sábado, 30 de abril de 2011

Bandeira do Município de Capão do Leão

Com o brasão ao centro, a bandeira tem como inspiração a bandeira do Estado do Rio Grande do Sul, no lugar do vermelho, há o cinza que se refere à principal riqueza do município: a pedra granítica.

10 Razões para considerar a Emancipação de Capão do Leão como algo positivo

Presumo, sinceramente, que se aproximando o vigésimo nono aniversário de emancipação do município de Capão do Leão, havia a necessidade premente de expor algumas reflexões minhas em relação à nossa recente história política, as quais são resultado de alguns compartilhamentos e debates com outros leonenses. Como no próximo dia 03 de Maio ocorrerá a celebração de tão importante data, coloco dez razões positivas de nossa emancipação. Claro, não julgo e nem pretendo afirmar que tudo são "mil maravilhas". Porém, creio com sinceridade, que "valeu a pena ter amanhecido" o sol da emancipação política em Capão do Leão.
1- Em termos de arrecadação, o município passou a dispor de receita própria, se não ideal, ao menos justa, pois antes nem cerca de 25% do que era arrecadado em impostos na área do atual município era revertido em investimentos para a população.
2- Embora, n bairro Jardim América, tenha ocorrido um movimento anti-emancipacionista em 1982, o fato é que a localidade, ao ser incorporada ao Capão do Leão, ganhou um peso político considerável. Pergunto: se desde 1982, o Jardim América tivesse permanecido como bairro periférico de Pelotas, ele teria o poder de barganha que tem atualmente? Como seriam os serviços públicos? Para corroborar minha opinião, reflita-se sobre como era a questão do transporte público no bairro antes de 1982 e como é hoje em que dispõe de pelo menos cinco linhas distintas de ônibus.
3- Pelotas viveu no decorrer da década de 1980 e no início da década de 1990, uma das suas maiores crises econômicas e infra-estruturais. Não que o Capão do Leão passou sem sofrer as consequências deste período, porém enquanto acontecia a crise do lado de lá, do lado de cá o município se estruturava, mesmo aos trancos e barrancos: houve significativas conquistas na área do saneamento e na educação pública.
4- Houve diversificação das forças políticas existentes e, mesmo que possam ser julgados incompetentes ou não, diversos líderes políticos propiciaram um cenário em que o povo local não dependia apenas de um só representante para suas reivindicações.
5- A emancipação era um processo inevitável do ponto de vista político. Municípios grandes tiveram suas áreas desmembradas no decorrer das três últimas décadas. Pelotas ainda veria emanciparem-se Morro Redondo, Turuçu e Arroio do Padre em anos subsequentes.
6- Houve a criação de uma identidade local, onde órgãos, instituições e pessoas passaram com orgulho a dizer "sou leonense".
7- Na condição de município, o Capão do Leão passou a ter o direito de possuir órgãos públicos autônomos, bem como a receber um tratamento diferenciado por parte dos governos estadual e federal. Quando se almeja algo para a nossa própria população, a pauta de lutas gira em torno do "interesse do município". Se ainda estivéssemos ligados à Pelotas, nossos interesses se diluiriam no conjunto geral das reivindicações daquela cidade. E aí, amigo, pergunto: Capão do Leão diante de um bairro Areal ou bairro Fragata, que voz teria?
8- A área do Capão do Leão possui um potencial estratégico diante dos desafios econômicos do futuro. Daqui se vai à Porto Alegre, ao Porto de Rio Grande, à zona central do estado e ao Uruguay (via Jaguarão). Deste ponto de vista, a possibilidade de instalação de empresas no município é favorecida pelas suas características geo-espaciais. Lógico, que ainda temos muito a crescer neste aspecto, porém nosso potencial ficou mais evidente havendo um território definido do município.
9-A emancipação estimulou o desenvolvimento do comércio e dos serviços locais, algo ainda gradativo, porém perceptível, principalmente na área do bairro Jardim América.
10- Nossa história e patrimônio puderam ser conhecidos, desvinculados da história de Pelotas, que é rica e interessante, sobretudo, porém centra-se principalmente na questão das charqueadas e da opulência de sua zona urbana oitocentista.

Por favor, comentem, não sou dono da verdade, vamos debater!


terça-feira, 26 de abril de 2011

sábado, 16 de abril de 2011

Monumento à Bíblia



Inaugurado em Dezembro de 2010, por iniciativa do Vereador Valdecir Lima, encontra-se na Praça João Gomes, em Capão do Leão. O trecho do salmo que aparece no monumento foi atribuído à cidade no livro "Capão do Leão: Povo Identidade" do frade católico Sylvio Dall'Agnol, de 1993.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...