quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Significado e origem de sobrenomes alemães - Parte 33


526. Schüler: sobrenome poligenético que significa estudante, aluno. Provém etimologicamente do alto alemão medieval schuolaere/schüelaere derivado por sua vez do latim scholaris, todos com o mesmo sentido. Data do século XIII e ocorre principalmente na região de Berlim, Brandemburgo, Saxônia-Anhalt, Turíngia, Hesse e Renânia-Palatinado.
Variantes:
Schüller - variante comum em todas as regiões da Alemanha.
Schuler - variante mais comum no sul da Alemanha, Suíça e Áustria.
Schule - variante que significa literalmente escola.
Schuller - variante mais comum na Turíngia, Hesse e Baviera.
Schulleri, Schullerus - variantes arcaicas.
Schullehrer - variante que significa professor de escola.
Shuler - variante encontrada em imigrantes alemães dos Estados Unidos da América.
Schueller, Schueler - variantes no baixo alemão.
Pennal, Pennäler - formas que significam estudante secundarista.

527. Daniel: sobrenome poligenético que significa filho de Daniel. Daniel é um primeiro nome comum na língua alemã devido ao profeta bíblico homônimo. O sobrenome é comum a famílias judias e cristãs. Importa lembrar também que o nome é comum no Ocidente, possuindo a mesma grafia nas línguas inglesa, francesa, espanhola, portuguesa, húngara, sueca, dinamarquesa e em várias línguas eslavas e ibéricas. Por esta razão, cada linhagem de Daniel deve receber o devido estudo genealógico. 
Na Alemanha, o sobrenome ocorre em todas as regiões com uma leve concentração no sul e na região renana. Data do século XII.
Variantes:
Daniels - variante simples no plural.
Dani - variante em alguns dialetos meridionais da Alemanha e Suíça.
Dänn - variante no dialeto renano.
Dany - variante comum na Bélgica.
Danu - variante no suíço-alemão.
Daniël, Daan, Daneel - variantes nos Países Baixos.

528. Menke: sobrenome patronímico que significa filho de Meinhard. Meinhard é um primeiro nome da língua alemã mais comum na Idade Média que é derivado da aglutinação dos termos do alto alemão medieval megin (poder, força) e harti (duro, resistente). Menke é a forma comum do patronímico na língua frísia. O mais antigo registro é de 1306. Ocorre principalmente na Frísia Oriental, região de Hamburgo, Emsland, Cloppenburg e Osnabrück.
Variantes:
Meinecke - variante mais comum na Baixa Saxônia.
Meinicke - variante mais comum na Saxônia-Anhalt e região de Halle.
Mencke - variante mais comum na Turíngia e Saxônia.
Meinike - variante comum na Saxônia-Anhalt, Brandemburgo e Mecklemburgo-Pomerânia.
Mennicken - variante comum na Baixa Saxônia, região de Hamburgo, Saxônia-Anhalt e Brandemburgo.
Mennecken - variante do noroeste da Alemanha.
Menneke, Mennekes - variantes do noroeste da Alemanha e Países Baixos.
Meineck - variante encontrada no sul da Baixa Saxônia.
Meynecke - variante encontrada na Baixa Saxônia e oeste de Schleswig-Holstein.
Meinke - variante da região fronteiriça da Baixa Saxônia e Saxônia-Anhalt.
Menken, Menkens - variantes da Frísia Oriental e Países Baixos.
Meinken, Meenken, Mehnke, Meink, Meinck, Meincken - variantes concentradas no noroeste e norte da Alemanha e também com alguma ocorrência nos Países Baixos.
Menkel, Menikel - variantes derivadas que aparecem na região centro-norte da Alemanha.
Meinigke - variante encontrada no sul de Schleswig-Holstein.
Meiniko, Meniko - variantes arcaicas.

529. Mahnke: sobrenome que pode se comportar como patronímico ou poligenético. Tem as seguintes acepções:
1 - Pode ser uma patronímico dos nomes medievais Manngold, Maganhard ou do eslavo Manomir.
2 - Derivado do alto alemão medieval mank com relação ao termo eslavo mankut, ambos querendo dizer aleijado, manco ou ainda canhoto.
O sobrenome é típico do nordeste da Alemanha, principalmente em Mecklemburgo-Pomerânia e Brandemburgo, datando do século XV. Ocorre também na porção ocidental da Polônia e se estende até os países bálticos.
Variantes:
Mahncke - variante comum em Brandemburgo, Saxônia-Anhalt e Mecklemburgo-Pomerânia.
Mahninck - variante encontrada na região de Berlim.
Menko, Minko - variantes do leste europeu.
Manke - variante encontrada em Mecklemburgo-Pomerânia.
Mank, Mannke - variantes relacionadas ao norte e nordeste da Alemanha.
Manka - variante do leste da Alemanha e leste europeu.
Mancke - outra variante comum no nordeste da Alemanha.
Manko - variante polonesa.

530. David: sobrenome patronímico que significa filho de David. David é um primeiro nome na língua alemã, deveras popular no Ocidente, homônimo em muitas línguas europeias, devido ao rei bíblico de Israel. Enquanto sobrenome alemão ocorre em toda a Europa de língua alemã, mas principalmente na Renânia do Norte-Westfália, Schleswig-Holstein e região de Berlim. Data do século XII.
Variantes:
Davide, Davids - variantes no plural.
Davidi - variante patronímica própria da língua iídiche.
Davidis - variante encontrada na região renana.
Davida, Davina - variantes matronímica.

531. Klatt: sobrenome poligenético com quatro acepções possíveis:
1 - Segundo Hans Bahlow, derivado de um homônimo do baixo alemão medieval que significa cabelo "confuso", isto é, cabelo despenteado. Portanto, serve para designar um indivíduo com cabelo desgrenhado.
2 - Segundo Hans Georg Podehl, derivado do antigo prussiano klatte querendo dizer perdulário, gastador.
3 - Derivado do prussiano-lituano klaida que significa pessoa vagabunda, pessoa errante ou pessoa grosseira
4 - Derivado do polaco medieval klatka que significa agricultor, camponês.
O sobrenome é mais comum no norte da Alemanha e data aproximadamente do século XV.
Variantes:
Klatte, Klatti, Klate, Klati - variantes do nordeste e leste da Alemanha e Polônia.
Glatt - variante mais comum e típica do sul da Alemanha, Suíça e Áustria.
Glatte, Glatti, Glate, Glati, Glätte - variantes de Glatt.
Kleide, Klatta, Klatke, Klattke, Kletke, Klettke, Klatschus, Klattkewitz, Kledtke - variantes concentradas em Mecklemburgo-Pomerânia, Brandemburgo e região de Berlim, na Alemanha. Na Polônia, nas voivodias da Pomerânia Ocidental, Cujávia-Pomerânia, Baixa Silésia, Pomerânia e Wárnia-Masúria.

532. Fürst: sobrenome poligenético que significa príncipe, chefe principal, primeiro entre os varões. Provém etimologicamente do alto alemão antigo furisto. O termo relaciona ao inglês first (primeiro). No Sacro Império Romano-Germânico, a palavra era usada como expressão coletiva para designar os senhores feudais mais importantes das diversas regiões componentes desta entidade política. Isto incluía reis, príncipes governantes de principados, príncipes-eleitores, duques, marqueses, condes e arcebispos de influência notável. Em outras palavras, Fürst era a expressão literal para Alta Nobreza, Aristocracia
O título de Fürst enquanto título nobiliárquico específico só irá surgir em meados do século XIII e muitas vezes tinha caráter honorário do que realmente significasse o recebimento de uma área feudal. 
Compreende-se que o sobrenome origina-se como denominação para um servo ou vassalo direto de um Fürst, independente de sua ocupação profissional, indo desde o camponês da gleba até um alto cargo ministerial. Também pode ter sido usado figurativamente para denotar um indivíduo com modos principescos, afetados.
O sobrenome data do século XIV e ocorre principalmente em Baden-Württemberg, Baviera e Áustria.
Variantes:
Furst, Furstt, Fuerst, Furste - variantes comuns.
Vorst - variante na língua holandesa.
Fyrste - variante nas línguas dinamarquesa e norueguesa.
Fürste - variante na língua sueca.

533. Lampe: sobrenome que pode ser patronímico ou poligenético dependendo de sua origem específica. Enquanto patronímico é uma forma curta do popular primeiro nome alemão Lambert. Enquanto poligenético (metanímico) se refere à antiga profissão medieval de fabricantes de lamparinas. 
O sobrenome concentra-se na Baixa Saxônia, principalmente nas regiões de Emsland, Cloppenburg, Vechta e Hannover. Data do século XIV.
Variantes:
Lamping - variante comum na região de Münsterland.
Lamppe - variante comum.

534. Heckmann: sobrenome poligenético que significa homem que vive na parte de trás (de uma propriedade, de um lugar, de um domínio, de uma aldeia, de um burgo). Heck é um tipo de porteira de madeira que utiliza contrapesos, típica da cultura alemã.
O sobrenome ocorre principalmente no Hesse e norte de Baden-Württemberg. Data do século XV.
Variantes: 
Heckman - variante simples.
Hegmann - variante encontrada na região de Xanten, Renânia do Norte-Westfália.
Hegemann - variante da região renana e Palatinado.
Heck, Hecke, Hege, Hegge - variantes curtas.

535. Becher: sobrenome poligenético que significa fabricante de xícaras ou canecas. Becher quer dizer literalmente caneca no alemão moderno. Etimologicamente provém do alto alemão medieval behhari, derivado por sua vez do latim bicarium. Na Idade Média, o Becher era obrigatoriamente de cerâmica, sendo o artesão encarregado de sua fabricação não utilizar como matéria-prima jamais o vidro.
O sobrenome ocorre com mais frequência no sul da Alemanha e data do século XIV.
Variantes:
Becharius - variante latinizada arcaica.
Bekerere - variante arcaica.
Bächer - variante relacionada, comum na Suíça.
Bechrer - variante encontrada na região renana.
Bechere - variante do centro-sul da Alemanha.
Beker - variante na língua holandesa.

536. Keck: sobrenome poligenético que significa desenvolto, impávido, vivaz, animado, empolgado. Designa um tipo de comportamento pessoal. Data do século XIII e ocorre em toda a Alemanha.
Variantes:
Kekk, Kecke, Kekke - variantes do norte da Alemanha.
Chekk - variante arcaica encontrada na Áustria.

537. Mühlbauer: sobrenome poligenético que significa agricultor do moinho ou numa acepção mais precisa agricultor que possui um moinho, no sentido que não tinha que submeter sua produção de grãos a outro moleiro ou a um moinho de um senhor feudal. O sobrenome ocorre fortemente no leste da Baviera e data da Idade Moderna.
Variantes:
Muhlbauer, Muehlbauer, Muelbauer, Mulbauer - variantes comuns.

538. Schauer: sobrenome poligenético com diferentes acepções possíveis. Literalmente quer dizer chuveiro, chuva ou nublado. Eis as hipóteses:
1 - Segundo o site Genealogie Familie Beham o sobrenome deriva do alto alemão medieval schouwaere e corresponderia a ocupação de fiscal público de obras e construções na Idade Média.
2 - Pode ser um vocábulo para estivador no norte da Alemanha.
3 - Pode ser um responsável por um celeiro, caso do noroeste da Alemanha.
4 - Pode ser um sobrenome derivado do contexto militar, no sentido de um guerreiro que provoca arrepios ou horror em seus adversários.
5 - Em algumas regiões da Alemanha, pode também designar o fiscal de grãos ou carnes de um distrito.
O que fica mais ou menos evidente é que o sobrenome, conforme os itens 1 e 5, faz induzir que sua origem é relacionada a uma função fiscalizadora, supervisora. Faltam dados mais precisos na literatura genealógica a respeito deste sobrenome. Outros estudos podem esclarecer a questão.

539. Rühl: sobrenome patronímico que significa filho de Rudolf ou ainda filho de Rüdiger. O sobrenome é uma variante curta típica do Hesse e das regiões de dialeto alemânico. O sobrenome data do século XIII e concentra-se justamente no sudoeste da Alemanha.
Variantes:
Riehl - variante comum no centro do Hesse e no centro-oeste da Baviera.
Riel - variante comum no centro-oeste da Baviera.
Rihl - variante do sul da Baviera.
Rull - variante do centro-sul do Hesse, Renânia-Palatinado e Baden-Württemberg.
Rühle - variante encontrada na Baviera e Baden-Württemberg.
Ruel - variante do sudoeste da Alemanha e região renana.
Rheil, Rill, Ryll, Rylle, Rile - variantes do sul e sudoeste da Alemanha.
Rihel - variante encontrada em Estrasburgo.
Riehlen - variante encontrada na Basileia.
Riehen - variante suíça.
Ruehl, Ruel, Ruhl - variantes simples.

540. Eckstein: sobrenome poligenético que significa pedra do canto ou pedra angular. Nos edifícios alemães medievais construídos com pedra natural, os cantos eram ornamentados com pedras maiores, decoradas com motivos artísticos ou portando o nome do mestre arquiteto responsável. Compreende-se que o sobrenome designa arquitetos ou pedreiros envolvidos neste tipo de construção. De todo modo, pode também ser um sobrenome com conotação religiosa, aplicável tanto a famílias judias quanto cristãs, aludindo ao Salmo 118. O sobrenome data do século XIII e está relacionado geograficamente ao leste da Alemanha.
Variantes:
Ekstein - variante comum na Áustria.
Eggstein, Eggestein - variantes relacionadas ao sul da Alemanha, principalmente Baviera.
Eckenstein - variante comum na Suíça, Áustria, Hesse, Renânia-Palatinado e Baden-Württemberg.
Ecklestein - variante toponímica originária da Francônia.










terça-feira, 29 de dezembro de 2015

O Causo da "Seca"

Trecho extraído de: PINHEIRO, Luiz Carlos Marques. A Pelotas que vivi. Edição independente, 2013, p. 197-198.


"Conta um motorista da UFPel que num dos verões mais quentes e secos já vividos em Pelotas, num dia em que o sol estava de rachar mamona, um casal esperava o ônibus no olho do sol, ao longo da estrada entre o Campus Capão do Leão e a cidade.
Condoído, ele deu carona ao casal. Pra puxar conversa, perguntou ele ao marido:
- E essa seca? Diz o homem:
- Pois é! Não sei o que tem esta mulher. Estou levando ela pra uma consulta na cidade!!!..."

domingo, 27 de dezembro de 2015

Significado e origem de sobrenomes alemães - Parte 32


511. Brockmann: sobrenome poligenético que significa aproximadamente habitante de um pântano, habitante de um lugar de baixa altitude, habitante de uma planície alagada. Provém etimologicamente do alto alemão medieval broek que tem o significado de lugar baixo, lugar alagado. O sobrenome é mais comum na Alemanha em Steinfurt, Hamburgo, região de Hannover, Soltau-Fallingbostel, Hameln-Pyrmont, Coesfeld, Bremen, Rottenburg-Wümme e Cuxhaven. Data do século XV.
Variantes:
Brockman - variante comum.
Bruckmann, Bruckman - variantes do alto alemão.
Brock - variante curta comum no noroeste da Alemanha. Também ocorre como toponímico.
Brockhaus - variante que significa casa sobre o pântano.
Broc - variante suíça.

512. Schön: sobrenome poligenético que significa bonito, belo, lindo. Pode se referir a uma característica física ou um lugar de procedência que possui esta qualidade. O sobrenome data do século XIV e ocorre principalmente na Baviera, região de Berlim, Hesse e Sarre.
Variantes:
Schoen - variante simples, comum no norte da Alemanha e região de Berlim.
Schöne, Schoene - variantes no feminino e no superlativo da língua alemã. Comuns no leste da Alemanha, principalmente Saxônia, Saxônia-Anhalt e Brandemburgo.
Schonert, Schoenert, Schoener - variantes derivadas.
Schöner - variante mais comum na Francônia e Suábia.

513. Trapp (1a. vertente): sobrenome poligenético que significa serra íngreme, serra áspera. Etimologicamente provém do sueco trappa que significa escadas. O sobrenome denominaria o habitante deste tipo de relevo.
Trapp (2a. vertente): sobrenome poligenético que significa simplório, bobo. Provém do alto alemão medieval trappe. O termo serve para designar um tipo de ave europeia chamada abetarda (Otis tarda). A comparação com a ave era usada figurativamente na Idade Média para designar pessoas bobas, simplórias.
O sobrenome e suas variantes são na maioria comuns no sul da Alemanha, Áustria e Suíça.
Variantes:
Trap, Drab, Trappe, Trappen, Drabb, Trab, Trabb, Drabbe, Trabbe, Treppe - variantes relacionadas.

514. Rössler: sobrenome poligenético que significa criador de cavalos. Provém etimologicamente do alto alemão medieval oriental ross que significa cavalo acrescentado do sufixo -lin que denota ocupação.  O mais antigo registro do sobrenome é de 1340 e ele se concentra principalmente na Saxônia e Saxônia-Anhalt.
Variantes:
Roessler - variante comum no Hesse, Baden-Württemberg, Baviera e Áustria.
Rösler - variante do leste e nordeste da Alemanha.
Roesler - variante comum na Renânia do Norte, Hesse, Turíngia e Baixa Saxônia.
Roseler, Roeseler - variantes derivadas, comuns no centro e leste da Alemanha.

515. Stark: sobrenome poligenético que significa forte. Provém etimologicamente do alto alemão medieval starke com o mesmo sentido. Data do século XIII e é bem comum no sul da Alemanha, concentrando-se em Baden-Württemberg e Baviera, atingindo a Saxônia, mas corrente em todo país.
Variantes:
Starke - variante muito comum, com leve concentração no norte e no Lausitz.
Starch - variante encontrada em Villingen.
Starker - variante da Silésia.
Starko - variante arcaica que também corresponde a um primeiro nome comum na Idade Média.
Starek - variante no leste europeu.
Starkhand, Starkfried, Starcher, Starkolf - variantes compostas típicas da Baviera.
Sterk - variante comum na região de Allgäu.
Fortis - variante latinizada documentada em Stettin, Mecklemburgo-Pomerânia.
Starce - variante encontrada em Dirmstein, Palatinado.
Sterken - variante da Baviera, que também designa um tipo de bebida alcoólica da região.
Sterke - variante do sul da Alemanha, mas que também pode ter o significado de criador de novilhas.
Störkle, Stoerkle - variantes do sul da Alemanha.
Störchli - variante encontrada em Ravensburg.
Storglin - variante encontrada em Freiburg.
Sterchle - variante encontrada em Tübingen.
Stercklin - variante do centro-sul da Alemanha.
Starck, Starcke - variantes bem distribuídas, mas com leve concentração no centro e norte da Alemanha.
Stercke - variante encontrada em Berlim.
Sterkl, Sterks - variantes da Saxônia e sul da Alemanha.

516. Baumeister: sobrenome poligenético que significa aproximadamente mestre-de-obras, arquiteto ou mestre-construtor. Provém etimologicamente do alto alemão medieval bürmeister. O sentido precisa ser verificado pois ele é amplo no contexto medieval. Não somente denominava o mestre em construção civil, porém também poderia ser aplicado a outros profissionais como carpinteiros, estucadores, canteiros, armadores metálicos, serralheiros, etc.  Baumeister antes de ser uma ocupação profissional era um título dado a um artesão da construção civil que era capaz de planejar e administrar uma obra ou uma parte da obra. Para tanto, importava também o aspecto de autenticidade conferido à construção, as inovações técnicas e o refinamento artístico dado.
Só que o significado de Baumeister não se esgota somente no enunciado acima. Baumeister em algumas regiões equivalia a um cargo jurídico responsável pela fiscalização de construções rurais e dos contratos de arrendamento agrícola. Em outros casos, Baumeister correspondia a um superintendente das construções de um distrito urbano ou rural.
De todo modo, Baumeister pode ser entendido de forma genérica (jamais estrita) como arquiteto
O sobrenome data do século XV e ocorre principalmente na Renânia do Norte-Westfália, Baden-Württemberg e Baviera.
Variantes:
Bürmeister, Buermeister, Bumaister - variantes arcaicas.
Buwemeister, Bawmeister - variantes arcaicas da Renânia do Norte.
Burmester - variante encontrada em Altenberge.
Dombaumeister - variante que significa arquiteto de igreja.
Münsterbaumeister - variante que significa arquiteto de catedral ou abadia.
Zwingerbaumeister - variante que significa arquiteto-paisagista (aproximadamente) no sentido de um arquiteto responsável por grandes construções e que também se encarregava dos jardins e arredores do edifício.
Hofbaumeister - variante que significa arquiteto da corte ( de um príncipe, de um nobre).
Stadtbaumeister - variante que significa arquiteto da cidade, podendo também corresponder a um cargo de fiscalização da construção civil de uma cidade ou burgo.
Landbaumeister - variante que significa arquiteto de uma região, de uma terra, podendo ter também conforme a variante anterior um aspecto fiscal.
Marktbaumeister - variante que significa arquiteto do mercado.
Regierungbaumeister - variante que significa arquiteto do governo (de uma cidade, de um distrito, de uma província, etc.).
Bauhaus - variante que significa construtor de casa.
Budowniczy - variante na língua polonesa.

517. Veit: sobrenome patronímico que significa filho de Veit. Veit(Vito ou Guido em português) é um primeiro nome comum na língua alemã derivado etimologicamente do nome latino Vitus que significa vivente, cheio de vida. Podendo igualmente também derivar do alto alemão antigo vidu que quer dizer madeira, árvore. 
A popularização do nome durante a Idade Média se deve a um santo cristão mártir romano homônimo que viveu entre os séculos III e IV. Particularmente, em terras germânicas, sua devoção é enorme na Francônia.
O uso do sobrenome é documentado mais tarde que a maioria dos sobrenomes alemães: somente no século XV. Mas este fato não significa que não houvesse talvez pessoas com o patronímico anteriormente. O sobrenome espalha-se por toda a Alemanha, mas é típico do sul, com leve concentração em Baden-Württemberg.
Feyth - variante arcaica da região da Francônia.
Feit - variante típica da Baviera, Baden-Württemberg, Áustria e República Tcheca.
Feith - variante mais comum na Renânia do Norte-Westfália, região de Hamburgo e Países Baixos.
Feid - variante encontrada na região de Viena, Áustria.
Fait - variante que ocorre no cantão de Ticino, Suíça, e na língua occitana.
Fajt - variante comum à República Tcheca e Eslováquia.
Faido - variante encontrada em alguns cantões centrais da Suíça.
Witta - variante no dialeto do Hesse.
Veith - variante muita ampla, podendo as linhagens apresentarem raízes semânticas diferentes nas diversas regiões e dialetos. Ocorre desde a Boêmia até os Países Baixos e em diversas regiões alemãs e austríacas.
Veidt - variante encontrada no norte da Alemanha, mas que também possui alguma concentração na Renânia do Norte-Westfália e Renânia-Palatinado.
Vithus - variante na língua dinamarquesa.
Wit - variante na língua polonesa.
Vit, Vitek - variantes na língua tcheca.
Vid, Videm - variantes na língua eslovena.
Vida - variante na língua húngara.
Viit - variante arcaica da Baviera.

518. Sachs: sobrenome toponímico que significa saxãohabitante ou procedente da Saxônia. A Saxônia é um estado da República Federal da Alemanha situado a leste do país cuja capital é Dresden. Entretanto, a Saxônia historicamente foi um reino e anteriormente um ducado com diversas divisões e anexações em seu território, por isso o termo possui um abrangência maior que a correspondente ao atual limite do estado federado. O sobrenome certamente também alude à tribo dos saxões que, além de ser o povo relacionado aos estados da Saxônia, Saxônia-Anhalt e Baixa Saxônia, espalhou-se e ocupou diversas outras áreas da Europa.
O sobrenome data do século XIII e ocorre principalmente na região de Berlim, Turíngia, Hesse e norte da Baviera.
Variantes:
Sachse - variante no genitivo da língua alemã, entretanto significa literalmente eixo na língua alemã moderna.
Sachsen - variante que significa literalmente Saxônia.
Saks - variante pouco encontrada na Alemanha, mais comum nos Países Baixos, Estados Unidos da América, Polônia e nos países bálticos. Compreende-se que é uma aliteração linguística. Pode ser igualmente uma variante reduzida de Zacharias.
Sacks - variante mais comum na língua inglesa e nos Países Baixos.
Saggs, Saggs - variante que aparece na língua bávara e também na língua inglesa, mas em cada idioma possui raiz semântica diferente.
Sax - variante muito abrangente que também é reconhecida como outra forma de aliteração linguística. Ocorre na Bélgica, Países Baixos, Grã-Bretanha, noroeste da Alemanha, Hungria e Eslovênia.
Saxe - variante própria da região da Saxônia.
Saxonius - variante latina surgida no século XVI.
Sasse, Sass - variantes do norte da Alemanha.
Saxinger - variante encontrada em Laiflitz e Neumais. 
Sach - variante curta. Em alguns casos, relacionada a famílias judias.
Sas - variante da República Tcheca.
Sassmann - variante de famílias judias do leste europeu e Alemanha. Também pode ser apenas uma variante regional no leste europeu sem relação estrita com famílias judias.
Sasin, Sassin, Sasinek, Sasa, Sassa, Sasse, Sasko, Saslik - variantes relacionadas que aparecem em diversas regiões da Europa Ocidental e Central.

519. Bartel: sobrenome que primeiramente é reconhecido como uma variante derivada do patronímico Barth que por sua vez é uma forma curta de Bartholomäus (Bartolomeu em português). Porém, Bartel designa os barbilhos - "bigodes" - de peixes como o bagre, o barbo e o peixe-gato. Por isso, Bartel pode ser um sobrenome que designa pescadores de peixes de barbilhos ou figurativamente pessoas que tem bigode ou barba irregulares, ralas. 
O sobrenome ocorre em Mecklemburgo-Pomerânia, Brandemburgo, região de Berlim, norte da Saxônia-Anhalt, nordeste da Baixa Saxônia e Hesse. Data do século XIV.
Variantes:
Bartell, Barthel, Bartl, Bartle - variantes associadas a Bartel.

520. Seemann: sobrenome poligenético que significa marinheiro, homem do mar. Provém etimologicamente dos termos do alto alemão antigo seo (lago, mar) e mann (homem). O sobrenome data do século XIII e ocorre principalmente no norte da Alemanha, contudo sem deixar de possuir grande representatividade em todo o país.
Variantes:
Seefahrer - forma com o mesmo significado.
Seman - variante arcaica, porém comum. Também é típica da República Tcheca.
Saeman - variante do norte e nordeste da Alemanha.
Zeman, Zemann - variantes próprias do sul da Alemanha, Áustria e República Tcheca.
Seeleute - variante no plural.
Zeemann, Zeeman - variantes dos Países Baixos.
Matrose - forma que significa marinheiro da marinha mercante. Variantes: Matroos (língua holandesa), Matelot (língua francesa).

521. Orth: sobrenome poligenético que significa aquele que vive na periferia (de um burgo, aldeia, vila, cidade, etc.). Provém etimologicamente do termo do alto alemão medieval ort (fim, ângulo, canto, ponta) com o sentido de extremidade de um lugar. No sul da Alemanha e na Áustria, ort significa tanto periferia quanto simplesmente lugar, banda, região.
Atualmente, o sobrenome se concentra na Renânia-Palatinado, Hesse e Renânia do Norte-Westfália. Data do século XIV.
Variantes:
Ort - variante simples e comum, mas hodiernamente significa lugar em alemão.
Orths, Orts - variantes relacionadas.
Ohrt - variante encontrada na Suíça e no norte da Alemanha.
Orth (toponímico) - corresponde a três lugares na Alemanha e um na Polônia.

522. Süss ou Süß: sobrenome poligenético que significa doce, agradável, charmoso, simpático, gentil, suave, amável. Pode possuir também o sentido hipocorístico de bonitinho, gracinha, fofinho, coisa amada carinhosamente. É um sobrenome bastante relacionado a famílias judias, mas não de modo estrito, existindo linhagens autenticamente cristãs com este sobrenome. Evidentemente vincula-se a uma característica comportamental.
Provém etimologicamente do alto alemão medieval sus com idêntica correspondência. Data do século XIII. Ocorre em toda a Europa de língua alemã.
Variantes:
Suss - variante comum no oeste e norte da Alemanha.
Seuss, Seus - variantes típicas da Francônia e Baviera.
Süsse, Suesse - variantes relacionadas.
Zoet - variante na língua holandesa.
Siess - variante da região do Sarre.
Slodki - variante na língua polonesa.
Sladky - variante na língua tcheca.
Goldig - forma própria na língua suábia.
Suess, Sues - variantes comuns.

523. Loos: sobrenome poligenético com três acepções possíveis:
1 - Derivado do alto alemão medieval los que significa livre, único, no sentido de um indivíduo livre, proprietário, que não é servo; porém também com o sentido de astuto, imprudente, atrevido, denotando uma característica comportamental.
2 - De acordo com o Duden Lexikon derivado do verbo do alto alemão medieval lôse que significa semear, correspondendo portanto a semeador, agricultor.
3 - Do alto alemão medieval lohse que significa perda, correspondendo a um agricultor que perdeu sua terra, sua propriedade. Pode ainda, dentro deste mesmo significado, corresponder paradoxalmente a lote, isto é, alguém que recebe um lote, proprietário, colono.
O sobrenome é mais comum na Renânia do Norte-Westfália, Renânia-Palatinado, Baviera e Saxônia. Data do século XIV.
Variantes:
Lohse - variante arcaica típica da Saxônia.
Losse - variante arcaica do leste europeu.
Lasen, Laze, Laz, Lasse - variantes arcaicas do leste da Alemanha, principalmente Saxônia, Silésia e arredores.
Los - variante encontrada no centro-oeste da Alemanha.
Lohs - variante encontrada na Turíngia, Saxônia, sul de Brandemburgo e sul da Saxônia-Anhalt.
Looss - variante encontrada na Saxônia.
Loose - variante encontrada na Baviera, Hesse, Renânia-Palatinado e Saxônia.

524. Stiller: sobrenome poligenético que significa silencioso. Provém etimologicamente do alto alemão medieval stillen com o mesmo sentido. Data do século XIII e ocorre principalmente na Saxônia, Saxônia-Anhalt, Baixa Saxônia, Brandemburgo e região de Berlim.
Variantes:
Stille - variante que significa literalmente silêncio.
Stillen - variante muito comum na Baixa Saxônia.
Stiehler - variante com maior ocorrência na Saxônia-Anhalt.
Stieler - variante mais comum na Turíngia, Baden-Württemberg, Hesse, Baviera e Saxônia.
Stihler - variante encontrada na Baixa Saxônia e região de Hamburgo.

525. Oppermann: sobrenome poligenético que significa sacristão. Provém etimologicamente do alto alemão medieval opperman com o mesmo sentido. Data do século XIII e ocorre principalmente na Baixa Saxônia, sendo considerado uma forma típica desta região.
Variantes:
Opperman - variante comum.
Opfermann, Opferman - variantes do centro-norte da Alemanha.
Obermann, Oberman - variantes comuns da Westfália, Baixa Saxônia, norte do Hesse e Turíngia.
Obemann, Obeman, Obmann, Obman - variantes do baixo alemão.
Overmann, Overman - variante pouco comum na Alemanha, mas com ocorrência nos Países Baixos e na língua inglesa.










sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Significado e origem de sobrenomes alemães - Parte 31


496. Teichmann: sobrenome poligenético que significa aproximadamente piscicultor. O sobrenome é originário da Silésia, região que já no século XIV desenvolveu o criação comercial de peixes de água doce em lagoas e açudes. O Teichmann seria o profissional responsável por estes viveiros aquáticos. Etimologicamente o sobrenome é uma aglutinação dos termos do alto alemão medieval tich (dique) e mann (homem). Por isso em alguns casos, o Teichmann pode significar também o oficial responsável por um dique. Todavia, a Genealogia considera a vertente silesiana mais comum como explicação para o sobrenome. O sobrenome ocorre principalmente na Silésia, Saxônia, sendo igualmente comum em toda a Alemanha.
Variantes:
Deichmann - variante comum.
Tiche, Tyche, Ticho, Tycho - variantes arcaicas.
Teichgräber - variante com o mesmo sentido.
Teich - variante comum na Saxônia.
Teiche - variante mais comum no leste e nordeste da Alemanha.
Teicher, Teichert - variantes mais comuns no Hesse, Turíngia e Renânia-Palatinado.
Deich, Deiche, Deichert - outras variantes.

497. Schönfeld: sobrenome toponímico que significa belo campo, bonito campo, formoso campo. Enquanto topônimo refere-se a cerca de 60 lugares na Alemanha, Áustria, Polônia e República Tcheca. É um sobrenome comum em praticamente todas as regiões da Europa de língua alemã.
Variantes:
Schönfeldt, Schonfeld, Schoenfeld, Schönefeld, Schoenefeld, Schenefeld, Schönfelde, Schoenfelde, Schönfelder, Schoenefelder - variantes relacionadas encontradas em diversas regiões da Europa de língua alemã.
Schönfeldt (nobre) - um família nobre da Saxônia surgida no século XIII.

498. Späth: sobrenome poligenético que significa espeto, lança. É um sobrenome com origem no Baixo Reno que pode designar um ofício profissional, um topônimo ou uma característica física corporal (cabelo, magreza, etc.). Sua maior ocorrência indica ser a Renânia-Palatinado, mas existem outras concentrações do sobrenome em diversas regiões da Europa de língua alemã.
Variantes:
Spaeth - variante simples.
Spät, Spaet - variantes relacionadas a Baden-Württemberg.
Spath, Spaight, Spat, Speth, Spett, Spet, Spatt, Spith, Spitt, Spit - variantes relacionadas.
Spethmann, Spettmann, Spathmann, Spaethmann, Spattmann, Spitmann, Spittmann - variantes derivadas encontradas ao longo da região renana até a Suíça.
Spatz - variante do leste da Alemanha.

499. Pfister: sobrenome poligenético que significa padeiro. Provém do alto alemão medieval phistur/pfistur, por sua vez derivado do original latino pistor que significa exatamente o mesmo. O sobrenome é próprio do sul da Alemanha na Idade Média e data do século XIII. Atualmente ocorre com frequência no próprio sul - Baviera, Hesse e Baden-Württemberg.
Variantes:
Pistor - variante latina original.
Fister - variante comum.
Phister - variante na região renana.
Pfisterei, Phisterei - variantes derivadas.

500. Zink: sobrenome poligenético que significa aproximadamente forcado, ferramenta com pontas. Etimologicamente provém do alto alemão antigo zinko que significa dente, pino, pico, isto é, objeto pontudo, objeto com ponta e alongado. O sobrenome parece relacionado ao centro da Alemanha em sua origem e pode designar:
1 - Um trabalhador que usa um forcado (ferramenta).
2 - Alguém com nariz grande.
3 - Alguém que habita numa região de picos, de serras ásperas.
O genealogista norte-americano Glenn W. Sink considera que o termo também possa corresponder a sumidouro no alto alemão central medieval.
O sobrenome ocorre com mais frequência em Baden-Württemberg, Hesse, Baviera e Turíngia e data aproximadamente do século XIV. Não deve ser confundido com o elemento químico zinco que assim foi nomeado somente no século XVI.
Variantes:
Zinke - variante arcaica, mas também comum no norte da Alemanha.
Zing, Zingg, Zinge, Zingge - variantes típicas do dialeto bávaro e do suíço-alemão.
Zinken - variante no plural.

501. Mader: sobrenome poligenético que significa roçador, ceifador. Etimologicamente provém do verbo mâd do alto alemão medieval que significa cortar, roçar, ceifar a plantação, o campo. O sobrenome data do século XIII e ocorre principalmente na Baviera e em Baden-Württemberg.
Variantes:
Mäder - variante muito comum no sul da Alemanha e Suíça.
Maeder - variante comum no sul da Alemanha e região renana.
Meder - variante também comum no sul da Alemanha, mas expressiva igualmente na Áustria.
Möder - variante encontrada na Turíngia.
Moeder - variante do sul e sudoeste da Alemanha, mas também para o norte ao longo da região renana.
Meeder - variante na região da Francônia.
Mehder - variante relacionada.
Mahder, Maehder, Mähder - outras variantes comuns no centro, sul e oeste da Alemanha.

502. Balzer: sobrenome patronímico que significa filho de Balthasar. Balthasar (Baltazar em português) é um primeiro nome comum na língua alemã derivado do homônimo hebraico. Balzer é uma forma curta que também pode ser um hipocorístico.
O sobrenome ainda pode ter origem na palavra balsa do antigo prussiano que significa voz, gemido, relacionando-se ao contexto militar.
O sobrenome data do século XV e ocorre com mais frequência no Hesse, na Saxônia e na região de Berlim.
Variantes:
Baltzer - variante comum no sul da Alemanha, Suíça e Áustria.
Balzert - variante mais comum na região do Sarre.
Balthasar - forma patronímica original.
Palczar - variante identificada como originalmente prussiana.
Balski - variante do nordeste e leste da Alemanha.
Balzereit - variante derivada.
Balzers - variante no plural. 
Baltser, Baltsers - variante encontrada em Liechtenstein.
Balze - variante simples.
Balz - variante curta da região renana.
Baltz, Bälzle - variantes relacionadas.

503. Westermann: sobrenome toponímico que significa homem do Oeste, homem do Ocidente. É um sobrenome que surge durante os processos migratórios no Sacro Império Romano-Germânico no fim da Idade Média. Atualmente, concentra-se particularmente no norte da Alemanha.
Variantes:
Westerman, Vestermann, Vestermann - variantes comuns.
Wester - variante curta.

504. Bosch: sobrenome poligenético que significa bosque, pequena floresta. Etimologicamente provém do termo homônimo do alto alemão medieval oriental. Data do século XIV e ocorre principalmente em Baden-Württemberg e nos Países Baixos.
Variantes:
Posch - variante do leste da Alemanha.
Boscher, Poscher - variantes derivadas.

505. Engelhard: sobrenome patronímico que significa filho de Engelhard. Engelhard é um primeiro nome da língua alemã derivado do nome medieval tribal Angilhart que no alto alemão quer dizer forte anglo (povo). O sobrenome data do século XIII e ocorre principalmente na Baviera e Baden-Württemberg.
Variantes:
Engelhart, Engelhardt - variantes comuns.
Engelhardt (nobre) - família da nobreza prussiana estabelecida em Riga, Letônia.

506. Schleicher: sobrenome poligenético que significa aproximadamente caminho secreto, caminho oculto, lugar oculto, espreita, coisa oculta, coisa secreta. Provém etimologicamente do alto alemão medieval slichaere apresentando os mesmos sentidos. Literalmente significa espreitadela. Designa aquele que vive num lugar oculto, que vive num lugar de difícil acesso. O sobrenome data do século XII e ocorre principalmente no Hesse e na Turíngia.
Variantes:
Schleich - variante curta simples.
Slicher, Sleycher - variantes arcaicas.
Schleiche, Schleichert - outras variantes.
Schleicher (toponímico) - um local em Baden-Württemberg e um distrito na Baviera.

507. Kaminski: sobrenome de origem prussiana oriental, atualmente típico da Polônia, mas que tem muita ocorrência na Alemanha. Possui as seguintes acepções:
1 - Derivado do termo lituano-prussiano kamienas que significa tronco, caule de árvore, podendo assim designar um sobrenome com relação geográfica, isto é, aquele que vive em uma floresta.
2 - Derivado do termo do prussiano oriental kamine que significa abelha selvagem, designando assim o ofício de apicultor ou alguém de temperamento irascível.
3 -  Derivado do termo do prussiano antigo kamenis que quer dizer chaminé, designando assim alguém que vive num local com chaminé ou mesmo um construtor de chaminés e/ou lareiras. Também pode corresponder a coluna.
A etimologia das palavras que servem como possíveis interpretações para o sobrenome é convergente no que diz respeito à forma daquilo que quer se dizer: um objeto cilíndrico e comprido. Por isso, constata-se que pode denominar tronco, caule, chaminé, coluna, vara, etc.
O site Genealogie Ahnenforschung considera que o sobrenome também possa derivar do termo kamien que significaria pedra no antigo polonês, designando assim alguém que vive num lugar rochoso. 
Acrescente-se que este sobrenome pode ser um poligenético quanto um patronímico.
Atualmente na Alemanha, o sobrenome Kaminski ocorre com expressividade em Mecklemburgo-Pomerânia, Brandemburgo, região de Berlim e Baixa Saxônia. Os primeiros registros datam de 1364.
Variantes:
Kaminsky - variante mais comum.
Kaminska - variante matronímica.
Kaminscy - variante no plural da língua polonesa.
Camyn, Camynes, Camynen - variantes do oeste da Polônia.
Kamin - variante que significa literalmente lareira na língua alemã.
Kamcke, Kamke, Kameke, Kamike, Kamerau, Kamerow, Kamintki, Kamintky - variantes concentradas na região fronteiriça polonesa-alemã que se distribuem de leste a oeste nas regiões circunvizinhas.
Camin - variante encontrada na Saxônia-Anhalt. Também pode ser um homônimo na língua italiana com outra raiz semântica.

508. Eisele: sobrenome patronímico que significa filho de Isenhart ou filho de Eisenhart. Isenhart ou Eisenhart são primeiros nomes medievais alemães com a mesma origem semântica que significam aquele que é duro ou resistente como ferro, isto é, literalmente ferro-duro
O sobrenome pode ainda ser uma derivação de Eisen (ferro) e designar a profissão de ferreiro ou construtor de esquadrias metálicas
O sobrenome data do século XIII e ocorre principalmente no centro da Alemanha.
Variantes:
Eisenhart, Eisenhardt, Eisenhard - variantes do nome.
Isenhart, Isenhardt, Isenhard - variantes do nome.
Iseli, Isely, Isenli, Eisen, Eisener, Eiselen, Eiseler, Iseler, Iselen - variantes relacionadas.

509. Kirchhoff: sobrenome poligenético que significa cemitério ou numa acepção mais precisa terreno de igreja. Provém do alto alemão medieval kerkhoff.  Na Idade Média, as pessoas eram enterradas na área externa junto às igrejas, de mesma forma ocorria que existiam várias moradias agrupando diferentes tipos de servos ou artesãos vinculados a uma igreja. Acrescente-se a isso o fato que a instabilidade política medieval, repleta de guerras civis e feudais, além de constantes invasões, fez nascer as kirchenburgen, isto é, igrejas que eram fortificadas como um burgo. Por isso, compreende-se que embora no alemão moderno o termo corresponda a cemitério, a explicação mais verossímil para o sobrenome é aquele que habita junto a uma igreja fortificada. Pode ainda, entretanto, designar o antigo ofício de guarda ou porteiro de cemitério, em casos reduzidos. O sobrenome data aproximadamente do século XIV e ocorre em toda a Europa de língua alemã.
Variantes:
Kirchhof - variante simples.
Kirchhof (toponímico) - refere-se a quatro lugares na Alemanha (dois na Baviera, um no Hesse e um na Saxônia).
Kirchhofen - variante comum no sul da Alemanha, principalmente em Baden-Württemberg.
Kirchhofer - variante comum no sul da Alemanha e Suíça.
Kirchhoven - variante toponímica referente a um lugar no distrito de Heinsberg, na Renânia do Norte-Westfália.
Kerchove, Kirchoff, Kerchoffs - variantes arcaicas.
Kerkhof, Kerkhoff, Kerkhove, Kerkhoven, Kerckhoven- variantes dos Países Baixos e Bélgica.
Kerckhoff - variante mais comum na Renânia do Norte-Westfália e Baixa Saxônia.
Kerkhofs, Kerkhoffs, Kerckhof, Kerckhofs - outras variantes comuns aos Países Baixos e noroeste da Alemanha.
Kerkhecker - variante encontrada em Bielefeld, Renânia do Norte-Westfália.

510. Reiss (1a. vertente): sobrenome poligenético que significa arroz. Designa o agricultor que cultiva arroz ou orizicultor. Etimologicamente provém do alto alemão medieval rîs que significa ramo, arbusto. Por este fato, compreende-se que na língua alemã a planta arroz recebeu uma denominação por seu aspecto (ramo). Como o arroz só chegou a Europa no século VIII e na região do Sacro Império Romano-Germânico somente no século XIII, sendo um produto de algum consumo destacável nesta região somente a partir do século XVIII, compreende-se que a próxima vertente seja a mais aceita para a maioria destes sobrenomes em língua alemã.
Reiss (2a. vertente): sobrenome poligenético que significa ramo, arbusto, e também rasgo, fenda e lágrima. Por isso, compreende-se que o sobrenome se origine para designar aquele que vive num lugar de muitos arbustos, aquele que vive numa fenda (vale, depressão, desfiladeiro, margem de rio) ou aquele que vive próximo a uma nascente ou olho d'água. Esta vertente é considerada mais aceitável para explicar o sobrenome, sem desconsiderar as outras.
Reiss (3a. vertente): sobrenome patronímico que é uma forma contraída para filho de Zacharias. Nesta vertente, a maioria das linhagens seriam judias.
O sobrenome ocorre principalmente no Sarre, Renânia-Palatinado e Hesse. Data do século XIII.
Variantes:
Reis - variante pouco comum na Alemanha moderna, mais associada a imigrantes alemães nas Américas.
Reisz - variante mais comum no leste e norte da Alemanha.
Reihs - variante mais comum no sul da Alemanha e Áustria.
Rais - variante encontrada na Suíça e República Tcheca.
Ris, Riss, Riess, Ries, Reys, Reuss, Raiss, Reus, Risz - outras variantes que se apresentam em formas dialetais da Renânia do Norte, Hesse, Baviera, Francônia e alguns cantões suíços.







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...