sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Tito Raymundo de Carvalho


"Registro mortuario

Em Jaguarão, depois de soffrer muito d'uma lesão organica falleceu o capitão Tito Raymundo de Carvalho, ajudante do 3o. batalhão de infantaria.

Era um distincto militar, muito estimado pela sociedade jaguarense, onde deixa viuva e filhinhos."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 01 de Dezembro de 1892, pág. 02, col. 02

Francisca Bezerra Heinzelmann


"Registro mortuario

Falleceu hoje, n'esta capital, a exma. sra. d. Francisca Bezerra Heinzelmann, a quem a sociedade porto-alegrense muito considerava, pelas suas excellentes virtudes.

As cerimonias do enterramento annunciam-se para amanhã, devendo o saimento effectuar-se ás 8 1/2 horas do dia, do predio n. 29, da rua 13 de Maio.

Nas praças 15 de Novembro e General Marques haverá carros á disposição dos convidados.

- Á exma. familia da morta apresentamos os nossos pezames."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 03 de Março de 1892, pág. 01, col. 02

quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

Hermenegilda Beatriz de Oliveira


"Registro mortuario

Falleceu hoje a exma. sra. d. Hermenegilda Beatriz de Oliveira, respeitavel mãi do cidadão Pedro Benjamin de Oliveira, socio da firma Peixoto & C. Successores.

As ceremonias do enterramento se effectuarão amanhã, saindo o feretro do predio n. 379 da rua Voluntarios da Patria, as 4 1/2 horas da tarde, afim de ser encommendado meia hora depois, na capella do Senhor dos Passos.

Nas praças 15 de Novembro e Senador Florencio haverá carros á disposição das pessoas que desejarem assistir a esses actos funebres.

✤✤✤✤✤

A 7 do corrente falleceu no Passo Fundo o nosso dedicado co-religionario Antonio de Oliveira Luna, pertencente a importante familia d'aquelle municipio.

✤✤✤✤✤

Em D. Pedrito falleceu d. Maria José Rodrigues, irmã do sr. Genuino José Rodrigues."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 29 de Novembro de 1892, pág. 02, col. 05

Joaquina Barbosa dos Aydos


"Fallecimento

Á noite passada falleceu, victima do typho, a exma. sra. d. Joaquina Barbosa dos Aydos, esposa do cidadão João Aydos, negociante d'esta praça, e filha do cidadão João Ferreira Barbosa e Silva, residente na Cachoeira.

A inditosa moça, que apenas contava 29 annos de idade, deixa na orphandade duas filhinhas.

Deplorando o acontecimento, apresentamos os nossos pezames á familia da morta."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 16 de Maio de 1891, pág. 01, col. 03

quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Carlos Lebrecht Pranke


"Registro mortuario

(...)

Em Pelotas falleceu o sr. José Virgilino Lopes.

✤✤✤✤✤

Falleceram no Rio Grande: o sr. Henrique Emil, de nacionalidade allemã, ha muitos annos ali morador; o cidadão Antonio José da Costa, estabelecido com casa de louça, contando 64 annos de idade e natural de Portugal; d. Alice Pereira Barbosa, consorte do cidadão Domingos Soares Barbosa.

✤✤✤✤✤

(...)

Falleceram em Pelotas o sr. Felisberto Ferreira Soares, contando 35 annos e o sr. Carlos Lebrecht Pranke, de 80 annos de idade, casado, natural da Alemanha."

Fonte: A FEDERAÇÃO(Porto Alegre/RS), 28 de Novembro de 1892, pág. 02, col. 01


Festa de Navegantes em Porto Alegre em 1886


"A festa dos Navegantes foi hontem, como em todos os annos, extraordinariamente concorrida.

Desde a manhã até á noite, os vapores, os bonds e os trens da estrada de ferro de S. Leopoldo fizeram constantes viagens ida e volta.

O arraial dos Navegantes conservou-se sempre animado pelo crescido numero de pessoas que o visitaram.

A procissão effectuou-se com a maior regularidade, e na ordem do programma.

Esteve presente aos festejos a banda de musica de S. Leopoldo, dirigida pelo sr. Ludwig.

A chuva teve a sua parte na festa, porém por momentos.

A policia tambem exhibio-se com a costumada... desordem.

Os espiritualisados tiveram que fazer com ella.

Porém na scena de mais effeito entrou um pobre homem, de côr, que conversava com um camarada em um dos botequins do arraial.

A policia prohibio a palestra, e, sem mais nem menos, foi esbordoando o infeliz, fazendo-lhe o sabre um profundo golpe na cabeça.

O preto limitou-se a distribuir soccos, á ingleza, porém vendo-se muito perseguido, atirou-se n'agoa.

Appareceu o delegado de policia e deu voz de prisão ao homem, que, mesmo nadando, obedeceu e veio para terra. Mas alguns populares reclamaram, e ficou o dito, por não dito, retirando-se o preto com a cabeça quebrada e a roupa lavada."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 08 de Fevereiro de 1886, pág. 01, col. 04

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Maria das Dores Telles Ribeiro


"Registro mortuario

Hoje, ás 2 horas da tarde, finou-se, n'esta capital a exma. sra. d. Maria das Dores Telles Ribeiro, contando 80 annos de idade.

Esta respeitavel matrona era muito estimada em nossa sociedade, e sogra do cidadão Agostinho de Menezes Freitas, official do thesouro do Estado.

Apresentamos os nossos pezames á exma. familia da morta.

- As cerimonias da encommendação effectuam-se amanhã, na Cathedral, ás 5 horas da tarde, devendo meia hora antes sair o feretro do predio n. 75, da rua da Republica."

Fonte: A FEDERAÇÃO(Porto Alegre/RS), 25 de Novembro de 1892, pág. 02, col. 04

Cidreira em 1892


"Na Cidreira

Um frequentador dos banhos da Cidreira organisou umas interessantes notas estatisticas das pessoas que este anno concorreram áquella estação balnear, dos ranchos ali levantados, dos vehiculos que conduziram os banhistas, etc., destinando-as a esta folha.

Agradecendo ao amigo a gentileza, passamos a reproduzir o seu trabalho:

Frequentadores dos banhos da Cidreira em janeiro e fevereiro de 1892 (as familias vão designadas pelos nomes dos respectivos chefes):

Manoel Eufrasio, Francisco Rodrigues Funchal, João Dill, dr. Arsenio, Jesuino Joaquim da Silva, Baptista Lisboa, Antonio Moura Gonçalvel Bastos, Antonio Ribeiro da Silva, Jorge Joaquim Moura, Pedro Faminke, Miguel Teixeira de Carvalho, d. Francisca Teixeira, Pasqual de Venuto, major João Antunes da Cunha Netto, Antonio dos Santos Rocha, Manoel José da Silva Guimarães, Dario Dias, Joaquim F. Lestris, Ernesto Schneiders, Americo Antunes Pinto, Venancio de Oliveira Gonçalves, Manoel Floresto da Rocha, José Antunes Pacheco, David Francisco da Silva, Quirino José Lopes, João Lartigau, Antonio Francisco da Silva, d. Guilhermina da Costa Barbedo, Arnaldo Barbedo, Pedro Ignacio Teixeira, Salvador Pires da Silva, d. Carolina Canabarro, José Bernardo da Costa, Romiro Vieira de Aguiar, José Augusto Teixeira, Nicolau Vicente Pereira, d. Luiza, dr. Barcellos Filho, Avelino Reis, Frederico Christoffel, Carlos Daudt, J. Mastraldi, Guilherme Pinheiro, Antonio de Souza Machado, d. Justina Canabarro, José de Azevedo Paes, Francisco Simon, Antonio Firmino, Serafim Martins, João Andrade Fialho, Zeferino Antonio de Oliveira, Leonel Cabral, coronel Felisberto Porfirio de Souza.

A maior parte d'essas familias já regressou á cidade.

✤✤✤✤✤

Recenseamento da população da Cidreira, feito em 2 de fevereiro de 1892:

Familias................... 51
Ranchos................... 46
Carros e carretas que conduziram banhistas........... 112
Homens.................. 112
Mulheres................ 126
Crianças................. 131
Criados.................. 90

Total.................... 668"

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 01 de Março de 1892, pág. 02, col. 04

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Alfredo Amancio de Mello


"Registro mortuario

No Rio Grande finaram-se:

O cidadão Alfredo Amancio de Mello, commerciante ali e irmão dos srs. Rodolpho e Antonio Emiliano de Mello; o cidadão José Thomaz de Oliveira, ex-fiscal da Companhia Carris Urbanos; José Vignolli, maestro muito conhecido n'esta capital, victimado por uma atroz enfermidade, o qual gosava n'aquella sociedade de numerosas sympathias; Firmina Carvalho de Oliveira, de 75 annos, esposa do sr. Gabriel José de Oliveira; Joaquim Antonio Ramos, antigo morador d'aquella cidade.

(...)

Em Pelotas:

O nosso estimado co-religionario José Virgilino Lopes, de 35 annos, estabelecido com correeiria; o cidadão José Ferreira da Silva, de 27 annos, solteiro, e o cidadão Felisberto Ferreira Soares.

(...)

O cidadão Guilherme Kluve, fallecido sexta-feira ultima n'esta capital, era pai e genro dos nossos co-religionarios Carlos Kluve e Zacharias Teive, a quem apresentamos os nosso pesames."

Fonte: A FEDERAÇÃO(Porto Alegre/RS), 24 de Novembro de 1892, pág. 02, col. 05

João Alves de Almeida Porto


"Obito

Hontem á noite finou-se o cidadão João Alves de Almeida Porto, em consequencia de uma infecção purulenta.

Era antigo professor de piano e contava 50 annos de idade.

As nossas condolencias á sua familia."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 16 de Maio de 1891, pág. 01, col. 02

domingo, 26 de janeiro de 2020

O cometa que iria devorar a Terra


"SEMPRE É DESCOBRIR

✤✤✤✤✤

No dia 13 do corrente, ao meio dia, mais ou menos, ouvimos gritos de admiração e surpreza que partiam da torre da Igreja.

Procurando saber o que havia, informaram nos que, lá se achavam alguns curiosos que, munidos de oculos tinham ido observar a apparição do formidavel cometa que devia devorar a Terra, n'aquelle dia; immediatamente mandamos um de nossos companheiros de trabalho, saber a causa de similhante alarma e, imagine o leitor, qual não foi a nossa surpreza, ao ouvirmos o nosso companheiro relatar o seguinte:

As pessoas que se achavam na torre da Igreja, haviam descoberto, com auxilio dos oculos de que se achavam munidos, a umas 3 leguas da superficie da terra, um enorme aerostato, tripolado por 5 militares e tendo arvorado um grande pavilhão que lhes pareceu de côr encarnada, e alguns affirmaram que havia, na parte superior do pavilhão, um quadro asul marinho com raios encarnados.

A principio duvidamos, porém, o nosso companheiro, que é homem serio e que nunca viu si quer o Quaresma nos affirmou que era exacto porque elle tambem havia visto o tal balão e que até se lhe afigurava que elle tendia á cahir muito perto.

Á vista de tal, affirmação não tivemos outro remedio sinão por de parte todas as nossas duvidas e começamos a fazer mil conjecturas a cerca do inexperado apparecimento do aerostato...

Primeiro pensamos que fosse alguem que fazia experiencias a fim de descobrir a direcção do balão, mas esse pensamento lógo se disfez ao lembrar-nos que o tal aerostato era tripolado por militares...

Já não sabiamos o que pensar quando nos occorreu o seguinte:

- Remetemo nos aquelles aerostatos d'algum acampamento das tropas inglezas em opperação no Transwall e, perdeo se em consequencia de algum temporal ou cousa similhante, veio dar até nós.

E, procurando fundamentar a nossa idéa pensamos na côr do pavilhão, que o maravilhoso balão trasia arvorado, e ficamos convencidos de que elle era de facto inglez, e sinão partia dos acampamentos inglezes no Transwall, era naturalmente de inglezes que seguiam d'aqui para lá a fim de auxiliarem o seu governo na lucta que actualmente mantém com a gente do tio Paulo.

Ha muitas pessoas, que são capazes de attestar por escripto, o que ahi fica dito."

Fonte: A RAZÃO: ORGAM POPULAR (Encruzilhada do Sul/RS), 19 de Novembro de 1899, pág. 02, col. 01-02

Fenômeno celeste em Jaguarão


"Phenomeno celeste

Em Jaguarão foi observado um phenomeno celeste.

Era uma enorme mancha preta, como um balão que se estendia do nascente ao poente, grosso e compacto na base e, á proporção que a cauda se extendia no espaço, tornava-se mais transparente.

Um nosso collega diz que foi visto esse phenomeno talvez por espaço de mais de meia hora."

Fonte: A FEDERAÇÃO(Porto Alegre/RS), 24 de Novembro de 1892, pág. 02, col. 04

Barbárie em Rio Grande


"O Diario do Rio Grande, dá, nos seguintes termos, noticia de um espancamento na cadêa civil d'aquella cidade:

Informam-nos que ha poucos dias foi barbaramente espancado na cadêa, com ordem e na presença da autoridade policial, um escravo que tivera a infelicidade de incorrer no desagrado de seu senhor.

O paciente foi amarrado e castigado, até que, exhausto de forças e com as carnes trituradas pelo açoite, cahio sem sentidos!

Apezar d'isto, porém, o carrasco recebeu ordem para proseguir na sua repugnante tarefa!

Foi então que o inferior que commandava a guarda da cadêa, indignado por tanta crueldade, impedio que o espancamento continuasse, dizendo que preferia soffrer as consequencias de seu acto, por mais duras e penosas que fossem, a permittir que continuasse um castigo tão bárbaro.

As consequencias a que alludia o generoso militar não se fizeram esperar, pois que, segundo tambem nos informam, foi elle rebaixado de posto em castigo por ter poupado as dôres de um seu semelhante.

Voltamos, pois, aos bons tempos em que as cadêas eram simples succursaes das senzalas e dos eitos.

E, mesmo diante d'estas scenas de deshumanidade e vergonha, ainda ha quem preste apoio á causa maldita da escravaria!"

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 27 de Janeiro de 1886, pág. 02, col. 04

sábado, 25 de janeiro de 2020

O pior dia da semana


"O peor dia da semana

O governo allemão teve a idéa de conhecer scientificamente qual é o peor dia da semana, isto é, o mais nefasto. Firmou-se para isso na estatistica dos accidentes resultantes da applicacção da lei de seguro obrigatorio contra a invalidez e a velhice, lei que confere uma pensão ou aposentadoria dos operarios ou empregados dos dois sexos, incapazes de, por accidente ou velhice, ganharem a vida.

Essa pesquiza era relativamente facil e deu bom resultado. O dia peor, o mais funesto da semana, não e a sexta-feira, como pretende velho preconceito popular, mas a segunda-feira. Eis as notas estatisticas dos accidentes:

Segunda-feira, 16,74 por cento; terça 15,51; quarta 16,31; quinta 15,47; sexta 16,38; sabbado 16,38; domingo 2,69."

Fonte: A FEDERAÇÃO(Porto Alegre/RS), 23 de Novembro de 1892, pág. 01, col. 05

Jorge Nagel


"Registro mortuario

Sabbado, falleceu o artista typographico Jorge Nagel, das officinas do Deutsche Zeitung."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 01 de Março de 1892, pág. 01, col. 06

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Miguel Archanjo de Figueiredo


"Registro mortuario

Vimos telegramma official, procedente de Cruz Alta, referindo que falleceu hoje ali o dr. Miguel Archanjo de Figueiredo, juiz de direito d'aquella comarca.

✤✤✤✤✤

No Rio Grande acaba de fallecer o coronel André Alves Leite de Oliveira Salgado, despachante geral da alfandega.

✤✤✤✤✤

No dia 2 do corrente finou-se em S. Gabriel a estimada joven exma. sra. Fortunata Martins de Faria.

✤✤✤✤✤

No Alegrete falleceram ao mesmo tempo dois filhinhos do sr. Olyntho Nunes de Miranda, que, pouco antes, havia perdido uma filha.

✤✤✤✤✤

Em Santa Maria da Bocca do Monte falleceu d. Joanna Carvalho, esposa do cidadão Henrique de Carvalho.

✤✤✤✤✤

Na Uruguayana falleceu a exma. sra. d. Octacilia do Nascimento Mibielli, esposa do nosso amigo dr. Pedro Affonso Mibielli, a quem apresentamos pesames.

(...)"

Fonte: A FEDERAÇÃO(Porto Alegre/RS), 22 de Novembro de 1892, pág. 02, col. 06

Cenas da escravidão em Tanganica no século XIX


"A África e a escravidão

Segundo um collega devia ter sido publicada em Berlim, nos ultimos dias do mez passado, a nova obra do celebre explorador da Africa, o major Wissmann, intitulada: A minha segunda travessia da Africa equatorial. Esse trabalho, onde se devem encontrar poucos dados scientificos importantes, por isso que a viagem já data de muitos annos, é entretanto um quadro desolador e pungente das scenas revoltantes da escravidão no interior do infeliz continente.

O sr. Wissmann descreve scenas a que assistiu e que são hediondas; viu no lago Tanganika navios carregados de escravos e por tal fórma amontoados que os commandantes, receiando qualquer naufragio, por causa da violencia do vento, lançaram os infelizes á agua; outra vez, no mesmo lago e nas mesmas circumstancias, foram atirados á agua escravos, afim de salvar-se uma tropa de animaes, encommendada por um rico arabe! tudo quanto os viajantes têm referido sobre as caravanas de caçadores de escravos não é exagerado, a acreditar-se no major Wissmann.

O seu livro será lido com soffreguidão, e não deixará de produzir boa impressão, recordando á civilisação os seus deveres para com a misera população da Africa."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 14 de Maio de 1891, pág. 02, col. 03

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Josino Ferreira Lagôas


"Registro mortuario

Em Pelotas falleceu o alferes Josino Ferreira Lagôas, antiquissimo guarda-livros da casa commercial Rios, Filho & Rocha, filho do finado tabellião Ferreira Lagôas.

✤✤✤✤✤

Sabe-se, no Rio Grande, por cartas recebidas do Porto ter ali fallecido, após prolongados soffrimentos, o sr. Manoel João Cardoso, outr'ora estabelecido na primeira d'essas cidades.

✤✤✤✤✤

(...)

Em Pelotas, falleceu, contando 33 annos de idade, victima de antigos soffrimentos, o laborioso artista sr. Joaquim Felippe Ramos, nosso co-religionario.

(...)"

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 21 de Novembro de 1892, pág. 03, col. 01

A loteria do casamento


"A chegada do paquete Werre era esperada com impaciencia em Castle-Garden, estação em New-York, onde desembarcaram os immigrantes allemães.

Estava ahi um grupo de vinte e quatro rapazes, que interromperam em vivas e acclamações quando o vapor entrou no porto.

Entre os 418 passageiros que desembarcaram vinham 24 raparigas de 17 a 21 annos, chegadas da Allemanha como esposas contratadas por meio de correspondencias.

O facto é verdadeiro, mas o que parecerá incrivel é que os 24 rapazes, admittindo o proverbio que diz que o casamento é uma loteria, tiraram á sorte as suas noivas.

Não houve descontentamento e os vinte e quatro casamentos foram todos festejados ao mesmo tempo e com muita alegria.

Os esposos são allemães, que trabalham nas minas de Pensylvania. Queriam casar unicamente com compatriotas, e não havendo nas localidades visinhas das minas, pediram-n'as por encommenda para a Allemanha."

Fonte:  A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 26 de Janeiro de 1886, pág. 02, col. 03

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Vigencia Lazary Torres


"Registro mortuario

(...)

No Rio Grande falleceu d. Vigencia Lazary Torres, casada com o sr. Virginio da Costa Torres, porteiro da commissão da barra, de 42 annos de idade.

✤✤✤✤✤

Falleceu em Santa Victoria do Palmar d. Amelia de Souza, casada com o cidadão oriental João Maria de Souza, fazendeiro naquelle municipio, na Árvore Sola.

- Na mesma localidade finaram-se mais: d. Redusinda de Azevedo, com 36 annos de idade, solteira, e o sr. José Manoel da Silveira Lima, com 36 annos, solteiro, laborioso criador no Estado Oriental do Uruguay.

✤✤✤✤✤

Falleceu em Jaguarão o sr. José Maria de Azeredo, proprietario."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 05 de Novembro de 1892, pág. 01, col. 03

Pedro Velloso do Carmo


"Registro mortuario

N'esta capital falleceu quinta-feira última o cidadão Pedro Velloso do Carmo.

Contava 56 annos de idade e era natural de S. Paulo.

✤✤✤✤✤

Falleceu n'esta capital o coronel da guarda nacional José Alves Valença.

As cerimonias do enterramento effectuaram-se hoje á tarde, sendo prestadas ao morto as honras militares a que elle tinha direito."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 29 de Fevereiro de 1892, pág. 01, col. 02

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Victor Renault


"Registro mortuario

Em Barbacena morreu, com 82 annos de idade, o dr. Victor Renault, medico homeopatha, antigo engenheiro, chefe de minas e vice-consul de França ha mais de trinta annos.

Foi o primeiro explorador dos rios Doce, Paracatú, Mucury e seus affluentes.

Traçou e construiu a primeira estrada de rodagem de Ouro Preto a Parahybana, Rio Preto e Pessarrão.

Foi o auctor de muitas obras didacticas sobre mathematicas e methodos de leitura e escripta.

Nas suas viagens estudou a fauna e a flora brasileira, os costumes e linguas de diversos povos selvagens, deixando um diccionario inedito. O seu nome é lembrado como auctoridade por Leals, Agassis e Burton na obra The highlands of the Brazil.

Deixa descendencia de 79 pessoas, sendo 8 filhos, 59 netos e 12 bisnetos."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 05 de Novembro de 1892, pág. 01, col. 03

Augusto Cardim de Oliveira


"Registro mortuario

Houve em Pelotas os seguintes fallecimentos:

Augusto Cardim de Oliveira, solteiro, ex-alferes da policia; Antonio Pereira Valente de Macedo, casado, que foi estabelecido com funilaria; e, na Beneficencia Portugueza, Manoel Dias Flores, casado, 50 annos.

- Ali falleceu tambem o cidadão Elysiano José de Oliveira, contando 102 annos de idade."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 27 de Fevereiro de 1892, pág. 02, col. 05

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Fábrica de papel Itálico-Brasileira


"Fabrica de papel

No dia 19 do corrente, refere o Diario, de Pelotas, começou os seus trabalhos a fabrica de papel fundada pelos srs. Bonora e Picardo, na colonia Santo Antonio, n'este municipio.

Presentemente promptifica a fabrica de 150 a 200 resmas de papel de embrulho diariamente.

Duas amostras que o alludido collega pelotense viu, constituem uma prova eloquente viu, constituem uma prova eloquente da excellencia do papel manufacturado n'essa fabrica.

Além da modicidade de preços, o papel da nova fabrica leva ao importado a vantagem de ser incontestavelmente muito melhor.

Dentro de pouco tempo se tratará ali da fabricação de papel de impressão para escrever.

A fabrica, da qual é director o socio sr. Octavio Picardo, tomou a denominação de Italico-Brasileira."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 04 de Novembro de 1892, pág. 01, col. 05

Os contrabandistas da Lagoa Mirim


"Informam a um jornal de St. Victoria que na costa do Arroio del Rey até Tahim, margem da lagoa Mirim, andam diversas lanchas mascateando em diversos generos e comprando fructos do paiz, suppondo-se que ellas vão da cidade de Pelotas e Rio Grande com esses generos. 

O Echo do Sul, dando essa noticia, acrescenta:

Sabemos que os contrabandistas se aventuram a estas correrias maritimas, fiados na ausencia dos lanchões fiscaes, que outr'ora vigiavam as costas da Lagoa e do rio Jaguarão.

Com effeito, dos tres lanchões que ha tempos cruzavam aquellas agoas para impedir o contrabando, nenhum resta em condições de poder effectuar o serviço de policiamento, porquanto o da mesa de rendas geraes de Pelotas foi retirado d'ali por imprestavel, por imprestavel cessou de navegar o de Santa Victoria e, por ultimo, o de Jaguarão parece que afundou-se devido ao seu máo estado.

Eis por que, achando-se as costas desamparadas e desprovidas de vigilancia fiscal, ousam os contrabandistas cruzar impunemente a lagoa Mirim e ir commerciar a são e salvo nas proximidades de Santa Victoria."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 19 de Novembro de 1885, pág. 02, col. 02

domingo, 19 de janeiro de 2020

Augusto Cezar Laymé


"Registro mortuario

Falleceu hontem o bom cidadão Augusto Cezar Laymé, conhecido e antigo cobrador da companhia Asseio Publico e que foi outr'ora piloto da armada.

(...)

Falleceu em Pelotas o cidadão portuguez José Antonio Ferreira, solteiro, de 60 annos de idade.

(...)"


Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 29 de Outubro de 1892, pág. 02, col. 03

Antonio Regazzoni


"Registro mortuario

Falleceram em Jaguarão: Antonio Regazzoni, telegraphista; Zeferino de Assumpção, cadete do 2o. regimento de cavallaria; d. Jacintha Santiago, antiga moradora d'aquella cidade."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 23 de Fevereiro de 1892, pág. 01, col. 03

sábado, 18 de janeiro de 2020

Exposição de Pedro Weingärtner na Escola Normal de Belas Artes


"Pedro Weingärtner

Ha dias noticiámos a exposição que ia fazer de 12 telas, em uma das salas da Escola Normal de Bellas-Artes, o nosso illustre patricio Pedro Weingärtner.

Com effeito, realisou-se essa exposição, segundo vemos na mesma folha que nos transmittira a anterior noticia, O Paiz, que assim se pronuncia a proposito d'esses importantes trabalhos do talentoso pintor rio grandense:

'Entre os 12 quadros expostos, ha 5 retratos, sendo 3 ao ar livre, trabalho difficilimo e bem acabado.

Esse genero talvez não encontre apreciadores; no emtanto deve agradar muito o de n. 8, retrato do sr. Ramiro Barcellos no interior de sua sala de trabalho, assim como o do menino Octavio de Oliveira, que fórma um quadrinho muito gracioso.

O artista em questão apresenta quatro paysagens que representam quatro contrastes - Ave-Maria, bello effeito de luz occidental após um dia quente, com o campo que começa a ser invadido pela sombra e apenas animado por um grupo de duas mulheres que terminam o trabalho e se preparam para partir; Novo Hamburgo, trecho pittoresco das colonias de S. Leopoldo, no Rio Grande do Sul, e Copacabana,  marinha dos nossos arrabaldes, animada por mãe e filha que na praia esperam a volta do ente caro, e Mormasso, paysagem que não nos ficou bem retida na memoria.

Onde, no emtanto, o artista revela o seu grande talento e produz quadros brasileiros, estudando costumes nossos com a sua fina observação, desenhando largamente o que é minuciosamente estudado, escolhido com criterio, agrupado com arte e gosto, e illuminado sem as exaggerações de quem só visa fazer effeito pelo material da arte, e côr, e sim pelo estudo, onde bem se póde avaliar o seu merecimento de pintor que saiu victorioso de justas honrosas, em paizes extrangeiros, é nos quadros - Lavandeira, Por linhas tortas e Baile na roça.

Como quadro de genero e como estudo de costumes nossos, essas tres telas têm valor consideravel.

A Lavandeira  é um quadro fluminense commum, que o vemos todos os dias, mas que só agora foi aproveitado.

A lavandeira é uma preta, á sombra de trepadeiras cujas folhas, bem desenhadas, formam o emmaranhado confuso de cipós.

O quadro é pintado ao ar livre em pleno sol, de modo que todos os objectos ali dispostos, roupas, regador, tinas, bacia e vaso de vegetação - têm muito vigor de desenho e colorido.

Por linhas tortas é uma scena graciosa que se passa em uma loja da roça, nas colonias do Rio Grande do Sul.

Os armarios contém de tudo, desde calças e camisas de chita até vidros de remedios.

Ha muita observação no estudo da loja.

Ao balcão, pelo lado de dentro, está uma velha de typo allemão, dona da casa; pelo lado de fóra um agente commercial, ou antes um caixeiro viajante, negocia com a velha apresentando, por amostras, uma meada de linha, não perdendo no emtanto occasião de conversar com a filha, sentada ao seu lado, em attitude de quem costura.

Atirados ao chão, estão os alforges com as amostras que entretêm uma creança deitada a percorrer o livro de fazendas.

O terceiro quadro tem cerca de quarenta figuras - Um baile na roça, de dia.

É uma festa annual do Rio Grande.

Ali estão reunidos os diversos typos que se encontram n'aquelles lugares: o caixeiro viajante, de bombachas e ponche, sempre attendido pelas moças com grande raiva dos rapazes da localidade.

N'esse bonito estudo ha grande diversidade não só nos typos, roupas e grupos, como nas attitudes.

Senhoras e cavalheiros da cidade, simples espectadores, creanças a brincar pelo chão, moças que desapertam os pés entalados em botinas novas, a banda de musica na sala visinha, os curiosos na rua e o cachorro malhado acompanhando o dono na sala de dança - formam os elementos do quadro cheio de vida e contentamento.

Ao tecto, entre flores, está uma garrafa de tradição allemã...

Uma outra deve ser escondida para ser procurada no anno vindouro.

Aquelle que tiver a felicidade de achal-a, é acclamado rei da festa e paga as despezas, depois de ornamentado com fitas e flores'.

✤✤✤✤✤

Alguns d'esses trabalhos, de costumes coloniaes rio-grandenses, não são desconhecidos do nosso publico, que teve ensejo de vel-os com admiração no bazar do sr. Rosa, á rua dos Andradas.

E, si nos não falha a memoria, o applaudido artista rio-grandense pretendeu vender de preferencia esses importantes quadros em sua terra natal, onde não encontrou comprador..."


Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 21 de Outubro de 1892, pág. 01, col. 05

José Gomes Pereira Vianna


"Fallecimento

Falleceu em um dos ultimos dias o septuagenario José Gomes Pereira Vianna, antigo morador d'esta capital.

O finado era natural de Portugal, proprietario, e fôra em tempos estabelecido com marcenaria n'esta cidade.

Á sua familia apresentamos os nossos pezames."

Fonte: A FEDERAÇÃO (Porto Alegre/RS), 08 de Maio de 1891, pág. 01, col. 03
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...