada, reergue-a El Rei D. Sancho I. No século XIII, torna-se residência dos Duques de Bragança. Foi chamada de Juliobriga, depois Brigância e ainda Benquerença. Nela, foi martirizado S. Arcádio, bispo, discípulo de São Tiago, em 04-05-60. Bragança também é cidade do Estado do Pará e em São Paulo temos Bragança Paulista.

É berço da dinastia dos Braganças, que subiu ao trono de Portugal em 1640, após sacudir o jugo castelhano. Reinou até 1910, quando foi proclamada a República. O chefe da casa de Bragança foi D. Afonso, oitavo conde de Barcelos e depois primeiro Duque de Bragança, 1442, filho bastardo de Dom João I, Rei de Portugal. Esta casa começou a reinar na pessoa de Dom João IV, oitavo duque de Bragança e filho de Teodósio II e de Ana de Velasco. Pertenceram à Casa de Bragança: D. João IV, 1640-1656; D. Afonso IV, 1656-1683; D. Pedro, 1683-1706; Dom João V, 1706-1750; D. José I, 1750-1777; D. Maria I e D. Pedro III, 1777-1792; D. João VI, 1792-1826; D. Pedro IV, 1826, o qual reinou antes no Brasil, 1822-1831, com o título de Dom Pedro I; D. Maria II, 1834-1853; D. Pedro V, 1853-1861; D. Luiz, 1861-1889; D. Carlos I, 1889-1908; D. Manuel II, 1908-1910.

Nosso Dom Pedro II era um Bragança também; Amélia de Orleans e Bragança, última Rainha de Portugal (1865-1951). Catarina de Bragança, esposa de Carlos II, da Inglaterra. D. Duarte de Bragança, irmão de D. João IV (1606-1649). Recordam-se: D. Fernando I, segundo Duque de Bragança; D. Fernando II, terceiro Duque de Bragança; D. Jaime de Bragança, quarto Duque de Bragança; a Duquesa de Bragança, segunda imperatriz do Brasil, D. Amélia Leuchtenberg. João Carlos de Bragança, patrono das Letras e das Artes, desafeto de Pombal, afastou-se do reino por 27 anos. Regressando, desempenhou numerosos e altos cargos. Tinha os títulos de Duque de Lafões, Marqueês de Arronches, Conde de Miranda e Senhor da Casa de Sousa. Seu nome completo era João Carlos de Bragança Souza Ligne Tavares Mascarenhas da Silva."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 30 de Setembro de 1990, pág. 03


Henrique Fortes de Barcellos


"Registro mortuario

Falleceu hoje o nosso co-religionario Henrique Fortes de Barcellos, filho do sr. Hilario José de Barcellos e sobrinho do senador dr. Ramiro Barcellos.

O distincto moço era empregado na casa commercial do sr. Sebastião de Barros e gosava de geral estima em nossa sociedade.

Pezames á familia do morto.

- O feretro sairá amanhã da casa mortuaria á rua do Menino Deus n. 23, ás 8 horas; as cerimonias da encommendação se realisarão ás 8 1/2, na Cathedral, havendo na praça Senador Florencio, ás 7 1/2 da manhã, carros á disposição das pessoas que queiram acompanhar o enterro."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 31 de Março de 1892, pág. 01, col. 04

sábado, 28 de março de 2020

Sobrenome Matoso


"MATOSO - Sobrenome português toponímico e metanímico. Inicialmente serve para denominar lugar 'que tem muito mato, coberto de mato, lugar de mato cerrado. O grande Leite de Vasconcelos afirma que foi alcunha inicialmente. Em 1552 encontra-se Pero Fernandes, o Matoso, assim alcunhado por causa de sua barba cerrada. Há a variante MATTOSO."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 03 de Setembro de 1993, pág. 02

Sobrenome Fortes


"FORTES ou FORTE - Sobrenome patronímico do nome masculino 'Forte' ou em sua versão medieval 'Fortis'. Normalmente era dado a um recém-nascido, com a esperança que o nome conferisse fortaleza ao seu portador.

Documenta-se desde o século X."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 07 de Novembro de 1991, pág. 02

Sobrenome Azambuja


"AZAMBUJA - Toponímico. Primitivamente foi alcunha. Também Azambujo, que botanicamente é oliveira brava, ramnácea (Ramnus lycioides). Variante: azambujeiro. Vem do árabe: 'az-zumbuj'.

É seu solar a vila de Azambuja, donde tomaram o apelido alguns dos descendentes de D. Rolim, e Childe Rolim, seu parente, fidalgos flamengos, que a povoaram em tempo de El-Rei Dom Afonso Henriques (1139-1185).

Azambuja é vila, sede de Concelho, comarca de Cartaxo, distrito e região de Lisboa, província de Ribatejo. Primeiramente chamou-se Vila Franca e foi povoada em 1147 por Dom Childe Rolim, quinto filho do Conde de Chester, descendente dos Reis da Inglaterra. Foi-lhes doada por D. Afonso Henriques como prêmio pelas façanhas praticadas na conquista de Lisboa aos mouros.

Personalidades: D. Antônio Rolim de Moura, Conde de Azambuja, nobre português (1709-1782); Darci Pereira de Azambuja, escritor e advogado brasileiro, nascido no Rio Grande do Sul, em 1903; Manuel Teodor de Araújo Azambuja, militar brasileiro (1780-1859)."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 15 de Julho de 1990, pág. 03

Industrial Bovina Bageense


"Lemos no Correio Mercantil, de Pelotas:

'Com o capital de 300 contos de réis, dividido em 1,500 acções de 200$000 cada uma, vae ser brevemente incorporada em Bagé, uma companhia, que, certamente, muito ha de contribuir para o desenvolvimento d'aquelle municipio.

A Industrial Bovina Bagéense, é este o titulo, terá sua séde na cidade de Bagé, e seus fins são:

Explorar a industria de xarqueada de gado vaccum e lanigero, beneficiando e exportando os seus productos; sendo o estabelecimento montado nos campos do sr. major Manoel Soares da Silva, marginados pelos arroios Quebraxo e Quebraxinho, por onde passa a linha da estrada de ferro.

O estabelecimento deverá ter a capacidade e o pessoal necessario para abater e beneficiar diariamente 300 rezes, e sua directoria tratará de obter da companhia Southern a construcção de um ramal da xarqueada á linha, para a conducção dos productos até a estação maritima do Rio Grande, onde serão embarcados.

Contam os incorporadores matar por anno quarenta mil rezes vaccuns e trinta mil lanigeras, sendo que estas serão espostejadas, posta a carne ao fumeiro, por um processo rapido e economico e assim enfardada para exportar.

Pelos calculos feitos deve se obter a renda liquida de 140:200$060 ou 46 3/4 %.

Em Bagé foi acceita com grande jubilo a idéa da formação d'essa companhia, tendo tambem a praça do Rio Grande promettido tomar regular numero de acções."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 07 de Julho de 1891, pág. 02, col. 02

sexta-feira, 27 de março de 2020

Sobrenome Matos


"MATOS - Sobrenome português toponímico. Os Matos são antigos e se acham no Reino de Portugal já no princípio de sua história política independente. Data-se antes de 1139. Também se escreve MATTOS."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 03 de Setembro de 1993, pág. 02

Sobrenome Foyos


"FOYOS - Sobrenome espanhol toponímico. São castelhanos e tomaram o apelido do lugar de Foyos, que é o seu solar. Na Batalha das Navas de Tolosa ganharam a insígnia da cavalaria de banda."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 07 de Novembro de 1991, pág. 02

Pelotas combate o cólera


"Medidas sanitarias

Em Pelotas, os srs. delegados da hygiene publica e de policia, presidente da camara municipal e provedor da Santa Casa de Misericordia, depois de uma reunião, na qual accordaram nas medidas a tomar contra a invasão da epidemia do cholera, resolveram o seguinte:

Alugar uma casa, com as commodidades necessarias, nos suburbios da cidade, afim de estabelecer-se um lazareto;

Que o serviço da limpeza publica seja feito pela manhã;

Que as agoas servidas sejam removidas á noite, mandando-se construir sargetas para a expedição facil das mesmas agoas;

Que se façam aterros em diversos pontos da cidade onde existirem focos de infecção;

Que se ponham em pratica as visitas domiciliarias, observando-se com rigor o regulamento respectivo;

Que se publique com brevidade o regulamento da hygiene;

Que se exerça a maior fiscalisação nos botequins, casa de pasto, etc., e casas de familia.

As autoridades de Pelotas offerecem ás da capital da provincia um bello exemplo de actividade e de dedicação pela causa publica.

Entre nós, pelas ruas, pelas praças, nas sargetas, nos canos de diversos quintaes, por toda a parte emfim existe um perigo.

A immundicia ali está patente aos olhos de todos, principalmente nos beccos, nos porões do centro da cidade, e ainda não se tomou a menor providencia.

As autoridades competentes não devem esperar que o mal appareça.

As medidas preventivas, na actualidade, são inadiaveis.

Depois da limpeza rigorosa em todas as ruas, devem ser postas em prativa as visitas domiciliarias.

Continúa a ser feito o despejo junto á cadêa e no Caminho Novo!..."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 10 de Novembro de 1886, pág. 01, col. 03

quinta-feira, 26 de março de 2020

Sobrenome Martins


"MARTINS - Sobrenome patronímico de Martim ou Martino. Provém do latim 'Martinici'. A Rainha Dona Catarina, governando este reino, na menoridade do rei Dom Sebastião, deu armas a Diogo Martinez, no ano de 1560."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 03 de Setembro de 1993, pág. 02

Sobrenome Forjaz


"FORJAZ - Sobrenome patronímico. 'Forjanici' provém de 'Froga' ou 'Frogia'. A raiz é germânica. Portugueses arcaicos: Frogazi, Frogaz, Frogiaz, Frojaz. Quanto ao seu significado supõe-se que seja 'senhor'."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 07 de Novembro de 1991, pág. 02

Sobrenome Chermont


"CHERMONT - De 'Cherchemont' - 'procura do monte'. A família deste sobrenome passou da França a Portugal no século XVIII para servir Dom João V. Um dos descendentes foi Teodósio Constantino de Chermont, que morou no Pará.

Justo Leite Chermont, advogado e político brasileiro, foi o primeiro governante do Pará republicano (1857-1926)."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 26 de Junho de 1991, pág. 02

Luiz Manoel Gomes Tavares


"Registro mortuario

(...)

N'esta capital falleceu ante-hontem e foi sepultado hontem o cidadão Luiz Manoel Gomes Tavares, empregado da administração geral dos correios.

O finado contava 84 annos de idade."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 23 de Março de 1892, pág. 01, col. 03

quarta-feira, 25 de março de 2020

Sobrenome Marques


"MARQUES - Sobrenome português patronímico. O mesmo que o equivalente em língua espanhola, MÁRQUEZ. Do nome latino 'Marcus', que significa 'pupilo de Marte'."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 03 de Setembro de 1993, pág. 02

Sobrenome Fontoura


"FONTOURA - Sobrenome toponímico. Deriva de 'Fonte Áurea', com a forma intermediária de FONTAURA. É nome de uma freguesia no Concelho de Valença, Viana do Castelo, em Portugal.

Os Fontoura, no Rio Grande do Sul, tem como um dos seus mais brilhantes representantes João Neves da Fontoura, o grande tributo."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 07 de Novembro de 1991, pág. 02

Sobrenome Carvoeiro


"CARVOEIRO - Sobrenome metanímico relacionado aos serviços referentes ao carvão: fabricar, transportar, vender, etc. Também é um toponímico, dado que várias freguesias em Portugal têm esse nome.

O solar primitivo da família ficava na freguesia do mesmo nome, próximo a Barcellos."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 09 de Maio de 1991, pág. 03

Odorico Brasilino do Amaral Lisboa


"Fallecimento

Em Rio Pardo falleceu, a 22 do corrente, o estimado joven 1o. cadete 2o. sargento do 28o. batalhão de infantaria, Odorico Brasilino do Amaral Lisboa, nosso co-religionario.

O lamentavel acontecimento occorreu logo após o passamento da exma. sra. d. Maria Carlota do Amaral Lisboa, mãi do inditoso cidadão.

Odorico contava cerca de 22 anos de idade, e a sua morte é muito lamentada na sociedade rio-pardense.

Por mais esse golpe que acaba de receber a familia Lisboa, damos-lhe, representando-a em o nosso co-religionario Adolpho do Amaral Lisboa, sentido pezames."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 27 de Junho de 1891, pág. 01, col. 05

terça-feira, 24 de março de 2020

Sobrenome Mariz


"MARIZ - Sobrenome português toponímico e patronímico. Vem do genitivo latino 'Marici'. Também é admitida a origem germânica do nome próprio 'Marigo', tendo como base o termo 'mala', isto é, 'o forte'. O nome medieval ibérico associado a este sobrenome como patronímico é 'Maralicus'."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 03 de Setembro de 1993, pág. 02

Sobrenome Fontinhas


"FONTINHAS - Sobrenome toponímico. Diminutivo de 'fontes'. É nome de uma freguesia no Concelho de Praia da Vitória, em Angra do Heroísmo, nos Açores."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 07 de Novembro de 1991, pág. 02

Sobrenome Camboim


"CAMBOIM - Sobrenome brasileiro de origem tupi, atestado desde o século XVIII. O mesmo que aroeira-vermelha (Myrciaria cuspidata). Também existem as formas CAMBUÍ e a arcaica CAMBUHY."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 19 de Novembro de 1990, pág. 03

Os mineiros belgas no século XIX


"Tratando das grévez na Belgica, do inquerito procedido pelas autoridades de Gand e Charleroi a proposito dos disturbios de que temos dado noticias, escrevam de Paris ao Seculo de Lisboa:

'Os mineiros são incontestavelmente os mais dignos de lastima. Ganham pouco, e o trabalho é arduo e pernicioso á saúde. São tambem elles que mais vexames supportam dos patrões e das companhias. Os mineiros pedem que as horas de trabalho sejam fixadas por lei, afim de que o director da mina não possa dizer-lhes como, já tem acontecido: 'Se lhes dou ordem de ficarem no fundo até á meia noite, hão de ficar'. Actualmente os mineiros trabalham debaixo da terra a média de 11 horas por dia, e alguns ha que descem ás 9 horas da manhã para subirem só ás 10 e 11 da noite!

E este trabalho é pago nas minas de Charleroi por 25 a 35 francos, por quinzena, isto é, 4$500 a 6$300. Os carregadores ganham 2 francos a 2,40 (360 a 420 réis) por dia; os ajudantes 1 franco 50 e 2 francos (270 a 360).

Um delegado em seu depoimento diz: 'Quando o carvão é menos resistente diminuem-nos o salario, sem nos prevenir; só sabemos da reducção no momento de receber a féria. Se pelo contrario, o carvão é mais duro não temos augmento por isso'. Outro operario conta que nas minas de carvão de Martinet fizeram trabalhar raparigas de 14 annos 24 horas seguidas, promettendo lhes salario dobrado, mas a promessa nunca foi cumprida.

Um mineiro narrou, com as lagrimas nos olhos, que lhe morrera um filho por desastre na mina, e tendo reclamado indemnisação á companhia, o processo dura ha quatro annos sem resultado. Se vai apresentar as suas queixas ao escriptorio da companhia, põem-no olho da rua!

É impossivel expôr aqui as innumeras queixas dos mineiros de Charleroi, quasi todas fundadas, e que nenhum homem de bem póde ouvir sem revolta da consciencia. Os directores das minas são interessados nos lucros da companhia; convêm-lhes, portanto, explorar o mais possivel o trabalho dos mineiros, esta nova chair-a-canon da industria moderna."

Fonte:  A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 28 de Outubro de 1886, pág. 01, col. 03

segunda-feira, 23 de março de 2020

Sobrenome Marins


"MARINS - Sobrenome português patronímico. Vem do nome próprio Marino. São formas intermediárias e variantes MARINEZ e MARINIZ."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 03 de Setembro de 1993, pág. 02

Sobrenome Fontes


"FONTES - Sobrenome toponímico. Corresponde ao espanhol FUENTES. No caso luso, é uma freguesia do Concelho de Santa Maria em Panaguião, Vila Real. Os Fontes deram grandes personalidades à História do Brasil e Portugal."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 07 de Novembro de 1991, pág. 02

Sobrenome Braga


"BRAGA - Toponímico. Primitivamente foi adjetivo, relativo a Bracara, que deu origem à denominação da cidade de Braga. O termo tem outros significados: calças curtas e largas; muro que servia de tranqueira nas fortificações antigas. Nome de cidade em Portugal, fundada pelos cartagineses. Tomada pelos suevos; depois, pelos muçulmanos.

Personalidades: Alberto Braga, escritor português (1851-1911); Antônio Francisco Braga, compositor brasileiro, com música aos Hinos da Proclamação da República e Bandeira; Caetano Braga, violoncelista e compositor italiano (1829-1907); Ernani Braga, compositor e pianista brasileiro (nascido em 1888); Gentil Homem de Almeida Braga, poeta, jornalista e advogado brasileiro (1835-1876); Guilherme Braga, poeta português (1843-1874); Leandro de Sousa Braga, entalhador e escultor português (1839-1897); Rubem Braga, príncipe dos cronistas brasileiros; Teodoro José da Silva Braga, pintor brasileiro (1872-1953); Teófilo Braga, escritor e erudito português (1843-1924)."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 30 de Setembro de 1990, pág. 03

Crime passional em Herval


"Assassinato

Da villa do Herval communicam ao Correio Mercantil, em data de 12:

'Hontem, 11, ás 8 horas da manhã, mais ou menos, a uma legua distante da villa do Herval, foi assassinado o subdito portuguez Antonio Pinheiro, pelo individuo Manoel Cisino da Silva.

Assassino e assassinado são casados, e perto ou diante mesmo da mulher de Pinheiro, com quem Cisino entretinha relações illicitas, ha muitos annos, e por quem já ha muito abandonou a propria mulher, foi o pobre Pinheiro mortalmente ferido com um balaço, que encontrou-lhe n'um olho e saiu-lhe na nuca, e outro na virilha, tambem mortal.

O subdelegado de policia, Amaro da Silveira Freitas, mandou sepultar no cemiterio da villa do Herval o infeliz assassinado, que era um cidadão morigerado e trabalhador, e fez conduzir detida para a mesma villa a malvada adultera, que, pela fórma por que pronunciou se diante do cadaver do marido, é certo participar do horroroso crime.

A propria mulher de Pinheiro declarou que Cisino matou-lhe o marido por esse bobo ter vindo d'onde não devia, alludindo á viagem que fez Pinheiro de Bagé para o Herval."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 22 de Março de 1892, pág. 02, col. 02

domingo, 22 de março de 2020

Sobrenome Marinho


"MARINHO - De 'marinus', isto é, do mar, marinho, marítimo. Uma das famílias Marinho procede da Galícia. O Conde Dom Pedro os deduz de Forfaz Marinho. É seu solar a Torre dos Marinhos, em terra de Valadares, junto da Galícia."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 03 de Setembro de 1993, pág. 02

Sobrenome Fontão


"FONTÃO - Sobrenome toponímico. É aumentativo de 'fonte'. Fontão, em Portugal, é freguesia do Concelho de Lima, em Viana do Castelo."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 07 de Novembro de 1991, pág. 02

Sobrenome Ávila


"ÁVILA - Sobrenome toponímico, de origem espanhola, também usado como nome. Ávila é uma cidade do século XI, sede da universidade homônima, que foi fundada durante o reinado dos Reis Católicos Fernando e Isabel. Existem as grafias Abyla, Abela e Ábila.

Personalidades: Afonso de Ávila foi militar e aventureiro espanhol (1485-1537); Antonio José de Ávila, Duque de Ávila, estadista português (1806-1881); Fernando Ávila, pintor e escultor espanhol (século XVI); Francisco de Paula Lobo de Ávila, militar português (1801-1887); Gil Gonzales Ávila, historiador de Castela (1577-1658); Sancho de Avila, general espanhol (1524-1579); Manuel Avila Camacho, político mexicano (1897-1955); Luiz de Ávila y Zuñiga, capitão e historiador espanhol (1500-1564)."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 15 de Julho de 1990, pág. 03

Joaquina Chaves Mantier


"Passamento

N'este instante acabamos de ter noticia do repentino fallecimento da exma. sra. d. Joaquina Chaves Mantier, irmã do inditoso dr. Nicolau Chaves.

Irmã amantissima, d. Joaquina Chaves succumbiu, recebendo a noticia da prematura morte do seu irmão!

Commove-nos sobremaneira o luctuoso facto: a distincta familia Chaves perde em pouco mais de um dia, dois dilectos membros!

D. Joaquina era muito considera-la na sociedade pelotense por suas qualidades verdadeiramente primorosas, realçadas por um trato amabilissimo. O seu repentino passamento attesta a grandeza de seu coração: morre pelo intenso amor que dedicava ao seu desditoso irmão!

É com o mais sympathico respeito, commovidos profundamente, que, registrando este bello exemplo de affeição fraternal, enviamos pezames sentidos á illustre familia da finada."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 26 de Junho de 1891, pág. 01, col. 02

sábado, 21 de março de 2020

Sobrenome Marcondes


"MARCONDES - Sobrenome português com origem italiana. Vem das formas originais MARICONDI ou MARCONTI.

Um membro desta família (da Itália), Dionisi Marcondi, emigrou para Portugal e, na Ilha de São Miguel dos Açores, casou-se com Dona Maria Vieira, de onde proveio o seu filho, Capitão Antônio Marcondes do Amaral. Este, vindo para o Brasil, domiciliou-se em Pindamonhangaba e aí casou-se iniciando, então, a geração da atual grande família Marcondes."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 03 de Setembro de 1993, pág. 02

Sobrenome Fontainha


"FONTAINHA - Toponímico. Provém do arcaico 'fontãa'. Significa 'pequena fonte'."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 07 de Novembro de 1991, pág. 02

Sobrenome Aguilar


"AGUILAR. - Sobrenome toponímico espanhol. Corresponde ao nosso Aguiar. Os Aguilar são procedentes da Andaluzia, notadamente de Córdoba. Foi personagem de maior evidência Dom Afonso de Aguilar, Senhor de Aguilar. Aguilar é uma comuna de Córdoba. Possui um castelo mourisco. Outros personagens importantes: Gaspar Honorato de Aguilar, escritor espanhol (1561-1623); Manuel Aguilar, estadista da América Central (1800-1846). Os Aguilar estão presentes em todas as nações povoadas pelos espanhóis."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 20 de Maio de 1990, pág. 03

Cena da escravidão em Pelotas


"Sob a epigraphe - Scena vergonhosa, o Rio Grandense de Pelotas, folha conservadora, dá a seguinte noticia:

'Ante-hontem (3), á tarde, percorreu algumas ruas da cidade, barbaramente manietado, um pobre preto, escoltado por dois individuos armados dos pés á cabeça.

A victima de semelhante acto de canibalismo, certa da horrivel sorte que a aguardava, por diversas vezes procurou livrar-se de seus verdugos, tentando escapar-se á vigilancia dos conductores.

Esta vergonhosa scena passou-se nas ruas mais publicas da cidade, em pleno dia!

Infelizmente, nenhuma das autoridades policiaes teve o conhecimento do facto senão depois de algumas horas.

É um facto horrivel, degradante e sobremodo attentatorio da nossa civilisação."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 09 de Outubro de 1886, pág. 01, col. 03

sexta-feira, 20 de março de 2020

Sobrenome Maravalhas


"MARAVALHAS - Sobrenome português, primitivamente alcunha. Designa os 'gravetos para acender o fogo; acendalhas'. Também pode ter se originado daquele que lida com maravalhas."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 27 de Agosto de 1993, pág. 02

Sobrenome Fonseca


"FONSECA - Toponímico, isto é, nome de lugar.

Os Fonseca vem de Garcia Rodrigues... o qual fez assento na Honra de Fonseca, que deu a seus descendentes o nome, sendo o primeiro que o tomou Mem Gonçalo da Fonseca, que fundou e dotou o mosteiro de Mancelos.

O étimo vem de Fonte Seca. Em catalão 'Fontseca'. 

Os Fonseca tem avultada presença na história do Brasil. Deram dois presidentes da República: o Marechal Deodoro, que a proclamou, e Hermes, seu sobrinho, nascido em São Gabriel, no Rio Grande do Sul."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 07 de Novembro de 1991, pág. 02

Sobrenome Chaves


"CHAVES - Sobrenome toponímico. Origina-se de 'Aquae Flaviae', no acusativo 'Aquas Flavias' - 'águas de Flávio'. O português arcaico sofreu o influxo de 'Chavas' e daí Chaves.

Um dos primeiros deste sobrenome foi Garcia Lopes de Chaves, que conquistou Chaves aos mouros em 1160. Outra família deste sobrenome teve início em Lourenço Pires de Chaves, talvez no tempo de Dom Afonso IV ou de seu filho (1325-1357). 

Chaves é cidade, sede de concelho e de comarca, Vila Real, Portugal, nas margens do Rio Tâmega. Do imperador Flávio Vespasiano Augusto (século I d.C.), recebeu o nome de Aquae Flaviae.

Personalidades: Adelino Fontoura Chaves, jornalista e poeta brasileiro (1859-1884); Ana Chaves, célebre pelas suas riquezas, foi contemporânea de Dom João III, deu seu nome a vários locais da Ilha de São Tomé; Baltasar Manuel de Chaves, médico português, deixou obras de caráter histórico; Francisco Afonso Chaves, naturalista português (1857-1926); Edu Chaves, pioneiro da aviação civil brasileira (1887); José Ferreira Chaves, pintor português (1838-1899)."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 26 de Junho de 1991, pág. 02

José Silveira Martins


"Registro mortuario

Victima de uma febre typhoide que o acommettera sabbado ultimo, cessou hontem de viver o estimado e operoso commerciante d'esta praça.

Apresentamos os nossos pezames á sua exma. familia."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 22 de Março de 1892, pág. 01, col. 03

quinta-feira, 19 de março de 2020

Sobrenome Manhõs


"MANHÕS - Sobrenome português. Provém do português arcaico 'manhos', que se origina do latim 'magnus' e significa 'grande'."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 27 de Agosto de 1993, pág. 02

Sobrenome Fogaça


"FOGAÇA - Primitivamente alcunha. Grande bolo, bolo ou presente que se oferece à capela ou igreja, em festas populares e que depois é vendido em leilão. Rapariga que conduz esse bolo em açafate ou tabuleiro. Antigamente: qualquer bolo para festa de batizado ou casamento.

Os Fogaça, em Portugal, estão presentes desde os tempos do rei Dom Fernando (1367-1383)."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 31 de Outubro de 1991, pág. 02

Sobrenome Carvalhosa


"CARVALHOSA - Toponímico. Lugar em que há muitos carvalhos. Refere-se também a uma freguesia do Concelho de Passos de Ferreira, Porto, Portugal."

Fonte: FOLHA DE HOJE (Caxias do Sul/RS), 09 de Maio de 1991, pág. 03
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...