quinta-feira, 9 de março de 2017

Significado e origem de sobrenomes alemães - Parte 57


866. Perleberg: sobrenome toponímico com duas relações possíveis:
1 - Designa o habitante ou procedente da cidade de Perleberg, no distrito de Prignitiz, Brandemburgo.
2 - Designa o habitante ou procedente do distrito de Perleberg, que fazia parte da cidade de Schwerin, Mecklemburgo-Pomerânia. Todavia, o distrito histórico de Perleberg existiu somente na época do Reino da Prússia.
A etimologia do nome Perleberg (segundo o Dicionário Virtual Onomástico Alemão) é resultado da junção de berg que significa montanha em alemão e de perle que corresponde no eslavo medieval a cabana de barro, casa de sapê.
O sobrenome concentra-se em Mecklemburgo-Pomerânia, norte de Brandemburgo e nordeste da Saxônia-Anhalt.
Variantes:
Perlberg - variante encontrada no noroeste de Saxônia-Anhalt e leste da Baixa Saxônia.
Perleberger, Perlberger - variantes derivadas comuns.

867. Treichel (1a. vertente): sobrenome patronímico que corresponde a uma germanização do antigo nome próprio masculino eslavo Dragil ou Dregil (cujo significado é dragão), por isso o significado seria filho de Dragil. Essa versão é sustentada pelo pesquisador Ferdinand Traichel.
Treichel (2a. vertente): sobrenome poligenético com origem no suíço-alemão que designa o sino-chocalho que é colocado em torno do pescoço de animais para que não se extraviem. Mormente, o vocábulo serve para designar o fabricante de sinos-chocalhos, dado haver alguns características específicas na produção deste tipo de objeto, pois, pelo que pudemos constatar, o metal usado é forjado de maneira que seja ao mesmo tempo resistente e o mais leve possível.
Treichel (3a. vertente): sobrenome toponímico referente à vila de Trzechel, distrito de Goleniow, município de Nowogard, Pomerânia Ocidental, Polônia.
As três vertentes são válidas e aceitas pela Genealogia Alemã. Quanto à distribuição, o sobrenome concentra-se fortemente em Mecklemburgo-Pomerânia, na Alemanha, e Pomerânia Ocidental, Polônia, embora de modo geral espalhe-se pelo norte da Alemanha. De acordo com Hans Bahlow, antes da 2a. Guerra Mundial, o sobrenome era muito comum nos territórios orientais do antigo Império Alemão.
No sul da Alemanha e na Suíça, Treichel tende a ser considerada uma variante de Trycheln - este sim o vocábulo original em suíço-alemão relacionado à 2a. vertente.
É um sobrenome recente em termos europeus, pois data aproximadamente do século XVII.
Variantes:
Trycheln, Tricheln, Treicheln, Treichlen, Treichl - variantes diretamente relacionadas à 2a. vertente, comuns em toda a região dos Alpes e sul da Alemanha. No cantão de Berna, Suíça, ocorre com muita abundância.
Trinkel, Trinkl, Trink - variantes mais comuns na Alemanha Central, porém relacionadas à 2a. vertente.
Dreichel, Traichel, Draichel - variantes relacionadas à 1a. vertente.
Trzechel - variante típica pomerana.

868. Krolow: sobrenome toponímico relacionado à vila de Krolewo, município de Postomino, distrito de Slawno, Pomerânia Ocidental, Polônia. Por isso, designa o habitante ou procedente de Krolow. No século XIII, é mencionado um nobre cavaleiro Friedricus de Krolow nos catálogos genealógicos do Sacro Império Romano-Germânico. O sobrenome é comum no norte da Alemanha e no norte da Polônia em iguais proporções.
O significado aproximado seria campo da cruz, campo da encruzilhada, campo do cruzamento.
Variante:
Krolowski - variante polaca comum.

869. Pollnow: sobrenome toponímico referente à cidade de Polanow, distrito de Koszalin, Pomerânia Ocidental, Polônia. Na época do Império Alemão, Polanow recebia a denominação germânica de Pollnow. Em cassúbio, Polanow recebe a denominação de Polanowo. O significado aproximado de Polanow ou Pollnow é campo, rincão do campo, área de campo arável
O sobrenome é tipicamente associado às etnias pomerana e cassúbia.
Variantes:
Polanow, Polanowski, Pollnowski, Polnow, Polnowski - variantes comuns.

870. Bonow: sobrenome toponímico referente à vila de Bonowo, distrito de Rawicz, município de Jutrosin, província da Grande Polônia, Polônia. Também pode se referir à vila de Bonowice, distrito de Zawierce, município de Szczekociny, Silésia, Polônia. O significado aproximado seria campo com árvores, floresta, bosque, área de silvicultura.
Aparentemente é um sobrenome tipicamente pomerano.
Variantes:
Bonowo, Bonowski, Bonowice, Bonowieski - variantes comuns.

871. Kneip (1a. vertente): sobrenome poligenético que significa faca. Todavia, etimologicamente se relaciona ao vocábulo do baixo-alemão kneif com o mesmo sentido, porém serve para designar um tipo de faca ou objeto cortante tipicamente usada por sapateiros na Idade Média. Por isso, o significado desta vertente corresponderia à profissão de sapateiro.
Kneip (2a. vertente): sobrenome poligenético de origem prussiana com origem no termo daquela língua knipawe que significa lugar de reembolsos, casa bancária. Nesta vertente, se a origem da família estiver relacionada ao leste do antigo Reino da Prússia, o significado do sobrenome corresponderia a cambista, banqueiro, pessoa de empréstimos, agiota.
Kneip (3a. vertente): sobrenome poligenético que significa bar, pub, taberna, casa de bebidas. Etimologicamente está vinculado ao verbo kneipen que significa beliscar, dar uma pitada. Neste sentido, se a origem da família estiver relacionada ao oeste, principalmente região do Reno e sul do antigo Sacro Império Romano-Germânico, o sobrenome serve para denominar o taberneiro, comerciante de bebidas.
O uso do sobrenome documenta-se desde o século XV. É encontrado em toda a Europa de língua alemã.
Variantes:
Kneib, Kneif, Kneibe, Kneife - variantes relacionadas à 1a. vertente.
Kneipp, Kneipe, Kneippe, Kneippen - variantes relacionadas à 3a. vertente.
Knip, Knipe - variantes imprecisas.
Kneipef - variante regional, mas comum em diversas regiões da Alemanha e Áustria, relacionada à 3a. vertente.
Beizf - variante relacionada à 3a. vertente, própria do dialeto alemânico.
Wirtshaus - variante relacionada à 3a. vertente, própria do dialeto bávaro.
Wirtschaft - variante relacionada à 3a. vertente, própria do dialeto francônio.
Beisel - variante relacionada à 3a. vertente, própria da Áustria.
Spunte, Spuntef - variantes relacionadas à 3a. vertente, próprias do suíço-alemão e da região do Tirol do Sul.

872. Dannenberg: sobrenome toponímico referente a Dannenberg - nome de lugar que se repete sete vezes na Alemanha, duas vezes na atual Rússia e uma vez na atual Polônia. Todavia, dois lugares merecem destaque especial como origem de linhagens distintas do sobrenome:
1 - Uma linhagem histórica da Baixa Saxônia, diretamente relacionada à cidade de Dannenberg e ao distrito de Lüchow-Dannenberg. O mais antigo registro desta linhagem remete a um cavaleiro chamado Helingerus Krieger Danne Berghe em 1190. Posteriormente, em 1282 aparece um cavaleiro ritter denominado Heinrich von Dannenberg, e finalmente ainda no século XIII aparece o Condado de Dannenberg.
2 - Uma linhagem tipicamente pomerana, diretamente relacionada à vila homônima, que existiu no antigo Reino da Prússia, onde atualmente se encontra o distrito de Wollin, Pomerânia Ocidental, Polônia.
O significado de Dannenberg é ambíguo, pois pode significar monte dos daneses (dinamarqueses) ou monte dos pinheiros, sendo assim o termo original Tannenberg.
O sobrenome está concentrado na metade norte da Alemanha, principalmente Baixa Saxônia, Saxônia-Anhalt e região de Berlim.
Variantes:
Dannenberger, Danenberg, Dannemberg, Danemberger - variantes comuns.
Tannenberg, Tannenberger, Tanenberg, Tanenberger - variantes mais antigas.

873. Hülsen: sobrenome que tanto pode ser poligenético quanto toponímico que significa mangas, vagens, cartucho, concha, luva, objeto alongado ou redondo em que se pode inserir ou guardar algo. De acordo com o site Neue Osnabrücker Zeitung, o sobrenome tem sua origem na antiquíssima profissão do construtor de azevinho, que remonta ainda à Alta Idade Média. Para que se compreenda, o azevinho europeu (Ilex aquifolium) é um tipo de árvore usada pelas populações germânicas assentadas na Europa Central durante a Idade Média como matéria-prima principal de telhados (folhas e galhos), cercas, paredes e como material de vedação no inverno. A relação do azevinho com o termo huls, do baixo alemão medieval teria dado a origem do sobrenome. Além disso, o azevinho é um dos símbolos do Natal na Europa germânica, relacionando-se com costumes pré-cristãos. A extração da madeira do azevinho na Europa Central foi tão intensa, que a espécie quase foi extinta no século XX e, em alguns países europeus, é proibido cortar e podar a árvore.
Em alguns casos, é possível que o sobrenome faça referência a alguém que mora num bosque de azevinhos, um lenhador de azevinhos ou ainda um nome de casa. 
Enquanto topônimo se refere a sete lugares na Alemanha.
O sobrenome data aproximadamente do século XIV e está fortemente concentrado no noroeste da Alemanha, em especial nas regiões de Hamburgo e Bremen.
Variantes:
Huelsen - variante comum.
Hülse, Huelse - variantes no singular da língua alemã.
Hülsmann, Huelsmann - variantes acrescidas do sufixo mann.
Hüls, Huels, Huls - variantes curtas encontradas nas regiões de Bremen e Schwerin.
Hulsius - variante latinizada encontrada nos Países Baixos. Data do século XVI.
Hilsen, Hilse - variantes encontradas na região do baixo alemão.
Hylse - variante na língua norueguesa.
Hylsa - variante na língua sueca.
Von Hülsen, Von Huelsen - variantes de uma família nobre da antiga nobreza prussiana.

874. Schwarzenegger: sobrenome toponímico que significa habitante ou procedente de Schwarzenegg. Schwarzenegg é a denominação para dois lugares na Europa Central: um município no cantão de Berna, Suíça; um lugar na região de Salzburg, Áustria. O significado de Schwarzenegg é montanha ou cume negro. O sobrenome concentra-se na Áustria.
Variante:
Schwarzenegg - variante simples.

875. Piske: sobrenome tipicamente pomerano que é uma adaptação do antigo termo prussiano pisa ou pissa que servia para denominar pântano sem fundo, onde normalmente crescem pequenos abetos e bétulas - isto é, um substantivo que descrevia um aspecto do relevo e vegetação da Europa Central e Europa Centro-Oriental. A forma polaca Pissarek tem a mesma etimologia e é bem frequente na Polônia.
O sobrenome Piske é encontrada com mais frequência na parte norte da Alemanha, mas surpreendentemente com concentrações importantes no centro (Turíngia) e sul (Baviera). Na Pomerânia Ocidental, Polônia, sua ocorrência é muito mais evidente, entretanto.
O mais antigo registro do sobrenome é de 1261.
Variantes:
Pissarek - forma polaca muito frequente.
Pissa - variante prussiana rara.
Pisz - variante encontrada no leste da Alemanha e Polônia.
Pieske - variante comum no norte da Alemanha.
Pissau - variante toponímica encontrada em Rössel.
Piss - variante arcaica.
Piselauk - variante encontrada na região de Soldau.
Pissdehlen - variante encontrada na região de Gumbinnen.
Pissanigen - variante encontrada na região de Lyck.
Piskorzenwen - variante rara encontrada na região de Lyck.







Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...