sexta-feira, 21 de julho de 2017

A Escravidão no Brasil


Trecho extraído de: DICIONÁRIO UNIVERSAL DE CURIOSIDADES. São Paulo: Comércio e Importação de Livros Cil S.A., 1968, p. 706-708

"Do ponto de vista econômico, o Brasil é um resultado da escravidão. Não fôssem os escravos, e o Brasil não seria o que é hoje. De seu trabalho nos veio o ouro, o café e o açúcar, tendo sido o Brasil uma das maiores potências agrícolas do mundo. 

A escravidão é condenável do ponto de vista sociológico e cristão. As mesmas riquezas poderiam ter sido produzidas dando-se aos negros a condição de homens livres. Entretanto, considerando-se hoje o fato histórico consumado, apesar de bárbaro e infame, o período escravagista do Brasil constituiu fator decisivo para a emancipação econômica brasileira. Os índios não tinham para o trabalho a aptidão dos negros, sendo ainda protegidos pelos jesuítas. No ano de 1570, S. Sebastião determinou que todo índio antropófago, feito prisioneiro de guerra, deveria ser escravizado. Em 1611, Felipe III revogou a lei da abolição dos índios; nessa época recrudesceram as Entradas para caça aos índios. Manuel Pires, através do Rio Negro, durante os anos de 1565 a 1567, trouxe do Pará mais de mil índios. No ano de 1697, por influência dos jesuítas, foi renovada a proibição do tráfico indígena. 

Portugal recebeu os primeiros escravos em 1442, procedentes da Guiné. Foram apresados por Gil Eanes, o primeiro português a dobrar o Cabo Bojador. 

Diversas foram as revoltas feitas pelos escravos, no anseio incontido de recuperar a liberdade e libertar-se do jugo dos senhores. Milhares foram os escravos mortos nessas guerrilhas. No Brasil, ficou célebre a história do Quilombo dos Palmares. Os negros foragidos reuniam-se em locais determinados, em tôrno de seus chefes. Êsses locais em que se agrupavam os escravos revoltosos recebiam o nome de quilombos. 

A 28 de setembro de 1871, por esforços do Visconde do Rio Branco, foi promulgada a lei do ventre livre, cujo teor dava liberdade aos nascituros, a partir desta data. Era a aurora da abolição futura. Mesmo que mais não se fizesse, dentro de algum tempo extinguir-se-ia o cativeiro. Entretanto, em 1887, a estatística acusava o número de 723.419 pessoas em condição de escravos, em nosso país. Mas a revolta ideológica alastrava-se com veemência. De todos os pontos da nação erguiam-se vozes e organizavam-se movimentos em favor da abolição dos escravos. Destacaram-se, nessa revolução social, Joaquim Nabuco, José do Patrocínio e Luís Gama, bem como o poeta condoreiro, Castro Alves, que fêz da solidariedade humana, em favor dos escravos, uma das maiores fontes de inspiração épica. Por iniciativa particular, o Ceará e o Amazonas puseram têrmo a escravidão negra, a partir de 1884. Como um passo a mais para a abolição, promulgou-se a lei dos sexagenários, dando alforria automática ao escravo que completasse 60 anos de idade. Finalmente, a 13 de maio de 1888, a Princesa Regente Dona Isabel assinava a definitiva abolição da escravatura no Brasil. Essa lei, com justiça, chamou-se Lei Áurea, isto é, lei de ouro. Pelo seu conteúdo sociológico, como afirma o Prof. C.A. de Toledo, essa lei transcende os âmbitos de um decreto comum, e assume as proporções de verdadeiro ato adicional à Constituição Brasileira. No dia da abolição  dos escravos, foram libertados aproximadamente 800 mil escravos.

De 1550 a 1850, o Brasil recebeu da África mais de três milhões de escravos, havendo autores, que apresentam a cifra de seis milhões. Vinham geralmente da Guiné. Os maiores mercados brasileiros, eram os do Rio de Janeiro, Pernambuco, Minas Gerais e Bahia. O preço médio por cabeça era de 20 a 30 libras; havia, entretanto, negros excepcionais, verdadeiros hércules, cujo preço atingia 100 libras."

quarta-feira, 19 de julho de 2017

IHGCL está aberto ao público


O Instituto Histórico e Geográfico de Capão do Leão, situado à Avenida Narciso Silva esquina Rua Professor Agostinho, passa, a partir desta semana, a abrir suas portas à comunidade local, pesquisadores e interessados, com regularidade. A entidade estará aberta às terças e quinta-feiras, no turno da tarde, entre 13h30min e 16h30min. 

Inverno Solidário na Praça João Gomes

Divulgação.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Maragatos


Fonte: NUNES, Zeno Cardoso & NUNES, Rui Cardoso. Dicionário de regionalismos do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Martins Livreiro Editor, 1982, p. 284-285.

"Denominação dada ao revolucionário ou partidário da revolução rio-grandense de 1893, adepto ao credo político pregado por Gaspar da Silveira Martins e adversário do partido então dominante, chefiado por Júlio Prates de Castilhos.// Revolucionário ou partidário da revolução rio-grandense de 1923, adepto do partido liderado por Joaquim Francisco de Assis Brasil e contrário a Antônio Augusto Borges de Medeiros, governador do Estado. // Federalista.

'Na província de León, Espanha, existe uma comarca denominada Maragatería, cujos habitantes têm o nome de maragatos, e, que, segundo alguns, é um povo de costumes condenáveis; pois, vivendo a vagabundear de um ponto a outro, com cargueiros, vendendo e comprando roubos e por sua vez roubando principalmente animais; são uma espécie de ciganos. Aos naturais da cidade de São José, no Estado Oriental do Uruguai, dão neste país o nome de maragatos, talvez porque os seus primeiros habitantes fossem descendentes de maragatos espanhóis. Pelo fato de os rebeldes em suas excursões irem levantando e conduzindo todos os animais que encontravam, tendo apenas bagagens ligeiras, cargueiros, etc. Como os da Maragatería e porque (com exceções) suspendiam com o que encontravam em suas correrias, aplicou-se-lhes aquela denominação, que aliás eles retribuíram com outras não menos delicadas aos republicanos, a despeito da correção em geral observada por estes em toda a luta.' (Romaguera)

'Ainda hoje (1897), que 11 séculos são decorridos, os maragatos constituem um nódulo distinto ao meio da população lionesa. São ainda os bérberes antigos: usam a cabeça raspada, com uma mecha de cabelo na parte posterior; falam uma linguagem que não é bem castelhana, a qual apresenta uma pronúncia arrastada, dura e lenta, e são geralmente arredios.' (Oliveira Martins, apud Vocabulário Sul-Rio-Grandense, P.A., Globo, 1964, p. 289).

'Trouxera consigo, além do irmão Aparício, um grupo de maragatos do Departamento de S. José, nome por que eram conhecidos os imigrantes de certa região da Espanha, e, que, pelo prestígio do chefe, se estendeu a todos os rebeldes da Revolução Federalista e até, posteriormente, a qualquer adversário da situação castilhista do Rio Grande.' (Arthur Ferreira Filho, Revoluções e Caudilhos, 2a.ed., Passo Fundo, p. 34).

'J.F. de Assis Brasil, o velho líder político maragato, lança 'A Atitude do Partido Democrático Nacional na Crise da Sucessão Presidencial do Brasil', um trabalho que merece ser lido e meditado.' (Pedro Leite Villas-Bôas, Um Quarto de Século de Literatura Rio-Grandense - 1929-1954, in Revista da Academia Rio-Grandense de Letras, no.1, P.A., 1980, p. 125).

'Velho Tropeiro Vicente,
que amas tuas origens...
fibra de velhas raízes, 
em solo duro e ingrato.
Teimoso remanescente
duma raça em extinção...
És caudilho maragato
sem armas nem munição, 
peleando valentemente
na defesa deste chão!'
(Cardo Bravo, Rebeldia, poema)".

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Uma charqueada platina no século XVIII

Um saladero argentino (ilustração pública)


Fonte: LEITE, José Antonio Mazza. "Xarqueadas" de Danúbio Gonçalves: um resgate para a História. Pelotas/RS: Ed. UFPel, 2004, p. 50.

"As descrições sobre as Charqueadas do século XVIII são extremamente raras e imprecisas. Nesse sentido, temos a 'Descripción de la Província del Rio de la Plata' (1771), de Francisco Millau (1947, p. 56-57), Colección Austral, Buenos Aires, citado por Mário Maestri, em seu livro 'O Escravo no Rio Grande do Sul'.

Millau, oficial de marinha espanhol que parte para o Prata em novembro de 1751, descreve com alguma precisão, o que deveria ser a técnica 'saladeril' em meados do século XVIII: As fazendas de Buenos Aires não dão o produto correspondente às suas extensões e à multiplicação de seus gados, porque estes, por sua abundância, vendem-se com dificuldade a preço mínimo e é pequena a saca de couro que podia dar a maior utilidade. A principal utilidade que deixam as matanças de gado vacum é o couro, a gordura, a banha e a língua, e é de nenhum proveito o mais de suas carnes. Algumas poucas que se quer conservar, convertem-se em charque ou 'tasajo', isto é, carne seca ou salgada. Faz-se o charque cortando, primeiro, a carne em tiras de maior largura e mais finas que se coloca, sobre um grande couro estendido no solo, até preencher todo seu espaço e se joga sobre elas partículas de sal. Dispõe-se assim uma segunda camada que leva a mesma porção de sal e se prossegue deste modo com outras, fazendo uma pilha da altura que se quer e se cobre com outro couro, colocando em cima bastante peso. Mantém-se assim, algumas horas, até que toda a carne vá eliminando toda a água e o sal. Estendem-se logo essas tiras, em cordas ou paus, para secar ao sol, se não é forte e se corre vento fresco e não à sombra e somente ar. Prossegue-se esta atividade por alguns dias, tendo o cuidado de recolhê-las à noite para libertá-las do sereno a fim de preservá-los, enquanto que se pode, da umidade. Antes que sequem e quando se sabe que falta pouco, amontoa-se outra vez em pilhas comprimindo-a com algum peso, para que a gordura que podem ter, se reparta engraxando toda a carne, para que se conserve melhor, assim feito põe-se a secar como antes. Beneficiando deste modo o charque guarda-se fazendo deles alguns rolos a maneira dos terços, para levá-lo a qualquer lugar."

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Sobrenomes pomeranos - Parte 11


Reproduzimos aqui em forma de lista os sobrenomes pomeranos pesquisados por Edward Breza, que incluem sobrenomes encontrados em suas pesquisas nas voivodias (províncias) polonesas da Pomerânia, Pomerânia Ocidental e Cujávia-Pomerânia, mas não sabemos dizer se incluem sobrenomes presentes no estado alemão de Mecklemburgo-Pomerânia. Vale lembrar que a antiga região da Pomerânia incluía territórios majoritariamente poloneses na atualidade e uma porção menor hoje pertencente a Alemanha. Há menos de 100 anos, toda essa região era ainda parte do Império Alemão e retornando ainda 200, 250 anos a Pomerânia fazia parte do Reino da Prússia (embrião da Alemanha moderna). Segue, pois, a lista simples dos sobrenomes pesquisados por Breza, de acordo com o pesquisador polonês Janusz Stankiewicz.

Para tanto, tomamos a liberdade de fazer alguns melhoramentos e adições para melhor compreensão dos leitores de língua portuguesa, principalmente fazendo uso das versões em língua alemã e língua polonesa da Wikipedia, assim como do Wikcionário também das respectivas línguas. Também fizemos uso do Dicionário Geográfico do Reino da Polônia e outros países eslavos (no original polonês Slownik geograficzny Królestwa Polskiego i innych krajów slowianskich). 

Edward Breza (nasc. 1932) é professor emérito de Humanidades da Universidade de Gdansk, na Polônia. Com formação em Filosofia e Teologia e mestrado em Filologia. Suas principais áreas de estudo constituem a história da língua polonesa, linguagem, onomástica, dialetologia, especialmente sobre as etnias cassúbia e pomerana. Dentre suas várias obras sobre Onomástica, destaca-se Os Nomes dos Pomeranos - Origem e Mudança (no original polonês Nazwiska Pomorzan - Pochodzenie i Zmiany)de 2001, publicada pela própria universidade em que leciona, que lhe valeu um prêmio especial do Ministério da Cultura da Polônia. Breza também é membro do Comitê Internacional de Onomástica.

1445. Taborowski - toponímico referente a Tabor: uma aldeia no município de Celestynow, distrito de Otwock, Mazóvia, Polônia. O topônimo Tabor também aparece duas vezes na República Tcheca e uma vez na Eslovênia.
1446. Tajcherski, Tajchert, Tajchman, Tajchmann, Tajchner, Teich, Teichen, Teicher, Teichert, Teichmann, Teichner, Tejchman, Tejchmann, Tejchner - piscicultor, o criador de peixes em áreas predeterminadas.
1447. Talp, Talpa, Talpinski - toupeira-europeia (Talpa europaea).
1448. Talus, Talusz - calcanhar. O sobrenome pode também ser um patronímico de Talus - um nome masculino.
1449. Tambor, Tambur - tambor, o soldado tamborileiro de uma companhia militar.
1450. Tand, Tandas, Tandeck, Tandecki, Tandej, Tandejko, Tandek, Tant, Tanta, Tantala, Tantius, Tanty, Tandek, Tedyk - brinquedo, bugiganga, bijuteria. Designa o vendedor ambulante que aparecia em feiras de uma região, vendendo toda a sorte de produtos baratos. 
1451. Targa, Targacz, Targaczewski, Targala, Targon, Targos, Targosz, Targus - mercado, pechincha, ato de comprar pechinchando. Designa os mercados populares da Idade Média e Idade Moderna.
1452. Targanski, Targonski - toponímico referente à aldeia de Targonie, município de Regimin, distrito de Ciechanow, Mazóvia, Polônia.
1453. Targowica, Targowski, Targowiski - toponímico referente à aldeia de Targowiska, município de Miejsce Piastowe, distrito de Krosno, Subcarpácia, Polônia.
1454. Tarka, Terka, Terkala, Terkalski - ralador, algo que rala; pode designar um tipo de ferramenta de serralheria; ou ainda, um riacho em que os peixes cruzam em correntes estreitas. O vocábulo também pode indicar algum processo de lavagem de roupas. Por fim, uma denominação para o espinheiro-negro (Prunus spinosa).
1455. Tatar, Tatara, Tatarka, Taterko - trigo-mourisco (Fagopyrum esculentum). Ou ainda, um toponímico referente à vila de Tatar, município de Szczercow, distrito de Belchatow, província de Lodz, Polônia.
1456. Taub, Taubamann, Taube, Taubman, Taubmann - pomba (família Columbidae). Figurativamente, um homem surdo.
1457. Tenior, Tenor, Tenorio - tenor. Porém, dentro de seu contexto histórico, o cantor masculino que inicia o tom ao coro de uma igreja.
1458. Toeplitz, Teplicki, Teplycki - toponímico referente à cidade de Cieplice (nome tcheco Teplice, nome alemão Teplitz), região de Ustecky, República Tcheca.
1459. Teper, Teperek, Teperowicz, Teperski, Top, Topa, Toper, Toperek, Topf, Topfer, Topka, Topke, Topp, Toppa - ceramista.
1460. Thiel - patronímico do nome germânico Thilo.
1461. Thurau, Thurow, Turau, Turawa, Turower - patronímico referente à cidade de Turawa (nome alemão Gemeinde Turawa ou Thurow), distrito de Opole, província de Opole, Polônia.
1462. Tibus - patronímico do nome Mateusz (Mateus em português).
1463. Tinc, Tincek, Tincel - cerca de ripas.
1464. Tischer, Tischler, Tischmann, Tischmer, Tissar, Tissarek, Tissler - de origem tcheca; significa carpinteiro.
1465. Titus - patronímico do nome Titus (Tito em português).
1466. Tobaj, Tobajka, Tobajko, Tobal, Tobalczuk, Toball, Tobalski, Tobal, Tobalkiewicz, Tobarek, Tobasiewicz, Tobaszewski, Tobata, Tobbei, Tobczyk, Tobczynski, Tobei, Tobej, Tobel, Tobelek, Tobelski, Tobera, Toberski, Tobey, Tobian, Tobiarz, Tobiasinski, Tobiaski, Tobiasz, Tobiaszek, Tobiaszewicz, Tobiaszewski, Tobias, Tobienski, Tobieski, Tobijas, Tobijasiewicz, Tobijasinski, Tobijaszko, Toby, Tobilski, Tobinski, Tobisiak, Tobisz, Tobiszewski, Tobiszowski, Tobis, Tobjanski, Tobjarz, Tobjas, Tobjasz, Tobjaszewski, Tobka, Tobkiewicz, Toboja, Tobojka, Tobojko, Tobola, Tobolak, Tobolewicz, Tobolewski, Tobolik, Toboliszewski, Tobolla, Tobollik, Tobolski, Tobolszewski, Tobol, Tobola, Tobolek, Tobolka, Tobolkiewicz, Tobolowski, Tobor, Tobora, Toborek, Toborowicz, Toborowski, Toborski, Toboszewski, Tobota, Tobowski, Tobolski, Tobuch, Tobulski, Tobula, Tobulka, Tobunski, Tobur, Tobus, Tobys, Tobysz, Tobysiak - patronímico do nome masculino Tobiasz (Tobias em português). Porém, pode ainda ser um toponímico relacionado a uma diversidade de lugares na Europa Oriental que tenham como prefixos Tobi-, Toba-, Tobol-, entre outros.
1467. Toch, Tocha, Tochman, Tochmann, Tochmanow, Tochmanski, Tochnan - patronímico do nome russo Tochma (Tomasz em polaco, Tomás ou Tomé em português).
1468. Tock, Tocka, Tocke, Tocki, Tok, Toka - barril; um recipiente para líquidos; tambor; uma poça d'água de forma circular e muito profunda.
1469. Toczek - animal obeso e bem alimentado; pessoa obesa; pessoa bem nutrida. É de origem cassúbia.
1470. Tom, Toma, Tomak, Tomczak, Tomczakowski, Tomczek, Tomczenko, Tomczok, Tomczuk, Tomczyce, Tomczyk, Tomeczak, Tomek, Tomiec, Tomik, Tomkiewicz, Tomkojc, Tomkowicz - patronímico do nome Tomasz (Tomás ou Tomé em português).
1471. Tor, Torek, Tork, Torke, Torko - patronímico do nome Wiktor (Vítor em português) ou do nome Nestor (correlato em português).
1472. Torlap, Torlopp, Tprlop - originário de uma palavra russa para pele. Por isso, designa o peleiro, comerciante de peles, caçador de peles.
1473. Torun, Torunczak, Toruniak, Toruniewski, Torunczyk, Torunski - toponímico referente à cidade de Torun (nome alemão Thorn; nome latino Thorunia ou Torunium), distrito de Torun, Cujávia-Pomerânia, Polônia.
1474. Tracz, Traczewski, Traczyk, Traczysnki - serrador de madeira, lenhador. Denominação genérica para várias aves da família Anatidae. Ou ainda, um toponímico referente à aldeia de Tracze (nome alemão Tratzen), município de Elk, distrito de Elk, Wármia-Masúria, Polônia.
1475. Tram, Trams, Tran, Trun, Truna, Trunek, Trunet, Trunik, Trunin, Trunk, Trunowicz - a viga de madeira principal de uma construção; um moinho de trituração de madeira; um moinho de madeira usado para triturar e compactar minérios; o mastro principal de um navio; feixe de madeiras; licor de ervas e/ou frutas.
1476. Trancygier - vigas ou toras de madeira que são jogadas rio abaixo.
1477. Trap, Trapa, Trapacz, Trapak, Trapczyk, Trapper, Trapiak, Trapik, Trapilo, Trapkiewicz, Trapko, Trapkowski, Trapowicz, Trapp, Trappa, Trapski, Trapuk, Trapukowicz - sobrenome de amplo significado. Pode designar, de acordo com uma palavra de origem cassúbia, homem lento, homem fleumático. Bem como ainda, significar lugar ou coisa difícil, problemática, tal como um local de difícil acesso. Também está associado a íngreme, lugar íngreme. Pode também ser um sinônimo para homem nanico, anão. Por fim, uma forma para denominar a abetarda (Otis tarda).
1478. Tred, Treda, Trede, Treder, Treter, Trejder, Trejderowski, Trejdowski, Treter, Tretter - andarilho, nômade. O significado do sobrenome pode estar associado ao ofício de pastor de animais.
1479. Treichel, Treicher - sino colocado ao redor do pescoço de bovinos leiteiros. Figurativamente: bêbado, boêmio. Ou ainda, um toponímico referente à vila de Trzechel (nome alemão Treichel), município de Nowogard, distrito de Goleniow, Pomerânia Ocidental, Polônia.
1480. Trel, Trela, Trelak, Trelak, Treler, Trelewicz, Trelew, Trelinski, Trelka, Trell, Trella, Trelle, Treller, Trelowski, Trelski, Tryl, Tryla, Tryler, Trylewicz, Trylinski, Tryll, Tryllski, Trylowski, Tryslki, Tryluk - o trinado de um pássaro, chilrear de uma pássaro. Figurativamente: pessoa de voz obtusa ou tímida, pessoa de voz baixa, ou também, pessoa de voz canora. Igualmente, designa viga de madeira ou qualquer tipo de ferrolho ou fechadura fabricados de madeira. Por fim, treliça de madeira, janela de treliça.
1481. Trepczik, Trepczyk, Trepczynski, Trepka, Trepke, Trepko, Trepkowski, Trippe, Tryp, Trypak, Trypaluk, Trypka, Trypke, Trypko - tamanco; um fabricante de tamancos.
1482. Trepow, Trepowski - toponímico referente à duas aldeias na Polônia: Trzepowo (nome alemão Strippau), município de Przywidz, distrito de Gdansk, Pomerânia; Trzepowo, município de Dunnock, distrito de Pultusk, Mazóvia.
1483. Treptau, Treptow, Trzebiatkowski, Trzebiatowski, Trzebietowski - toponímico referente aos seguintes locais: o município de Treptow-Köpenick, distrito de Berlim, região de Berlim, Alemanha; a cidade de Trzebiatow (nome alemão Treptow an der Rega), distrito de Gryfice, Pomerânia Ocidental, Polônia; a aldeia de Trzebiatow (nome alemão Treptow bei Stargard), município de Starogard, distrito de Starogard, Pomerânia Ocidental, Polônia.
1484. Troch, Trocha, Trochaj, Trochalla, Trochalski, Trochalla, Trochan, Trochaniak, Trochanowicz, Trochanowski, Troche, Trochel, Trochelepszy, Trochim, Trochimczuk, Trochimiec, Trofim, Trofimiak, Trofimiec, Trofimiuk, Trofimowicz - patronímico do nome Trofim (do grego Tróphimos que significa comedor, nutrido, saudável).
1485. Trotsky, Trok, Troka, Trokajlo, Trokalo, Trokiel, Trokielewicz, Troki, Trokki, Trokowicz, Trokowski, Troks, Trokun, Trokunowicz - corda, correia, cinto, pulseira. Designa o cordoeiro ou o fabricante de objetos de couro em geral.
1486. Trommel - tambor.
1487. Trus, Trusek, Trusewicz, Trusiel, Trusien, Trusiewicz, Trusik, Trusillo, Trusina, Trusinski, Trusiuk, Trusow, Trusowicz, Trusowski, Truss, Trussner, Truzik - coelho-europeu (Oryctolagus cuniculus). Figurativamente: homem covarde, homem silencioso, homem inocente.
1488. Truskawa, Truskawicki, Truskawiecki, Truskawka, Truskawski - morango (gênero Fragaria). Ou ainda, um toponímico referente aos seguintes lugares: a aldeia de Truskaw, município de Izabelin, distrito de Zachodni Warsaw, Mazóvia, Polônia; a cidade de Truskawiec (nome ucraniano Truskavets), região de Lviv, Ucrânia; a aldeia de Truskawiec, município de Poddebice, distrito de Poddebice, província de Lodz, Polônia; a aldeia de Truskawka, município de Czosnow, distrito de Nowy Dwor, Mazóvia, Polônia.
1489. Trzeciak, Trzeciaki - uma antiga moeda polaca (produzida inicialmente na Cracóvia e depois na Silésia) de prata ou cobre, dependendo da época histórica, que remonta ao século XIV, cujo significado é terceiro, ternário, a terceira parte. Mormente, a moeda continha 0,57 g de prata. Figurativamente: trabalhador jornaleiro, trabalhador que recebe por jornada.
1490. Trzemiel - abelhão (Bombus terrestris).
1491. Tuchlin, Tuchlinski - toponímico referente aos seguintes locais na Polônia: o assentamento florestal de Tuchlin, município de Orzysz, distrito de Pisz, Wármia-Masúria; a vila de Tuchlin, município de Branszczyk, distrito de Wyszkow, Mazóvia; a vila de Tuchlin, município de Orzysz, distrito de Pisz, Wármia-Masúria; a vila de Tuchlino, município de Sierakowice, distrito de Kartuzy, Pomerânia. Também pode ser um patronímico do nome eslavo Tuchlin (em desuso).
1492. Tumidaj, Tumidajewicz, Tumidajewski, Tumidajowicz, Tumidajski - toponímico referente ao seguintes lugares na Polônia: a aldeia de Tumidaj, município de Krosniewice, distrito de Kutno, província de Lodz; a aldeia de Tumidaj, município de Brzeznio, distrito de Sieradz, província de Lodz; a aldeia de Tumidaj, município de Ostrowite, distrito de Slupca, Grande Polônia; a aldeia de Tumidaj, município de Miescisko, distrito de Wagrowiec, Grande Polônia.
1493. Tus, Tusak, Tusek, Tusiak, Tusiek, Tusien, Tusiewicz, Tusik, Tusin, Tusinski, Tusk, Tuske, Tuski, Tuskowski, Tuss - trenó conduzido por cães. Um condutor de trenó. Ou ainda, um toponímico referente à vila de Tuszkowy (nome alemão Tuschkau), município de Lipusz, distrito de Koscierzyna, Pomerânia, Polônia.
1494. Tutak, Tutka, Tutke, Tutkaj, Tutkala, Tutkalik, Tutko, Tutkowski - saco, bolsa, cápsula, bulbo, folículo, cartucho, focinho de vaca, cornamusa. Pode designar tanto um aspecto geográfico, um aspecto profissional, um detalhe do vestuário, um animal, uma planta, etc., por isso, o significado é amplo.
1495. Tuz, Tuzel, Tuziak, Tuzik - dignatário, alguém de importância, fidalgo, bem-nascido.
1496. Tworek, Twork, Tworka, Tworke, Tworkiewicz, Tworko, Tworkowski - patronímico dos antigos nomes eslavos Tworzymir (aquele que constrói a paz) ou Tworzyjan (aquele que floresce). Ou ainda, um toponímico referente aos seguintes locais na Polônia: a aldeia de Tworkow (nome alemão Tworkau), município de Krzyzanowice, distrito de Raciborz, Silésia; a aldeia de Tworkowice, município de Ciechanowiec, distrito de Wysokie, Podláquia; a localidade de Tworki, município de Pruszkow, distrito de Pruszkow, Mazóvia; a localidade de Tworki, município de Mszana Dolna, distrito de Limanowski, Pequena Polônia; a aldeia de Tworki, município de Jasieniec, distrito de Grocej, Mazóvia; a localidade de Tworki, município de Zareby Koscielne, distrito de Ostrow, Mazóvia; a aldeia de Tworki, município de Wisniew, distrito de Siedlce, Mazóvia; a aldeia de Tworki, município de Wyszki, distrito de Bielsko, Podláquia; a aldeia de Tworki, município de Rajgrod, distrito de Grajewo, Podláquia; a aldeia de Tworkowa, município de Czchow, distrito de Brest, Pequena Polônia; a extinta aldeia (incorporada em 1901) de Tworkowo, município de Suchy Las, distrito de Poznan, Grande Polônia.
1497. Tybor, Tybora, Tyborczyk, Tyborczk, Tyborczuk, Tyborowicz, Tyborowski, Tyborra, Tyborski, Tybora, Tybur, Tybura, Tyburak, Tyburc, Tyburca, Tyburch, Tyburcy, Tyburcz, Tyburcza, Tyburczak, Tyburczuk, Tyburczyk, Tyburczyn, Tyburkiewicz, Tyburowski, Tyburski, Tyburzec - patronímico do nome latino Tiburtius ou polaco Tibor (Tibúrcio em português). Ou ainda, um toponímico referente a Tybory - nome de lugar que se repete oito vezes na Polônia.
1498. Tybus, Tybusek, Tybuszewski, Tyws, Tywusik, Tywuszyk - patronímico derivado do hipocorístico do nome Mateusz (Mateus em português).
1499. Tyl - patronímico do nome germânico Thilo.
1500. Tym, Tyma, Tymo - patronímico do nome Tymoteusz (Timóteo em português).
1501. Tyniecki - toponímico referente a Tyniec - nome de lugar que se repete sete vezes na Polônia.
1502. Tysarczyk, Tysarowski, Tysarski, Tyscher, Tyschler - de uma palavra tcheca do século XIV para carpinteiro.
1503. Tytus, Tytusz - patronímico do nome Tytus (Tito em português).
1504. Udo - patronímico do nome Odo ou Oto (correlato em português).
1505. Ugowski, Ugoski - toponímico referente aos seguintes lugares na Polônia: a aldeia de Ugoszcz (nome alemão Bernsdorf), município de Studzienice, distrito de Bytowski, Pomerânia; a aldeia de Ugoszcz, município de Brzuze, distrito de Rypin, Cujávia-Pomerânia; a aldeia de Ugoszcz, município de Miedzna, distrito de Wegrow, Mazóvia; a aldeia de Ugoda, município de Rawicz, distrito de Rawicz, Grande Polônia; a aldeia de Ugoda (nome alemão Frieddorf), município de Sicienko, distrito de Bydgoszcz, Cujávia-Pomerânia.
1506. Ukleia, Uklej, Ukleja, Uklejewicz, Uklejewski, Uklejka, Uklejowski, Uklejski - uma espécie de peixe da Europa Oriental (Alburnus alburnus).
1507. Umer, Umerski - martelo, forja; figurativamente: ferreiro.
1508. Uszka, Uszkiewicz, Uszko, Uszkorz, Uszkowski - orelha, ouvido; figurativamente: orelhudo, pessoa de orelhas grandes.
1509. Uzdrowek, Uzdrowicz, Uzdrowski - de origem cassúbia, significa curandeiro.
1510. Vergin - patronímico do nome Virginius (Virgínio em português).
1511. Virchow, Virchowa, Wirchow, Wirchowiec - toponímico referente a alguns nomes de lugar encontrados na Polônia nas seguintes situações: a aldeia de Wierzchowo (nome alemão Firchau), município de Czluchow, distrito de Czluchow, Pomerânia; a vila de Wierzchowo (nome alemão Virchow), município de Wierzchowo, distrito de Drawsko, Pomerânia Ocidental; a aldeia de Wierzchowo (nome alemão Wurchow), município de Szczecinek, distrito de Szczecinek, Pomerânia Ocidental; a aldeia de Stare Wierzchowo (nome alemão Sassenburg), município de Szczecinek, distrito de Szczecinek, Pomerânia Ocidental; a aldeia de Wierzchowko (nome alemão Juliushof), município de Wierzchowo, distrito de Drawsko, Pomerânia Ocidental.
1512. Vitkow - toponímico referente à vila de Witkowo (nome alemão Vietkow ou Vitkow), município de Smoldzino, distrito de Slupsk, Pomerânia, Polônia.
1513. Vohs, Vos, Voss - novembro, o mês de novembro - tradicionalmente um mês cinzento e de intempéries na Europa. Ou ainda, pé - humano ou de um montanha ou elevação.
1514. Wachholc, Wachholz, Wacholc, Wacholz - toponímico referente à antiga aldeia de Wachholz, atualmente parte do município de Beverstedt, distrito de Cuxhaven, Baixa Saxônia, Alemanha. A família nobre de Wachholtz recebeu terras na Pomerânia em 1249. É uma das mais antigas famílias pomeranas, tendo sua linhagem iniciada com Johannes de Wacholt.
1515. Wagner, Wagnerowicz, Wagnerowski, Wegner, Wegnerowicz, Wegnerowski - construtor de carros e carroças de madeira.
1516. Wajch, Wajchaus, Wajchbrot, Wajchmacher, Weich, Weichbrodt, Weichbrodt - conjunto de sobrenomes que significam macio, leve. Está associado a quatro ofícios profissionais historicamente identificados: um processo de fabricação do malte da cerveja; uma etapa na preparação de couros e peles; um processo de lavagem na indústria têxtil artesanal; a fabricação do pão branco comum para consumo imediato.
1517. Wajer, Wajerak, Wajerczyk, Wajerowicz, Wajerowski, Weicher, Weier, Wejer, Wejerowski, Wejers, Wejher - lagoa, área alagada, poça d'água.
1518. Wajrauch, Wajrich, Wajroch, Wajrych, Weichrau, Weirau, Wejroch, Wejrosz - incenso, o comerciante de incenso. Ou ainda, uma planta europeia do gênero Plectranthus.
1519. Wald, Waldau, Walde, Walden, Walder, Waldow, Waldowski - toponímico referente aos seguintes lugares na Polônia: a aldeia de Waldowko, município de Zblewo, distrito de Starogard, Pomerânia; a aldeia de Waldowko, município de Sepolno Krajenskie, distrito de Sepolno, Cujávia-Pomerânia; a aldeia de Waldowo Szlacheckie, município de Grudziadz, distrito de Grudziadz, Cujávia-Pomerânia; a aldeia de Waldowo, município de Sepolno Krajenskie, distrito de Sepolno, Cujávia-Pomerânia; a aldeia de Waldowo, município de Pruszcz, distrito de Swiecie, Cujávia-Pomerânia; a aldeia de Waldowo (nome alemão Waldow), município de Miastko, distrito de Bytow, Pomerânia; a aldeia de Waldowo, município de Kisielice, distrito de Ilawa, Wármia-Masúria; a aldeia de Waldowo, município de Ostroda, distrito de Ostroda, Wármia-Masúria; a aldeia de Waldowo Krolewskie, município de Dabrowa Chelmisnka, distrito de Bydgoszcz, Cujávia-Pomerânia.
1520. Walerak, Walerek, Walerski, Walery, Wallerand, Wallerin, Walleron, Wallerowicz - patronímico dos nomes Walery (Valério em português) ou Walerian (Valeriano em português). Ou ainda, um toponímico referente à vila de Walery, município de Lelis, distrito de Ostroleka, Mazóvia, Polônia.
1521. Walkus, Walkusch, Walkusz, Walkuszewski - patronímico do nome Walenty (Valentim em português).
1522. Walau, Walow, Wallow, Walo, Walowy - toponímico referente ao município de Walow, distrito de Mecklenburgische Seenplatte, Mecklemburgo-Pomerânia, Alemanha.
1523. Walach, Walachiewicz, Walachowicz, Walachowski, Walaszek, Walaszewski, Walaszkiewicz, Walaszkowski, Walaszuk, Walaszyk, Walaszynski - cavalo castrado, castração; o profissional que realiza a castração de animais pastoris.
1524. Wancel, Wanclik, Wanclaw, Wansel, Wanslaw, Wanslawowicz, Wanslik, Wanzel, Wencel, Wensel, Wenzel, Wenselowski, Wenzelowski, Wecel, Wesel, Wezel, Wieclaw - patronímico do nome Wieceslaw (Venceslau em português).
1525. Wandaw, Wandowicz, Wandowski - de uma palavra lituana para água, onda da água, corrente d'água. Ou ainda, um toponímico referente à aldeia de Wanda, município de Mikstat, distrito de Ostrzeszow, Grande Polônia, Polônia.
1526. Wank, Wanka, Wanke, Wankewycz, Wankiewicz, Wanko, Wankowiak, Wankowicz, Wankowski, Wanski - patronímico do nome Waniek, uma forma polaca do nome russo Ivan (João em português).
1527. Warach, Warachewicz, Warachowicz, Warac, Waras, Warasek, Warasiecki, Warasz, Warras, Warsinski, Warsowicz - patronímico do nome eslavo Warcislaw ou Wartislaw (sem significado encontrado). Ou ainda, um toponímico referente à cidade de Warasz, região de Rivne, Ucrânia.
1528. Waranka, Warankiewicz, Waranko, Warankow, Warna, Warnak, Warnas, Warnasz, Warnat, Warnatz, Warnke, Warnkowski - corvo (Corvus corax). Figurativamente: o cabelo preto de tom profundo e reluzente. Pode também ser um patronímico.
1529. Warda, Warde, Wardach, Wardacki, Wardalacki, Wardalinski, Wardalski, Wardal, Wardala, Wardanowski, Wardanski, Wardas, Wardaszewski, Wardaszka, Wardaszko, Wardawy, Wardecki, Wardeka - canhoto.
1530. Wardenga - os bens de um proprietário; o gado de um criador; patrimônio rural de alguém.
1531. Wardin, Wardyn, Wardysnki - toponímico referente à aldeia de Wardyn (nome alemão Wardin), município de Choszczno, distrito de Choszczno, Pomerânia Ocidental, Polônia.
1532. Warecki, Warka, Warke - toponímico referente à cidade de Warka, distrito de Grojec, Mazóvia, Polônia.
1533. Warmiak, Warmijak, Warminski, Warmjak - toponímico referente à região histórica de Wármia (nome alemão Ermland) ou Vármia, que foi um ducado entre a Masúria (nome alemão Masuren) e a Prússia Superior (nome alemão Oberland), que existiu entre 1243 e 1772. Atualmente, a Wármia juntamente com a Masúria formam uma província (voivodia) da República da Polônia.
1534. Warnof, Warnow - toponímico referente ao município de Warnow, distrito de Nordwestmecklenburg, Mecklemburgo-Pomerânia; ou ao município de Warnow, distrito de Rostock, Mecklemburgo-Pomerânia; ambos na Alemanha.
1535. Warschau, Warschewski, Warszawa, Warszaw, Warszawer, Warszawiak, Warszawian, Warszawik, Warszawik, Warszawin, Warszawski, Warszewski, Warszinski, Warszowski, Warszow - toponímico referente à cidade de Warszawa (Varsóvia), a capital da República da Polônia.
1536. Warzak, Warzala, Warzani, Warzawa, Warzec - aquele que fabrica algo e em quantidade; fabricante; artesão.
1537. Wawrzon, Wawrzyk, Wawrzyn, Wawrzynczak, Wawrzynczyk, Wawrzynski - patronímico do nome Wawrzyniec (Lourenço em português).
1538. Was, Wasak, Wasek, Wasik, Wass - bigode.
1539. Weda, Wedda, Wedde, Wede, Wedekind, Wedeking - floresta, florestal, que procede da floresta.
1540. Weisbrod, Weisbrodt, Weisbrot, Weisbrott, Witbrodt, Witbrot, Wittbrod, Wittbrodt, Wittbrot - pão branco - um tipo de pão simples para consumo imediato.
1541. Weiss, Weisz - branco.
1542. Wejgand, Wigand, Wigandt, Wigant - patronímico do nome alemão Wiegand.
1543. Wejcherowski - toponímico referente à cidade de Wejherowo (nome alemão Neustadt in Westpreussen), distrito de Wejherowo, Pomerânia, Polônia.
1544. Welsand, Welsandt, Welsant, Welzant - patronímico de um grupo de nomes eslavos iniciados com o prefixo Wieli-, como Wielebor, Wielebyt, Wieledrog, Wielemir, Wielemysl, Wieleslaw, Wielewit, entre outros.
1545. Wendlad, Wendladt, Wendland, Wendlandt, Wendlant - a "terra dos wenden" - denominação histórica que remonta a Idade Média dada pelos povos germânicos aos eslavos ao oriente do rio Elba.
1546. Wer, Wera, Werowski, Werra - patronímico do nome Wera ou Wery (Verus em latim).
1547. Werd, Werda, Werdenski, Werder, Werdo, Werden, Werdom, Werdomi, Werdyn - toponímico referente a Werder - nome de lugar que se repete nove vezes na Alemanha e uma vez na Polônia.
1548. Wergin, Werginski, Wergina, Werginowicz, Werginowski, Wirgan, Wirganski, Wirganowicz, Wirganowski, Wirgin, Wirginski, Wirginowicz, Wirginowski - patronímico do nome Virginius (Virgínio em português).
1549. Werkos, Wirkus, Wirus, Wiruszewski, Wiruszynski - distrito, arrabalde, zona urbana ou suburbana relativamente afastada da área central; equivalente ao quartier francês.
1550. Wernitc, Wernitz - toponímico referente à aldeia de Wernitz, município de Gardelegen, distrito de Altmark Salzwedel, Saxônia-Anhalt, Alemanha.
1551. Weserling, Wesserling - toponímico referente ao rio Weser, na Alemanha, que nasce no Hesse e deságua no Mar do Norte em Bremerhaven.
1552. Westfalski, Westfahl, Westfal, Westfalewicz, Westfel, Westhal, Westlaf, Westphal, Westfalen, Westphalen, Westphald, Westpkal, Westwal, Westwall, Westwaleski, Weswalewski - vestfálio, procedente da Vestfália - região histórica da Alemanha. A Pomerânia recebeu importantes migrações de vestfálios nos séculos XV e XVIII.
1553. Wibant, Wibe, Wiber, Wibig - conhecido, afamado, notável, pessoa popular.
1554. Wic, Wica, Wick, Wicka, Wicke, Wicki, Wicling, Wicz, Wiczk, Wiczka, Wiczkiewicz, Wiczko, Wiczling - patronímico de um grande grupo de nomes como Witoslaw, Witomysl, Wincenty (Vicente em português), Wiktor (Vítor em português) ou Wieceslaw (Venceslau em português).
1555. Wichula, Wichulski - toponímico referente a aldeia de Wichulec, município de Bobrowo, distrito de Brodnica, Cujávia-Pomerânia, Polônia.
1556. Wieczor, Wieczorek, Wieczor - noite, noturno; profissional que trabalha à noite.
1557. Wieler, Wilarski, Wilary, Wiler, Wilert, Willart - aldeão. Ou ainda, um profissional que trabalha com peles.
1558. Wikland, Wiklendt, Wiklent - excomungado.
1559. Wilbrand, Wilbrandt, Wilbrant - patronímico do nome alemão Wilbrandt.
1560. Wilc, Wilcze, Wils, Wilsche, Wilsz - feltro, material peludo; profissional que trabalha com estes materiais. Ou ainda, derivado de um vocábulo do alto alemão para avarento.
1561. Wilczewski - toponímico referente a Wilczewo, que corresponde a quatro lugares na Polônia: um aldeia no município de Radomin, distrito de Golub-Dobrzyn, Cujávia-Pomerânia; uma aldeia no município de Stawiski, distrito de Kolno, Podláquia; um assentamento no município de Dziemiany, distrito de Koscierzyna, Pomerânia; uma aldeia no município de Mikolajki Pomorskie, distrito de Sztum, Pomerânia.
1562. Wilik, Wilike, Wilcke, Wilke - um título medieval que correspondia ao representante legal de um proprietário ou senhor feudal sobre uma determinada área de terras. Equivale ao título latino de villicus
1563. Wilk, Wilkan, Wilkaniec, Wilkans, Wilkanski, Wilke - lobo (Canis lupus). Pode também ser um patronímico do nome Wilk, cujo significado é o mesmo: lobo.
1564. Wilkanowski - toponímico referente aos seguintes lugares na Polônia: a aldeia de Wilkanowo, município de Mala Wies, distrito de Plock, Mazóvia; a aldeia de Wilkanow (nome alemão Wölfelsdorf), município de Bystrzyca, distrito de Klodzko, Baixa Silésia; a aldeia de Wilkanowo (nome alemão Wittgenau), município de Swidnica, distrito de Zielona Gora, Lubúsquia.
1565. Wilkowski - toponímico referente a Wilkowo - nome de lugar encontrado treze vezes na Polônia e uma vez na Ucrânia.
1566. Wincel, Wincze, Winczewski, Winczowski, Winzel - patronímico do nome Wincenty (Vicente em português).
1567. Winek, Winiarczuk, Winiarczyk, Winiarek, Winiarka, Winiarkiewicz, Winiarski, Winiarz, Winicki, Winiczenko, Winiczuk - vitivinicultor.
1568. Wiosla, Wioslo, Wioslowski - remo, remador.
1569. Wirchow, Wirchowiec, Wirchowski - toponímico referente a alguns nomes de lugar encontrados na Polônia nas seguintes situações: a aldeia de Wierzchowo (nome alemão Firchau), município de Czluchow, distrito de Czluchow, Pomerânia; a vila de Wierzchowo (nome alemão Virchow), município de Wierzchowo, distrito de Drawsko, Pomerânia Ocidental; a aldeia de Wierzchowo (nome alemão Wurchow), município de Szczecinek, distrito de Szczecinek, Pomerânia Ocidental; a aldeia de Stare Wierzchowo (nome alemão Sassenburg), município de Szczecinek, distrito de Szczecinek, Pomerânia Ocidental; a aldeia de Wierzchowko (nome alemão Juliushof), município de Wierzchowo, distrito de Drawsko, Pomerânia Ocidental.
1570. Wirowinski - toponímico referente à aldeia de Wyrowno (nome alemão Wirowen), município de Lipusz, distrito de Koscierzyna, Pomerânia, Polônia.
1571. Wirt, Wirtch, Wirtek, Wirth, Wirtt - estalajadeiro, taberneiro, anfitrião. Ou ainda, dono de uma casa.
1572. Wislocki, Wislok - toponímico referente ao rio Vístula (Wisla em polaco), o maior rio da Polônia, que nasce nos Beskides Ocidentais, na Alta Silésia, e deságua no Mar Báltico, próximo a Gdansk.
1573. Wiszowaty - erva daninha. Ou ainda, algo que está sobre uma falésia.
1574. Wit, Witt, Witta - branco.
1575. Witemberg, Witemberski, Witemborek, Witemborski - toponímico referente à Württemberg - região histórica da parte sul-ocidental da Alemanha, hoje parte do estado alemão de Baden-Württemberg.
1576. Witkow - toponímico referente à vila de Witkowo (nome alemão Vietkow ou Vitkow), município de Smoldzino, distrito de Slupsk, Pomerânia, Polônia.
1577. Wittstock, Wittstok - toponímico referente à cidade de Wittstock, distrito de Ostprignitz-Ruppin, Brandemburgo, Alemanha; e também à aldeia de Wysoka Gryfinska (nome alemão Wittstock), município de Gryfino, distrito de Gryfino, Pomerânia Ocidental, Polônia.
1578. Wizna, Wizner, Wiznier, Wizniak, Wiznicki, Wizniuk, Wiznowski - toponímico referente ao município de Wizna, distrito de Lomza, Podláquia, Polônia.
1579. Woelk, Woelke, Woelki, Woelky, Wölk, Wolka, Woyk, Woyke - patronímico do nome próprio do baixo alemão Wolter (Walter no alto alemão, Valter em português).
1580. Wohlfahrt, Wohlfart, Wohlgefahrt, Wolfhart, Wolfard, Wolfart, Wolfat, Wolhfahrt - patronímico do nome alemão Wolfhart (significa lobo forte).
1581. Woike, Woikie, Wojewski, Wojka, Wojke, Wojkie, Wojowski - patronímico do nome eslavo Wojciech (aquele que faz a alegria na luta).
1582. Wolemberg, Wolenberg, Wollenberg - toponímico referente a Wollenberg - nome de lugar que se repete seis vezes na Alemanha.
1583. Wolin, Woliniak, Woliniec, Wolinski - toponímico referente à cidade de Wolin (nome alemão Wollin), distrito de Kamien, Pomerânia Ocidental, Polônia.
1584. Wolszleger, Wolszlegier - batedor de lã.
1585. Woloch, Woloszyk - valáquio, procedente da Valáquia - região histórica no sul da Romênia.
1586. Wolow, Wolowski - toponímico referente à cidade de Wolow (nome alemão Wohlau), distrito de Wolow, Baixa Silésia, Polônia.
1587. Wons, Wonsak, Wonsch, Wonschik, Wonsik, Wonssik, Wonsikowski - bigode, bigodudo.
1588. Worms - toponímico referente à cidade e distrito de Worms, Renânia-Palatinado, Alemanha.
1589. Worzala, Worzalla - aquele que fabrica algo e em quantidade; fabricante; artesão.
1590. Woziwoda, Woziwodzki - carregador d'água, aquele que distribui água em uma localidade (antigo ofício medieval). Figurativamente: cavalo fraco, cavalinho.
1591. Wozniacki, Wozniak, Wozny - zelador; o responsável pela manutenção e conservação de um palácio, castelo ou edifício administrativo.
1592. Wresa, Wrese, Wreza, Wreze - frísio, procedente da Frísia - região histórica entre os Países Baixos e a Dinamarca no litoral do Mar do Norte.
1593. Wrona, Wronki, Wroniak, Wroniarczyk, Wroniarski, Wroniewicz, Wroniewski, Wronik, Wronikowski, Wronisz, Wroniszewski, Wronka, Wronkiewicz, Wronko, Wronkowski, Wrono, Wronowicz, Wronowski, Wronski, Wronczak, Wronsczyk - corvo (Corvus corax). Figurativamente: o cabelo preto de tom profundo e reluzente. Pode também ser um patronímico.
1594. Wrosch, Wrosz, Wroszman - patronímico do nome eslavo Wrocislaw (aquele que restaurou a glória).
1595. Wruck, Wruczynski, Wrug, Wruk, Wruka, Wrukowski - couve-nabo (Brassica napus). Ou ainda, briga, brigador, lutador.
1596. Wtorek, Wtorkiewicz, Wtorkowski - terça-feira.
1597. Wybenda, Wybeda, Wybicki, Wybig - conhecido, afamado, notável, pessoa popular.
1598. Wyczk, Wyczka, Wyczkowski, Wyczling, Wyczlinski - patronímico de um grande grupo de nomes como Witoslaw, Witomysl, Wincenty (Vicente em português), Wiktor (Vítor em português) ou Wieceslaw (Venceslau em português).
1599. Wykland, Wyklandt, Wyklent, Wyklet - excomungado. 
1600. Wyrowisnki - toponímico referente à aldeia de Wyrowno (nome alemão Wirowen), município de Lipusz, distrito de Koscierzyna, Pomerânia, Polônia.
1601. Wyrt, Wyrtek, Wyrtha, Wyrtki, Wyrtykowski - estalajadeiro, taberneiro, anfitrião. Ou ainda, dono de uma casa.
1602. Zablotni, Zablotnia, Zablotniak, Zablotnik, Zablotny - lama, pântano.
1603. Zafir, Zafira, Zafiri, Zafirys - safira. Referência à cor dos olhos ou genericamente a profissão de joalheiro ou polidor de gemas preciosas.
1604. Zajac, Zajaczek, Zajaczewski, Zajaczkiewicz, Zajaczkowic, Zajaczkowicz, Zajaczkowski, Zajaczowski, Zajko, Zajkowicz - lebre-europeia (Lepus europaeus).
1605. Zajda, Zejda - toponímico referente à cidade de Sayda, distrito de Chemnitz, Saxônia, Alemanha.
1606. Zamek - castelo.
1607. Zamosna, Zamosny, Zamostna, Zamostny, Zamostowski, Zamoscik - ponte. Ou ainda, rico, riqueza.
1608. Zander, Zanderer, Zander, Zanderski, Zandrejko, Zandrowicz - patronímico do nome Aleksandr (Alexandre em português).
1609. Zareba, Zarebski, Zaremba, Zarembecki, Zarembik, Zarembinska, Zarembiuk, Zarembka, Zarembkiewicz, Zarembo, Zarembowicz, Zarembowski, Zarembski, Zarembuk, Zaremski, Zarenba, Zarebczan, Zarebczyn, Zareczarz, Zarebiak, Zarebicki, Zarebiec, Zarebinski, Zarebiuk, Zarebka, Zarebkiewicz, Zarebo, Zarebowicz, Zarebowski, Zarebski, Zarebuk, Zarembski - uma denominação para famílias ou áreas feudais na Idade Média que estavam sob um brasão de armas Zaremba. Informações no artigo original da Wikipédia em polonês: https://pl.wikipedia.org/wiki/Zaremba_(herb_szlachecki)
1610. Zastawna, Zastawnik, Zastawny, Zastawski, Zastawy - credor pignoratício, contrato pignoratício.
1611. Zastrau, Zastrow, Zastrowski - toponímico referente à aldeia de Zaostrow (nome alemão Zastrau), município de Slupia, distrito de Konskie, província de Santa Cruz, Polônia.
1612. Zauer - azedo.
1613. Zawadzki, Zawatski - toponímico referente a Zawada - mais de 100 topônimos na Polônia.
1614. Zawrotna, Zawrotnik, Zawrotny - porteiro, portão; portão de um burgo. Ou ainda, vertiginoso.
1615. Zborowski, Zborowskie - toponímico referente a duas aldeias na Polônia: Zborowskie (nome alemão Sorowski), município de Ciasna, distrito de Lubliniec, Silésia; Zborowskie, município de Zdunska Wola, distrito de Zdunska Wola, província de Lodz.
1616. Zdrojek, Zdrojeski, Zdrojewski, Zdrojk, Zdrojko, Zdrojkowski, Zdrojowa, Zdrojowski, Zdrojowy, Zdrojkowski, Zdrujkowski - fonte abundante, nascente volumosa. Ou ainda, um toponímico referente à aldeia de Zdroje (nome alemão Finkenwalde), município de Szczecin, distrito de Prawobrzeze, Pomerânia Ocidental, Polônia.
1617. Zebzda - flato, flatulência, mau cheiro.
1618. Zeigengagen, Ziegenhagen - toponímico referente a Ziegenhagen - nome de lugar que se repete quatro vezes na Alemanha.
1619. Zelc, Zelcer, Zelcz, Zelczer, Zels, Zeltzer - linha de pesca; o ofício do pescador.
1620. Zelin, Zeliszak, Zeliszek, Zelk, Zelka, Zelke, Zelkowicz, Zelkowski, Zell, Zella, Zellek, Zelich, Zelik - denominação a diversos tipos de fungos da família Helicogoniaceae. Ou ainda, um tipo de geleia levemente endurecida típica dos países eslavos.
1621. Zemka, Zemke, Zemko, Zymek, Zymka, Zymkowski - porteiro, mordomo de uma casa feudal, serviçal que cuida da casa de um nobre.
1622. Ziebro, Ziobro, Zebro, Zebrowski - costela (parte do corpo humano).
1623. Ziegardt, Ziegart - cabra forte. Diz-se de uma variedade de caprinos rústicos procedentes da Ásia Central.
1624. Zieger, Ziegert, Zigiert - criador de cabras, pastor de caprinos.
1625. Zielenski, Zielinski - toponímico referente a uma diversidade de locais na Europa Oriental que tem como prefixo Zieli-. Aproximadamente mais de 60 topônimos.
1626. Zielonka, Zielonko, Zielonkowski, Zielonski, Zielowski - uma espécie de cogumelo comestível (Tricholoma equestre). Ou ainda, um toponímico referente a Zielonka - nome de lugar que se repete mais de 40 vezes na Polônia e Lituânia, somadas.
1627. Zielony - um tipo de forragem verde para animais. Ou tão somente verde.
1628. Zieman, Ziemann, Ziemian, Ziemianin, Ziman - proprietário de terra, latifundiário. Denominação usada para indicar um integrante nativo da classe agrária de uma região. Isto é, aquele que não foi assentado, mas pertence à uma família há muito estabelecida.
1629. Zielke, Zielkie - charneca.
1630. Zier, Ziera, Zierke, Zira, Zirra - preguiçoso. Ou ainda, alguém de nádegas magras.
1631. Zima, Zimach, Zimacki, Zimak, Zimakiewicz, Zimniak, Zimnik, Zimnioch, Zimnoch, Zimny - inverno, frio, gelado.
1632. Ziep, Ziper, Zipper - patronímico do nome Cyprian (Cipriano em português).
1633. Ziterman - alfaiate.
1634. Zlosz, Zloch, Zlochowski, Zloski - raiva, raivoso.
1635. Zmud, Zmuda - patronímico do nome polaco Zmuda.
1636. Znajda, Znajdecki, Znajdek, Znajder, Znajdowicz, Znajdowski, Znaj, Znajduk, Znajdzinski - aquele que foi criado pela mãe, aquele de quem se conhece a mãe. Ou ainda, órfão de pai. Talvez: criança adotada.
1637. Zobek, Zobel, Zobela, Zobelak, Zop, Zopa, Zubel, Zubiel - marta-zibelina (Martes zibellina).
1638. Zub, Zuba, Zubacze, Zubaczek, Zubaczewski, Zubaczyk, Zubal, Zubala, Zube, Zubek, Zubiak, Zubich, Zubicz, Zubiena, Zubik, Zubko, Zubok, Zubor - corrente d'água, fluxo de um rio, corredeira, riacho, ribeiro. Ou ainda, dente, relevo dentado, picos irregulares numa paisagem.
1639. Zulewski - toponímico referente às aldeia de Sulewo-Kownaty e Sulewo-Prusy, ambas no município de Wasosz, distrito de Grajewo, Podláquia, Polônia.
1640. Zup, Zupa, Zuppa - assecla, discípulo, partidário.
1641. Zwara, Zwaron, Zwarowski, Zwarra - cervejeiro.
1642. Zwilich - um tipo de tecido de três fios fabricado de linho.
1643. Zysek, Zyser, Zysser - doce, dócil.
1644. Zaczkek, Zak, Zakiewicz, Zakowski - aluno, estudante. Ou ainda, um tipo de rede de pesca comum no Báltico.
1645. Zelewski - toponímico referente à aldeia de Zelewo (nome alemão Seelau), município de Luzino, distrito de Wejherowo, Pomerânia, Polônia.
1646. Zoraw, Zorawski, Zurawski, Zuraw - toponímico referente à cidade de Zary (nome alemão Sorau; nome antigo Zarow ou Zoraw), distrito de Zary, Lubúsquia, Polônia.
1647. Zur, Zura, Zure, Zurek, Zurka, Zurke, Zurko - sopa, alimento ácido em geral, azedo, coisa com acidez.
1648. Zyd, Zydowicz, Zydowiec, Zydow, Zydowo, Zydowski - pode estar associado a vários topônimos, entretanto, quer dizer judeu, judaico, local em que habitam os judeus, área dos judeus.
1649. Zynd, Zynda, Zyndel, Zyndol, Zyndowicz, Zyndul - "mar estreito", golfo, baía, porto natural.
1650. Zyszka, Zyszke, Zyszko, Zyszkiewicz, Zyszkowicz, Zyszkowski - patronímico dos nomes Zyroslaw ou Zygmunt.
1651. Zytna, Zytny, Zyto - centeio (Secale cereale).




















Sobrenomes pomeranos - Parte 10


Reproduzimos aqui em forma de lista os sobrenomes pomeranos pesquisados por Edward Breza, que incluem sobrenomes encontrados em suas pesquisas nas voivodias (províncias) polonesas da Pomerânia, Pomerânia Ocidental e Cujávia-Pomerânia, mas não sabemos dizer se incluem sobrenomes presentes no estado alemão de Mecklemburgo-Pomerânia. Vale lembrar que a antiga região da Pomerânia incluía territórios majoritariamente poloneses na atualidade e uma porção menor hoje pertencente a Alemanha. Há menos de 100 anos, toda essa região era ainda parte do Império Alemão e retornando ainda 200, 250 anos a Pomerânia fazia parte do Reino da Prússia (embrião da Alemanha moderna). Segue, pois, a lista simples dos sobrenomes pesquisados por Breza, de acordo com o pesquisador polonês Janusz Stankiewicz.

Para tanto, tomamos a liberdade de fazer alguns melhoramentos e adições para melhor compreensão dos leitores de língua portuguesa, principalmente fazendo uso das versões em língua alemã e língua polonesa da Wikipedia, assim como do Wikcionário também das respectivas línguas. Também fizemos uso do Dicionário Geográfico do Reino da Polônia e outros países eslavos (no original polonês Slownik geograficzny Królestwa Polskiego i innych krajów slowianskich). 

Edward Breza (nasc. 1932) é professor emérito de Humanidades da Universidade de Gdansk, na Polônia. Com formação em Filosofia e Teologia e mestrado em Filologia. Suas principais áreas de estudo constituem a história da língua polonesa, linguagem, onomástica, dialetologia, especialmente sobre as etnias cassúbia e pomerana. Dentre suas várias obras sobre Onomástica, destaca-se Os Nomes dos Pomeranos - Origem e Mudança (no original polonês Nazwiska Pomorzan - Pochodzenie i Zmiany)de 2001, publicada pela própria universidade em que leciona, que lhe valeu um prêmio especial do Ministério da Cultura da Polônia. Breza também é membro do Comitê Internacional de Onomástica.

1234. Sabat, Sabatarz, Sabath, Sabatka, Sabatnik, Sabatta - sábado.
1235. Sabis, Sabisch, Sabisiak, Sabisz - patronímico dos nomes polacos Sobierad (feliz, disposto, apreciável, estimável), Sobiemir (alegre paz), Sobieslaw (fama feliz), Sobiezyr (vida feliz). Pode ainda ser uma patronímico curto de qualquer nome masculino com o prefixo Sabisz ou Sobisz, bem como indicar um toponímico referente a uma grande diversidade de locais que tenham estes prefixos.
1236. Saj, Saja, Sajak, Sajan, Sajar, Sajat, Sajda, Sajek, Sajenko, Sajewicz, Sajewski, Sajka, Sajkiewicz, Sajokowicz, Sajkowski - de um termo cassúbio para canhoto. Ou ainda, um patronímico do nome Izajasz (Isaías em português).
1237. Sak, Sakiewicz, Sakowicz, Sakowski, Sakwa - saco, um fabricante de sacos para cereais.
1238. Salata, Salatek, Salatko, Salatowicz, Salatycki, Solata, Solatycki, Solatynski, Sulatycki - alface (Lactuca sativa), figurativamente o ofício de horticultor. Ou ainda, um toponímico referente à aldeia de Salata, município de Smykow, distrito de Konskie, província de Santa Cruz, Polônia.
1239. Samek, Samkiewicz, Samko, Samkowa, Samkowicz, Samkowski, Sankow, Sampson, Sams, Samsek, Samsel, Samselski, Samsik, Samsionek, Samsol, Samsik, Samsionek, Samson, Samsonik, Samsoniuk, Samsonowicz, Samsonowski - patronímico dos nomes eslavos Samek (Samuel em português) ou Samson (Sansão em português).
1240. Sander, Sandera, Sanderski - patronímico do nome Aleksander (Alexandre em português).
1241. Sap, Sapa, Sapacz, Sapak, Sapala, Sapalo, Sapiecha, Sapiecho, Sapiega, Sapiego, Sapieha, Sapiej, Sapieja, Sapiel, Sapiela, Sapiello, Sapig, Sapiga, Sapija, Sapior, Sapir, Sapis, Sapka, Sapke, Sapkiewicz, Sapko, Sapkowski, Sapuch, Schapke - pieira - som produzido pela dificuldade de respirar de pessoas doentes; uma pessoa com pieira. Ou ainda, alguém que recolhe seiva (de árvores), um extrativista vegetal de resinas.
1242. Sapor, Saporek - saboroso, gostoso. Ou ainda, um tipo de molho espesso e picante da culinária polaca.
1243. Sapowski - toponímico referente à aldeia de Sapowice, município de Steszew, distrito de Poznan, Grande Polônia, Polônia.
1244. Saran, Saranek, Sarankiewicz, Saranowicz, Saranczak, Saranczuk, Saranczyk, Saranski, Saren, Sarn, Sarna, Sarnacki, Sarnaki, Sarnakowski, Sarnal, Sarnall, Sarnas, Sarnau, Sarne, Sarnecki, Sarniach, Sarniak, Sarnian, Sarnicki, Sarnin, Sarniok, Sarnoch, Sarnowski, Scharn, Scharna, Scharnau, Scharnik, Schormak, Schornack, Schorniak, Szarnack, Szarnacki, Szarnak, Szarnas, Szarnecki, Szarnel, Szarner, Szarnewski, Szarniach, Szarniak, Szarnicki, Szarnowski, Szorn, Szornal, Szornel, Szorniak - veado-vermelho (Cervus elaphus). Pode ainda estar associado a mais de 100 topônimos na Europa Oriental.
1245. Sarnau, Sarnow, Sarnowski, Scharnau - toponímico referente a Sarnowo - nome de lugar que se repete dezesseis vezes na Polônia.
1246. Sauer - azedo.
1247. Sauerbier - cerveja azeda.
1248. Sauerland - terra azeda.
1249. Sauerman, Sauermann - homem azedo.
1250. Sauerwein - vinho azedo, vinagre.
1251. Sawacki - patronímico do nome eslavo Zawadzki (significado aquele que põe obstáculo). Ou ainda, um toponímico para Zawada - nome de lugar que se repete cerca de 50 vezes na Polônia e uma vez na República Tcheca.
1252. Sayda, Seida, Sejda, Seyda - toponímico referente à cidade de Sayda, distrito de Mittelsachsen, Saxônia, Alemanha. Ou ainda, ocupante, alguém que se estabeleceu, alguém que ficou, colono, assentado. Por fim, um patronímico do nome eslavo Zawid (significado não encontrado).
1253. Schaar, Schar - a lâmina de um arado.
1254. Schal, Schalewski, Schalicki, Schalk, Schalko, Schalkowski, Schall, Schaller, Schally, Schell, Schella - maluco, doido. Ou ainda, vesgo, estrábico.
1255. Schapira, Schapiro, Schapirko, Szafir, Szafirko, Szafiro, Szafirowicz, Szafirski, Szafirszejn, Szafirsztein, Szafirt, Szapirko, Szapiro, Szapirowski - safira (pedra preciosa). Referência à cor dos olhos. Pode também designar um joalheiro.
1256. Scharfenberg, Szarfemberg, Szarfenberg, Szarfeberg - toponímico referente à aldeia de Bystra (nome alemão Scharfenberg), município de Pruszcz Gdansk, distrito de Gdansk, Pomerânia, Polônia.
1257. Schefka - algo curvo, pessoa curva; ou ainda, vesgo.
1258. Schenk, Schenker, Schenkier - copeiro, estalajadeiro.
1259. Schischke - cone.
1260. Schlage, Schlagowski - toponímico referente ao assentamento florestal de Szlaga, município de Lubichowo, distrito de Starogard, Pomerânia, Polônia.
1261. Schlauer - bonito, astuto.
1262. Schmaltz, Schmalz, Schmalzer, Schmejter, Schmelcer, Schmelter, Schmelterowski, Schmelz, Schmiolt, Schmult, Schmulta, Schmultowa, Smalc, Smalec, Smalecki, Szmalc, Szmalec, Szmaltan, Szmalter, Szmaltowski, Szmalz, Szmelcer, Szmelcman, Szmelcuch, Szmelcych, Szmelcyrz, Szmelczerczyk, Szmelczyk, Szmelter, Szmelterowski, Szmolda, Szmolter, Szmolda, Szmulta - gordura, banha, banha de porco. Um comerciante de banha de porco ou banha animal. Também pode indicar alguém gordo.
1263. Schmuda, Schmudanowski, Schmude, Smuda, Szmuda, Szmudanowski, Szmude, Szmudonowski, Szmudt, Szmudziak, Szmudzinski - patronímico do nome polaco Zmuda (significado fatigante, penoso, chato). Ou ainda, um toponímico referente à vila de Zmuda, município de Lututow, distrito de Wieruszow, província de Lodz, Polônia.
1264. Schmukalla, Smukalla, Smukalski, Smukala - carinhoso.
1265. Schnaase, Schnase, Sznase, Sznasza, Sznaza - de origem cassúbia. Pleno, cheio, grande, saudável, bem nutrido.
1266. Schock, Schoczyk, Schok, Szok - feno.
1267. Schoen, Schoener - belo, bonito.
1268. Schoenhoff, Schönhofer, Schönhoff, Schönhof-Wilkans - toponímico referente ao assentamento de Wislawa (nome alemão Schönhof), município de Maszewo, distrito de Goleniow, Pomerânia Ocidental, Polônia; ou ao assentamento de Lipowy Dwor (nome alemão Schönhof), município de Milki, distrito de Gizycko, Wármia-Masúria, Polônia.
1269. Schoenknecht, Schönknecht, Szenknecht - belo servo.
1270. Scholc, Scholtis, Scholtz, Scholz, Schulc, Schulce, Schulfer, Schult, Schulta, Schulte, Schulting, Schultis, Schultka, Schultke, Schulz, Schulze, Szolc - equivalente ao Schulze alemão, isto é, o prefeito de uma comunidade rural.
1271. Schomek, Schonek - toponímico referente à cidade de Skarszewy (nome alemão Schoeneck in Westpreussen), distrito de Starogard, Pomerânia, Polônia. Ou ainda, a aldeia de Sojkowo (nome alemão Schoeneck), município de Inowroclaw, distrito de Inowroclaw, Pomerânia Ocidental, Polônia.
1272. Schön, Szemer, Szen, Szenek - belo.
1273. Schönbeck, Szembek - toponímico referente à aldeia de Dzwonowo (nome alemão Schönebeck), município de Marianowo, distrito de Starogard, Pomerânia, Polônia.
1274. Schönnagek, Schönnogel, Szenagel - belo prego, bela unha. Figurativamente, o ferreiro de peças delicadas ou um ourives.
1275. Schönrock, Szenroch, Szernrok - bela pedra ou belo casaco.
1276. Schrak, Schrok - medonho, assustador.
1277. Schreder, Schreeder, Schroder, Schröder, Schroeder, Schroeler, Schroter, Schrotter, Schrödter, Schrotter, Schröter - alfaiate.
1278. Schur, Schura, Schurkowski - pardo, da cor de um rato pardo.
1279. Schusler, Schuster - sapateiro.
1280. Schut, Schuth, Schutt, Siut, Siuta - lufada. Figurativamente: um queijeiro que produz queijos com buracos. 
1281. Schwab, Schwaba, Schwabe - suábio, procedente da Suábia (região da Alemanha).
1282. Schwabach, Szwabach - procedente do antigo condado bávaro de Schwabach, que existiu da Idade Média até 1862.
1283. Schwartzwald, Schwarzwald, Szwarcwald - toponímico amplo, que remete imediatamente à região da Floresta Negra (Schwarzwald), na Alemanha, porém pode corresponder também a um município na Turíngia (Alemanha), a 19 topônimos na Polônia, dois topônimos na Ucrânia e um na República Tcheca.
1284. Schwengel, Szwengler - fabricante de sinos.
1285. Schwerin - toponímico referente à cidade de Schwerin, capital do estado alemão de Mecklemburgo-Pomerânia. Ou ainda, referente à cidade de Skwierzyna (nome alemão Schwerin an der Warthe), distrito de Miedzyrzecz, Lubúsquia, Polônia.
1286. Schwoch, Schwochert - fraco, frágil.
1287. Sciesinski, Scislicki, Scislowicz, Scislowski, Scisly - rigoroso, forte, consistente. Ou ainda, infértil, pobre, mesquinho.
1288. Sebzda - flato, flatulência.
1289. Seglitz - toponímico referente à aldeia e ao canal de Zeglica (nome alemão Seglitz), município de Gryfino, distrito de Szczecin, Pomerânia Ocidental, Polônia.
1290. Seide - seda, comerciante de seda.
1291. Sekal, Sekala, Sekalski - centeio (Secale cereale).
1292. Selaf, Selau - toponímico referente à vila de Zelewo (nome alemão Seelau), município de Luzino, distrito de Wejherowo, Pomerânia, Polônia.
1293. Selkie, Selka, Selke, Selkowicz, Selkowski, Sell, Sellin, Sellka - toponímico referente a um grande número de lugares na Europa Oriental que iniciam com os prefixos Zeli-, Zelin- ou Zelek-. São cerca de 90 aldeias, vilas, municípios e distritos entre Polônia, República Tcheca, Ucrânia e Rússia.
1294. Selkonka, Selonka, Selonke - patronímico do nome próprio eslavo Sulek (significado não encontrado).
1295. Selin, Sellin - toponímico referente a Selin - lugar não identificado na Pomerânia, Polônia.
1296. Selzer - linha de pesca. É de origem cassúbia.
1297. Semka, Semke, Semkiewicz, Semko, Semkow - patronímico do nome eslavo Siemek (significado bem-vindo).
1298. Sereda, Seredejko, Sereden, Serediak, Seredin, Seredina, Serediuk, Seredjuk - quarta-feira.
1299. Seroka, Soroka, Sroka, Srokaczewski, Srokal, Srokalski, Srokasz, Srokaszewski, Srokata, Srokaty, Srokocz, Srokol, Srokorski, Srokos, Srokowski - pega (gênero Pica), um tipo de pássaro.
1300. Sedzicki - toponímico referente a Sedzice, que corresponde aos seguintes lugares na Polônia: uma aldeia no município de Zawonia, distrito de Trzebnica, Baixa Silésia; uma aldeia no município de Wroblew, distrito de Sieradz, província de Lodz; uma aldeia no município de Biskupiec, distrito de Nowe Miasto, Wármia-Masúria.
1301. Sidowicz, Sidowski, Siedow, Sydow, Sydowicz - toponímico referente a Zydowo (nome alemão Sydow) - nome de lugar encontrado nove vezes na Polônia: uma na Cujávia-Pomerânia; uma na Lubúsquia; uma na Wármia-Masúria; quatro na Grande Polônia; duas na Pomerânia. Ou ainda, um toponímico relacionado à repartição de Zydowce (nome alemão Sydowsaue), município de Szczecin, distrito de Prawobzerze, Pomerânia Ocidental, Polônia.
1302. Sieloff, Sielow, Sielowski - toponímico referente à cidade de Ludorf (nome antigo Zielow ou Sielow), distrito de Mecklenburgische Seenplate, Mecklemburgo-Pomerânia, Alemanha. Ou ainda, correspondente à aldeia de Zielow (nome alemão Sielow), município de Jaworowski, região de Lviv, Ucrânia.
1303. Sierocinski, Sierociuk, Sierocki, Sierodzki, Sierotka, Sierotkiewicz, Sirocki, Sirodzki, Sirotzki, Sirota, Syrota, Syrotnik - órfão.
1304. Sildath, Sildatka, Sildatke, Sildatki, Syldak, Syldatek, Syldath, Syldatk, Syldatke - próprio da área cassúbia, significa soldado.
1305. Simon, Simona, Simons, Simonsen, Simonski, Simonsson - patronímico do nome polaco Szymon (Simão em português).
1306. Sinak, Sinakiewicz, Sinakowicz, Syn, Synaczek, Synak, Synakiewicz, Synakowski, Synala - filho.
1307. Sit, Sita, Sitak, Sitar, Sitarek, Sitarz, Sitasz, Sitaz, Sitek, Sito, Sittek, Sitke, Sitko, Sittke, Sittko - peneira (um instrumento agrícola); mais também muito provavelmente uma denominação para juncos (gênero Juncus) ou artesão que usa como matéria-prima o junco. 
1308. Sitterle, Sitterlee, Sitterlef, Sitterlle - alfaiate.
1309. Skaja, Skajewski, Skajkowski - provocação, cobiça.
1310. Skal, Skala, Skale - escala, escada, as diferentes camadas habitáveis de uma colina ou montanha.
1311. Skelnik, Skiellnik, Skieknik - toponímico referente à aldeia de Kielno (nome cassúbio Czelno), município de Szemud, distrito de Wejherowo, Pomerânia, Polônia.
1312. Skiba, Skibba, Skibe, Skibo - pedaço, rincão, parte de um lugar ou de uma jurisdição.
1313. Skierk, Skierka, Skierkiewicz, Skierkowski, Skirka, Skirkiewicz, Skirkowski - faísca, a menor partícula de algo.
1314. Skock, Skocke, Skocki, Skok, Skoka, Skokowski - a erosão causada pelas águas subterrâneas numa área do relevo ou mesmo o gotejamento causado por causa destas águas. Ou ainda, alguém que sofreu um acidente vascular cerebral. Bem como, a parte de cima do pé (peito do pé).
1315. Skoczek, Skoczka, Scoczke, Skoczkowski, Skrzyp, Skrzypiec, Skrzypietz - cavalinha (gênero Equisetum).
1316. Skwiercz, Skwierkowski - grilo (família Gryllidae). Ou ainda, ovo minúsculo de galinha, ovinho de ave selvagem.
1317. Slazik, Slazinski, Slazyk, Slazewicz, Slazynski - malva (gênero Malva). Ou ainda, o quarto estômago de animais ruminantes.
1318. Slawna, Slawniak, Slawnicz, Slawniewicz, Slawny - famoso, conhecido. Ou ainda e mais provavelmente um toponímico referente aos seguintes locais na Polônia: a cidade de Slawno (nome alemão Schlawe), distrito de Slawno, Pomerânia Ocidental; ao município de Slawno (nome antigo Jankow), distrito de Opoczno, região de Lodz; a aldeia de Slawno (nome latino Zlauno), município de Wolanow, distrito de Radom, Mazóvia; ao assentamento de Slawno (nome alternativo Mankowo), município de Wrzesnia, distrito de Wrzesnia, Grande Polônia; a aldeia de Slawno, município de Kiszkowo, distrito de Gniezno, Grande Polônia. Também está associado à aldeia de Slawna, município de Zborowski, distrito de Ternopil, Ucrânia.
1319. Slodki - doce, dócil.
1320. Sloma, Slomak, Slomczewski, Slomczyk, Slomczynski, Slomek, Slomian, Slomianna, Slomiany, Slomion, Slomka, Slomko, Slomkowski, Slomonski, Slomowski, Slomski, Slominski, Slominsky - palha. Ou ainda, um toponímico referente a Slomin: uma aldeia no município de Wyszogrod, distrito de Plock, Mazóvia; uma aldeia no município de Raszyn, distrito de Pruszkow, Mazóvia.
1321. Slowik, Slowikowski - rouxinol (Megarhyncos luscinia). Ou ainda, um toponímico referente a Slowik: uma aldeia no município de Zgierz, distrito de Zgierz, província de Lodz; uma aldeia no município de Siewierz, distrito de Bedzin, Silésia; uma aldeia no município de Poczesna, distrito de Czestochowa, Silésia; uma aldeia no município de Sitkowka-Nowiny, distrito de Kielce, província de Santa Cruz; todos na Polônia. Também pode estar relacionado a aldeia de Slowikowo, município de Orchowo, distrito de Slupca, Grande Polônia, Polônia. 
1322. Smant, Smantek, Smantoch, Sment, Smentek, Smentewicz, Smentoch, Smentowski, Smet, Smetoch - triste.
1323. Smedles, Smidl, Smydmes, Szmidl, Szufla, Szuflinski - alças de uma panela, balde, tigela. Ou ainda, uma espécie de pão trançado típico dos povos eslavos. Também pode denominar um criador de ovinos de cornos encurvados.
1324. Smekcinski, Smekczysnki, Smekot, Smekta, Smektalski, Smektala - colo, beijo, coisa que protege, ou ainda, derrame.
1325. Smetana, Smietana, Smietanka, Smietanko - borboleta (ordem Lepidoptera). Ou ainda, um tipo de creme de leite.
1326. Smoczek, Smoczyk, Smoczynski, Smok - dragão.
1327. Smogor, Smogora, Smogorowski, Smogorzewski, Smogura - turfa.
1328. Smokowski - toponímico referente aos seguintes lugares na Polônia: a aldeia de Smokowo (nome alemão Drachenstein), município de Ketrzyn, distrito de Ketrzyn, Wármia-Masúria; a aldeia de Smokowo, município de Stezyca, distrito de Kartuzy, Pomerânia; o assentamento de Smokowice, município de Legnica, distrito de Legnica, Baixa Silésia.
1329. Smolak, Smolar, Smolarz, Smolen, Smolnik, Smolorz, Smoluch - profissional que extrai ou comercializa alcatrão.
1330. Smycz, Smyczek, Smyczka, Smyczkiewicz, Smyczko, Smyczkow, Smyczynski, Smyk, Smyka, Smykla - sobrenome de amplo significado. Pode corresponder à criança, jovem; arco (muitos significados profissionais ou geográficos); copo, taça; violino; canoa; haste do violino; cordas de um instrumento musical ou profissional.
1331. Snasa, Snaz, Snazyk, Snozik, Snoznik - de origem cassúbia. Pleno, cheio, grande, saudável, bem nutrido.
1332. Sobanski - toponímico referente à aldeia de Sobacz, município de Liniewo, distrito de Koscierzyna, Pomerânia, Polônia.
1333. Sobis, Sobisch, Sobisiak, Sobisz, Sobiszek, Sobiszewski - patronímico dos nomes polacos Sobierad (feliz, disposto, apreciável, estimável), Sobiemir (alegre paz), Sobieslaw (fama feliz), Sobiezyr (vida feliz). Pode ainda ser uma patronímico curto de qualquer nome masculino com o prefixo Sabisz ou Sobisz, bem como indicar um toponímico referente a uma grande diversidade de locais que tenham estes prefixos.
1334. Sobol, Sobolczak, Sobolczyk, Sobolen, Sobolenski, Sobolew, Sobolewski, Soboli, Sobolik, Sobolinski, Soboll, Sobolnicki, Sobolowski, Soboluk, Sobolka, Sobolkiewicz, Sobola - marta-zibelina (Martes zibellina). Ou ainda, um toponímico relacionado aos seguintes lugares: o município de Sobolew, distrito de Garwolin, Mazóvia; a aldeia de Sobolow, município de Lapanow, distrito de Bochnia, Pequena Polônia; a aldeia de Sobolew, município de Firlej, distrito de Lubartow, província de Lublin; a aldeia de Sobolewo, município de Suprasl, distrito de Bialystok, Podláquia; a aldeia de Sobolew, município de Wadroze Wielkie, distrito de Jaworo, Baixa Silésia; a aldeia de Sobolewo, município de Klukowo, distrito de Wysokie, Podláquia; a aldeia de Sobole, município de Ulan-Majorat, distrito de Radzynsk, província de Lublin; todos na Polônia.
1335. Sobota, Sobotka, Sobotko, Sobotowski, Sobotski, Sobotta, Sobottka, Sobocki, Sobodka - sábado.
1336. Socha, Sochaj, Sochal, Sochala, Sochalec, Sochalski, Sochan, Sochanek, Sochanowski, Sochanski, Sochon, Sochowski - espécie de arado duplo.
1337. Sodom, Sodoma - referência à cidade bíblica de Sodoma, destruída por Deus devido à vida pecaminosa de seus habitantes. A origem deste sobrenome é obscura.
1338. Sohr - seco, exausto, impotente. Provavelmente uma denominação para característica do relevo.
1339. Sohr, Sohra, Sohre, Sor, Sora - toponímico referente ao município de Zary (nome alemão Sohr), distrito de Zary, Lubúsquia, Polônia.
1340. Som, Soma, Somczak, Somczuk, Somczyk, Somiak, Somik, Sominczyk, Somionka, Somka, Somke, Somko, Somkowicz, Somkowski, Somm, Sum, Sumczyk, Sumczynski, Sumecki, Sumek, Sumela, Sumicki, Sumicz, Sumiec, Sumien, Sumienski, Sumierz, Sumiga, Sumila, Sumilo, Suminski, Sumionka, Summ - bagre (ordem Siluriformes). Ou ainda, um toponímico referente aos seguintes locais na Polônia: a aldeia de Sumina (nome alemão Summin), município de Lyski, distrito de Rybnik, Silésia; a aldeia de Sominy, município de Studzienice, distrito de Bytow, Pomerânia; a aldeia de Sumin - toponímico que se repete onze vezes no país: três na Cujávia-Pomerânia, três na Pomerânia, três na província de Lublin, uma na Wármia-Masúria, uma na Grande Polônia.
1341. Sominskie, Sominsky - toponímico referente aos lugares Sominy (três locais) e Sumin (onze locais) na Polônia.
1342. Somnicki, Somnitz - guincho, guindaste. Ou ainda, morango (gênero Fragaria).
1343. Sopot, Sopota, Sopotnicki, Sopotowicz, Sopott, Sopotuch - toponímico referente a Sopot (nome alemão Zoppot), uma cidade no distrito de Sopot, Pomerânia, Polônia. Entretanto, enquanto nome de lugar, Sopot também é documentado duas vezes na Albânia, duas vezes na Bulgária, uma vez na Sérvia, Macedônia, Croácia e Romênia, cada. Também duas vezes na Ucrânia e  designa um rio da Europa Oriental e um tipo de barco de carga. Sopot significa aproximadamente fluxo d'água rápido, corrente rápida.
1344. Soss, Szos, Szoski - estrada ou local em que se pagam impostos, posto de recolhimento fiscal.
1345. Splet, Spletter, Split, Spliter, Splitter, Splitt - fabricante de telhas.
1346. Spohr, Sporn, Sporrer, Spors - esporão, espora, aguilhão.
1347. Sponka - garra de pássaro.
1348. Sprawka, Sprawski - pessoa de má conduta ou de mau comportamento.
1349. Sprengel - aspersão. Refere-se ao trabalho em uma eira.
1350. Spritula, Spritulla, Sprytula - talentoso.
1351. Sprytny - astuto, inteligente.
1352. Stade, Staden, Stadie - um porto ou baía de um mar, rio ou lago. Também pode ser um toponímico relacionado à cidade e distrito de Stade, Baixa Saxônia, Alemanha.
1353. Stajnborn, Steinborn - toponímico referente à aldeia de Slupia (nome alemão Steinborn), município de Debrzno, distrito de Czluchow, Pomerânia; e também à aldeia de Kamionka (nome alemão Steinborn), município de Opole Lubuskie, distrito de Opole, província de Lublin; ambas na Polônia.
1354. Stancel, Stanek, Staniek, Stanilaw, Stanke, Stankiewicz, Stankowicz, Stanzel, Stankiewicz, Stanko, Stankowski, Stencel, Stenzel, Strankiewicz, Strankowski, Sztanek, Sztranek - patronímico do nome polaco Stanislaw (significado aquele que se tornou famoso). É um dos nomes masculinos mais populares na Polônia.
1355. Stangor, Stangora, Stangorra, Stangorska - patronímico do nome polaco Stanibor ou Stanigor (significado aquele que é famoso guerreiro).
1356. Stanislawski - toponímico referente à aldeia de Stanislaw Dolny, município de Kalwaria Zebrzydowska, distrito de Wadowice, Pequena Polônia; e também à vila de Stanislawie (nome alemão Stenzlau), município de Tczew, distrito de Tczew, Pomerânia; ambas na Polônia.
1357. Stargard, Starogard, Starogardzki - toponímico referente ao assentamento de Starogard (nome alemão Stargordt ou Stargord), município de Resko, distrito de Lobez, Pomerânia Ocidental; e também à cidade de Starogard Gdanski (nome alemão Preussisch Stargard), distrito de Starogard, Pomerânia; ambos na Polônia.
1358. Starost, Starosta, Starostecki, Starostienko, Starostin, Starostina, Starostka, Starostowicz, Starostowski, Staroszczak, Staroszczik, Staroszczuk, Staroszczyk, Staroszik, Staroszko, Starosciak, Staroscik, Staroscin, Staroscinski, Starosciuk - governador, um oficial real presente desde o século XIV na história do Reino da Polônia e do Grão-Ducado da Lituânia, podendo ser o administrador de uma província, um magistrado judicial ou um arrendatário de terras reais. Mormente, o termo é usado para um governador de distrito, isto é, de uma região. O sobrenome também pode ser associado como toponímico relacionado a um lugar que tenha o prefixo Staros - no caso da Polônia, são mais de vinte locais diferentes.
1359. Stawny - quem vive sobre uma lagoa, morador de uma palafita.
1360. Stefan, Stefanowski, Stefans, Stefansson, Stefanus, Stefanski - patronímico do nome Stefan (Estéfano em português).
1361. Stein, Steina, Steine, Steiner, Steinert, Steinke, Steinko, Stenka, Stenke, Stenko, Stenkiewicz, Stenkowiak, Stenkowski, Stenczyk, Styn, Styna, Styne, Stynski, Sztejka, Sztejke, Sztejkowski, Sztejn, Sztejna, Sztejner, Sztejnert, Sztyna, Sztynek, Sztynio, Sztynka - pedra. Um profissional que trabalha com pedras. 
1362. Steinhagen, Stejhagen, Sztejnhagen - toponímico referente aos seguintes locais: o município de Steinhagen, distrito de Rostock, Mecklemburgo-Pomerânia, Alemanha; o município de Steinhagen, distrito de Vorpommern-Rügen, Mecklemburgo-Pomerânia, Alemanha; o município de Steinhagen, distrito de Gütersloh, Renânia do Norte-Westfália, Alemanha; a aldeia de Juchnajcie (nome alemão Juckneitschen; nome alemão posterior Steinhagen), município de Goldap, distrito de Goldap, Wármia-Masúria, Polônia.
1363. Steinhoefer, Steinhof, Steinhoff, Steinhoffer, Sztajhof - toponímico referente a Steinhof - nome de lugar que se encontra onze vezes na Alemanha; três vezes na Áustria; duas vezes na Suíça; uma vez na Rússia; uma vez na República Tcheca; e três vezes na Polônia conforme a seguir: a aldeia de Matyski (nome alemão Steinhof), município de Wegorzewo, distrito de Wegorzewo, Wármia-Masúria; a aldeia de Skrzypy (nome alemão Steinhof bei Rosengarten), município de Wegorzewo, distrito de Wegorzewo, Wármia-Masúria; o assentamento de Sensburg (nome alemão Steinhof), distrito de Mragowo, Wármia-Masúria.
1364. Stejer, Steyer, Sztejer - o capataz de uma mina.
1365. Stellmach, Stellmacher, Stellmachowicz, Stellmachowski, Stelmach, Stelmacher, Stelmachniewicz, Stelmachowski, Stelmachow, Stelmaszczyk - o fabricante de rodas, carroças, carros e outros instrumentos agrícolas a partir da madeira.
1366. Stib, Stiebe, Stip, Stipp, Styp, Stypa, Stypik, Stypka, Stypko, Styppa - coveiro, ou ainda, o oficial responsável por providenciar os serviços funerários de um lugar.
1367. Stobba, Stobbe, Stoba - pó, poeira. Pode designar um profissional cujo trabalho envolve a formação de pó ou resíduos.
1368. Stocki - toponímico referente a Stoczek - nome de lugar que se repete em 10 aldeias na Polônia: três na província de Lublin, duas na Mazóvia, quatro na Podláquia e uma na Wármia-Masúria.
1369. Stof, Stofel, Stofer, Stoff, Stoffa - patronímico do nome Krzysztof (Christoffer em alemão; Cristóvão em português).
1370. Stojek, Stojka, Stojke, Stojko, Sztojek, Sztojer, Sztojka, Sztojke - patronímico dos nomes próprios eslavos Stojslaw (significado aquele que permaneceu por causa de sua fama ou glória). Variantes do nome: Stoislaw, Stoslaw, Stoyslaus, Toslaw, Stoj, Stojan, Stojanek, Stojek, Stojko, Stojuch, Stochan, Stoszek, Stojmir, Stojgniew, Stoch, etc. Ou ainda, um toponímico referente à aldeia de Stoislaw (nome alemão Karlshof), município de Bedzino, distrito de Koszalin, Pomerânia Ocidental, França.
1371. Stok, Stoka - inclinação de um terreno, a encosta de uma colina.
1372. Stolat, Stolatczyk, Stolot - sobrenome derivado de uma tradicional canção polaca "Sto lat" que é cantada em ocasiões de aniversário e datas solenes.
1373. Stolcman, Stolcmann, Stolz, Stolze, Stolzmann, Sztolcman, Sztolcmann, Sztoldman, Sztoltman - orgulhoso, homem orgulhoso.
1374. Stolp, Stolpa, Stolpe, Stolpek, Stolper, Stolpert, Stolpiak, Stolpinski, Stolpman, Stolpmann, Stoltman, Stoltmann - apoio, coluna, pilar, fundamento. Ou ainda, um toponímico referente à cidade e ao distrito de Slupsk (nome alemão Stolp), Pomerânia, Polônia.
1375. Stopa, Stopaj, Stopak, Stopka, Stopke, Stopkiewicz, Stopko, Stopowski, Stoppa, Stoppe, Sttopka, Sttopke - pé, perna. Entretanto, pode estar associado a uma espécie de liga metálica, bem como a objetos ou padrões usados em diferentes ofícios profissionais como arquitetura, funilaria, metalurgia ou marcenaria.
1376. Storc, Sztorc, Sztorcz - borda de alguma coisa; um terreno que se eleva acima do solo; a caldeira que se usa para produzir sabão; uma espécie de chapa de ferro; árvore de corte transversal.
1377. Storch, Storck, Stork - cegonha (gênero Ciconia). Figurativamente: pessoa de pernas compridas.
1378. Strahl, Stral, Strala, Strale, Straler, Stralla, Stralka, Stralkowski - seta, relâmpago. Figurativamente: o soldado arqueiro responsável pela sentinela de um posto militar ou de um castelo, ou mesmo uma companhia de arqueiros.
1379. Stramel, Stramol - toponímico referente à aldeia de Strzmiele (nome alemão Stramehl), município de Radowo Male, distrito de Lobez, Pomerânia Ocidental, Polônia.
1380. Stranc, Strancig, Stranz, Strantz, Stranzig, Stranczak, Stranczyk, Sztranc, Sztranec - toponímico referente à aldeia de Straczno (nome alemão Stranz), municípío de Walcz, distrito de Walcz, Pomerânia Ocidental, Polônia. Ou ainda, referente ao viscondado histórico de Strantz (Stranz, Stranze ou Stranzen), que existiu desde 1120 até o final do século XVIII em Brandemburgo, Alemanha.
1381. Strazenbach - toponímico referente a dois locais na Alemanha: a localidade de Strazenbach, município de Ruppichteroth, distrito de Rhein-Sieg, Renânia do Norte-Westfália; a localidade rural de Strazenbach, município de Nümbrecht, distrito de Oberbergischer, Renânia do Norte-Westfália.
1382. Strauch, Strauchman, Strauchmann, Struch, Struck, Strucke, Strucki, Struk, Strukowicz, Strukowski, Strukus - arbusto, homem baixo, homem que possui cabelo espesso e arrendondado. Ou ainda, escova, profissional que trabalha com uma escova. Por isso também: alguém que tem o cabelo que lembra uma escova.
1383. Strehlau, Strejlau, Strelal, Strelow - toponímico referente aos seguintes locais: a aldeia de Strzelewo (nome alemão Strelow), município de Nowogard, distrito de Goleniow, Pomerânia Ocidental, Polônia; a aldeia de Strzelewo (nome alemão Strelau ou Strehlau), município de Sicienko, distrito de Bydgoszcz, Cujávia-Pomerânia, Polônia; a localidade de Strehlow, parte do município de Hohenmocker, distrito de Mecklenburgische Seenplate, Mecklemburgo-Pomerânia, Alemanha; a localidade de Strehlow, parte do município de Potzlow, distrito de Uckermark, Brandemburgo, Alemanha; a localidade de Strelow, município de Glewitz, distrito de Vorpommern-Rügen, Mecklemburgo-Pomerânia, Alemanha.
1384. Stremelow, Stremlau - toponímico referente à aldeia de Trzmielewo (nome alemão Stremlau), município de Rzeczenica, distrito de Czluchow, Pomerânia, Polônia.
1385. Stroicki, Stroik, Stroike, Stroiny, Stroinski, Stroiski, Stroisz, Stroiwas, Stroj, Stroja, Strojczek, Strojczyk, Strojec, Strojecki, Strojek, Strojeski, Strojk, Strojka, Strojke, Strojko, Strojkiewicz, Strojkowicz, Strojkowski, Strojny - adorno, coisa enfeitada. Pode designar uma parte do relevo que se destaca dos demais acidentes geográficos. Ou ainda, um toponímico referente à vila de Strojkow, município de Wolanow, distrito de Radom, Mazóvia, Polônia. Todavia, não se pode descartar que possa ser um toponímico relacionado a um lugar que possua os prefixos Stroj- ou Strojk-, que se repetem mais de 40 vezes na Polônia e Europa Oriental.
1386. Stromski, Strumski - aquele que vive à margem de um córrego.
1387. Strug, Struga, Strugacz, Strugala, Strugalewicz, Strugalla, Strugalski, Strugal, Strugallo, Struszk - instrumento usado para rachar lenha; instrumento que retira as cascas de um tronco de árvore; espécie de arado; um tipo de estrutura presente em marcenaria.
1388. Stuba, Stube, Stuwa, Stuwe, Sztuba, Sztube, Sztuwe - homem maneta; homem que possui coto do braço; homem com nádegas grandes; homem baixo e gordo; toco de árvore; edifício aquecido por meio de vapor; um proprietário de um banho público.
1389. Subotka, Suboto, Szabarz, Szabas, Szabat, Szabata - sábado.
1390. Suchomski - toponímico referente à vila de Suchom, município de Cekcyn, distrito de Tuchola, Cujávia-Pomerânia, Polônia.
1391. Suchora, Suchorski, Suchorz, Suchy, Suchyj - seco. Pode indicar um lugar seco, árido, bem como um profissional que trabalha com processos de secagem de algum material.
1392. Suckau, Sukow - toponímico referente à cidade de Zukowo (nome alemão Zuckau, nome latino Sucovia), distrito de Kartuzy, Pomerânia; ou à aldeia de Zukow, município de Grodzisk Mazowiecki, distrito de Grodzisk, Mazóvia; ambas na Polônia. Ou ainda, um toponímico relacionado à localidade de Zukow Dolny (nome alemão Nieder-Zukau) ou à localidade de Zukow Gorny (nome alemão Ober-Zukau), ambas no município de Czeski Cieszyn, distrito de Karvina, Morávia-Silésia, República Tcheca. 
1393. Sulewski - toponímico referente às aldeia de Sulewo-Kownaty e Sulewo-Prusy, ambas no município de Wasosz, distrito de Grajewo, Podláquia, Polônia. Ou ainda, pode estar relacionado à cidade de Sulejow, distrito de Piotrkow, província de Lodz, Polônia. Por fim, pode indicar as aldeias de: Sulejewo, município de Lipno, distrito de Leszno, Grande Polônia; Sulejewo, município de Brodnica, distrito de Srem, Grande Polônia; ambas na Polônia.
1394. Sulor, Sutor, Sutorowski - sapateiro.
1395. Susdalcew, Susdalew - doce, dócil. Ou ainda, um toponímico referente à cidade de Suzdal, oblast de Wladimir, Rússia.
1396. Susdorf - doce aldeia. Origem desconhecida.
1397. Swara, Swarowski, Swarski - ato de fabricar cerveja, cervejaria, cervejeiro.
1398. Swierza, Swierzy - fresco, de teor ou clima ameno. Ou ainda, um toponímico relacionado aos seguintes lugares na Polônia: a aldeia de Swierzow Polska, município de Chorkowka, distrito de Krosno, Subcarpácia; a cidade de Swierzawa (nome alemão Schönau an der Katzbach), distrito de Zlotoryja, Baixa Silésia; o município de Swierzno, distrito de Kamienski, Pomerânia Ocidental.
1399. Swoch - fraco, frágil, débil.
1400. Sycht, Sychta, Sychterz, Sychtorz, Sychtyrz, Sychtysz - fazer algo lentamente, fazer emaranhados. Provavelmente um ofício têxtil. Ou ainda, um toponímico referente à aldeia de Szychtory, município de Sokal, região de Lviv, Ucrânia.
1401. Sypion - carranca.
1402. Sysdol, Sysdul, Sysek, Syzdol - doce, dócil, carinhoso, de gênio amável.
1403. Szalewski, Szalk, Szalka, Szalkiewicz, Szalkowski, Szall, Szalla, Szel, Szela - maluco, enganador; vesgo, estrábico. Ou ainda, um toponímico referente à aldeia de Szalkowo, município de Ilawa, distrito de Ilawa, Wármia-Masúria, Polônia.
1404. Szapek, Szapka, Szapke, Szapko, Szapkowicz, Szapkowski - feno, forragem, planta forrageira, palha.
1405. Szar, Szarstuk, Szarsztuk - lâmina de um arado.
1406. Szast,Szasta, Szastacz, Szastaj, Szastak, Szastallo, Szastalo, Szastok, Szastun - disperso, perdulário, vadio, vagante. Ou em sentido neutro: pessoa ou algo que vagueia, gira, circula.
1407. Szczecin, Szczeciniak, Szczecinski - toponímico referente à cidade e distrito de Szczecin (nome alemão antigo Dolnoniem; nome alemão Stettin; nome latino Sedinum ou Stetinum), Pomerânia Ocidental, Polônia.
1408. Szczepan, Szczepanowski, Szczepanski - patronímico do nome polaco Szczepan (Estéfano em português).
1409. Szefka, Szefke, Szewka - curvo, vesgo, estrábico.
1410. Szenk, Szenke, Szenkier, Szenkin, Szenko - copeiro, estalajadeiro.
1411. Szera, Szera, Szir - vaso de barro.
1412. Szetel, Szetela, Szetlak, Szettel - porco-castrado.
1413. Szewc, Szewiec - sapateiro.
1414. Szlaga, Szlage, Szlagowski - termo cassúbio para denominar um tempo chuvoso, uma chuva de longa duração ou um lugar predominantemente úmido e chuvoso.
1415. Szlagan, Szlagar, Szlagier, Szlagon, Szlagor, Szlagorz - escudeiro.
1416. Szlas, Szlasa, Szlaski, Szlasko, Szlaszko, Szlaz, Szlaza - malva (Malva sylvestri) ou o quarto estômago dos ruminantes.
1417. Szlauer, Szlaur, Szlawer - bonito, astuto.
1418. Szmaglik, Szmukala - carinhoso, sensível, ou ainda, moreno.
1419. Szmaj, Szmajda, Szmanda - canhoto, homem canhoto.
1420. Szorc, Szorcz, Szorec, Szorek - espécie de avental de trabalho usado por diferentes profissionais. É de origem cassúbia.
1421. Szpan, Szpank, Szpanka, Szpankiewicz, Szpankowski - lasca, lâmina fina de algum material. Ou ainda, um toponímico referente à cidade Szpanow, região de Rivne, Ucrânia.
1422. Szpar, Szpon, Szponar, Szponarowicz, Szponarski, Szponka, Szporer, Szporin, Szporn, Szpura - garra, esporão, aguilhão.
1423. Szrader, Szrajda, Szredel, Szreder, Szredr, Szreider, Szrejder, Szrejter, Szroeder, Szrojder - alfaiate, tecelão.
1424. Szram, Szrama, Szramek, Szramel, Szramka, Szramke, Szramkowski, Szramkow - cicatriz.
1425. Szredzinski, Szredzki, Szroda, Szrodkowski, Szrodon, Szrodzinski - quarta-feira.
1426. Szrek, Szrok, Szroka - medonho, assustador.
1427. Sztoba - pó, poeira. Pode denominar algum ofício profissional que gere este tipo de material.
1428. Sztof, Sztofer - patronímico do nome Krzystof (Cristóvão em português).
1429. Szulc, Szulce, Szult, Szulta, Szulte, Szultek, Szultis, Szultka, Szultke, Szultz, Szulz - o administrador de uma comunidade rural.
1430. Szulfer - loquaz.
1431. Szur, Szura, Szurka, Szurkowski, Szurowski - pardo, castanho; rato. Ou ainda, um toponímico referente a dois locais na Polônia: a aldeia de Szur, município de Krasnobrod, distrito de Zamosc, província de Lublin; a aldeia de Szur (atual Stara Lomza), município de Lomza, distrito de Lomza, Podláquia.
1432. Szust, Szusta, Szustak, Szustek, Szustka, Szustowic - salto, farfalho, sopro. Ou ainda, um toponímico referente à aldeia de Szustek, município de Skrwilno, distrito de Rypin, Cujávia-Pomerânia, Polônia.
1433. Szuster, Szusterman, Szusterowicz, Szusterowski, Szwiec, Szwietz - sapateiro.
1434. Szut, Szuta, Szutek, Szutka, Szuty - algo que não tem cantos, arestas; algo arrendondado.
1435. Szwab, Szwaba, Szwabe, Szwabowicz, Szwabowski, Szwabski, Szwaby - suábio, procedente da Suábia (região histórica na Alemanha).
1436. Szwed, Szweda, Szwedas, Szwede, Szwedek, Szwedo, Szwedor, Szwedowicz, Szwedun, Szweida, Szweido, Szweidzik, Szwejda, Szwejder - sueco, procedente da Suécia.
1437. Szweryn, Szweryniak, Szwerynowicz, Szweryna - toponímico referente à Schwerin, capital do estado alemão de Mecklemburgo-Pomerânia. Na Alemanha, o topônimo Schwerin ainda se repete mais cinco vezes, na Polônia, é o antigo nome da cidade de Skwierzyna, distrito de Miedzyrzecz, Lubúsquia.
1438. Szwoch, Szwocha, Szwocher, Szwocherowski, Szwochert, Szwochertowski - fraco, frágil, débil.
1439. Szyp, Szypa, Szypelak, Szypelman, Szypelow, Szypelt, Szypen, Szypenbeil, Szypenbejl - pá, objeto que contém pás, podendo estar associado ao ofício agrícola ou outro ofício artesanal; a pá de um arado. Ou ainda, um toponímico referente à aldeia de Jeziorko (nome antigo Szypa), município de Bierzwnik, distrito de Choszczno, Pomerânia Ocidental, Polônia. Também pode estar associado a uma espécie de peixe (Acipenser nudiventris).
1440. Szyppritt, Szypret, Szypricht, Szypryt - o comandante ou proprietário de uma pequena embarcação.
1441. Szyszka, Szyszkiewicz, Szyszko, Szyszkowicz, Szyszkowski, Szyszkowicz, Szyzkowski - conífera, árvore conífera, o fruto encontrado em coníferas, pinha. Ou ainda, um toponímico referente ao assentamento florestal de Szyszka (nome cassúbio Szeszko), município de Przechlewo, distrito de Czluchow, Pomerânia, Polônia.
1442. Scisek, Scisk, Scislawski, Scislek, Scislo, Scislowicz, Scislowski, Scisly, Scislak, Scisler, Scislewski - forte, consistente; infértil, pobre, mesquinho; grampo, presilha.
1443. Slas, Slasik, Slasinski, Slaski, Slasa, Slazik - malva (Malva sylvestri) ou o quarto estômago de um ruminante.
1444. Sliw, Sliwa - ameixa (gênero Prunus).

























Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...