segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Mali do The Voice Brasil é uma das atrações da XI Festa da Melancia de Capão do Leão


A cantora gaúcha Mali (Carolina Lima), uma das semifinalistas do The Voice Brasil 2015, da TV Globo, é uma das atrações principais entre os shows programados para a XI Festa da Melancia e Potencialidades Regionais de Capão do Leão. Mali se apresenta no palco principal no dia 06 de março, logo à noitinha.

Um pequeno resumo sobre sua carreira extraído do site O Fuxico:

Caroline Lima foi uma das candidatas do The Voice Brasil deste ano que viram sua vida mudar depois que alguns dos jurados da atração viraram as cadeiras ao se interessarem pelo que estavam ouvindo. 
A nova cantora, que se apresentou no reality musical da Globo na última quinta-feira (29), tendo Mali como nome artístico, acabou encantando Lulu Santos e Michel Teló, e optou pelo sertanejo como seu técnico ao longo da disputa. 
A vocacão e o interesse pela música foram descobertos na menina, que mora em São José do Norte, cidade do Rio Grande do Sul, ainda na infância, e, aos nove anos de idade, Mali subiu nos palcos pela primeira vez, dois anos antes de começar a compor suas primeiras canções. 
Aos 13 anos, a jovem entrou em um estúdio pela primeira vez, e gravou uma música de sua autoria, que veio a participar, depois de muitos incentivos dos amigos e colegas, do quadro Garagem do Faustão, e chegou a ficar, durante três semanas, ocupando a quinta posição dentre os 60 mil vídeos que concorreram, em nível nacional, na primeira página do site. 
Além disso, Mali, que tem apenas 19 anos de idade, já teve suas músicas tocadas nas principais rádios do país, e coleciona três EPs, gravados pela renomada gravadora Som Music Records e disponibilizados pelo iTunes e algumas lojas digitais. 
Com tantos compromissos e as etapas de seleção para o programa, Mali ainda consegue arranjar tempo não só para visitar sua cidade de coração, mas também relaxar em sua residência no Rio de Janeiro, mais especificamente no bairro do Irajá. Parabéns e muita sorte para ela nos próximos episódios!

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Comentarismo


Um incômodo que sinto quando vou ler algumas postagens nas redes sociais é a total ausência de informação e discernimento de algumas pessoas que se colocam a comentar. Ou ainda das pessoas que postam textos. Em ambos os casos, percebe-se que antes mesmo de verificar se uma informação é verdadeira ou aquilo que se pede ou critica é legítimo e válido, palavras agressivas e irônicas são despejadas sem critério nenhum e, sem escrúpulo, há uma fatia que extrapola e vai até as raias do ataque pessoal. Sinceramente, eu nos últimos dois anos me afastei de alguns debates que até tinham certa importância por causa disso. É como aquela historinha: se você quiser jogar xadrez com uma pomba, o que pode acontecer é ela emporcalhar o tabuleiro, derrubar as peças, sair voando e contar vantagem que venceu a disputa. 

Atualmente as redes sociais se tornaram uma ferramenta de expressão livre das pessoas, onde elas expõem parte de suas vidas, registram acontecimentos, falam de seus sentimentos, entre outras coisas. E também manifestam seus pensamentos críticos e seus apelos por causas por que acreditam. De forma alguma isso é errado. O que pensamos sobre algo, podemos expressar livremente, desde que haja respeito e discernimento. Sabemos que para alguns falta respeito na colocação das palavras, mas mais lamentável ainda é quando alguns conjugam a falta de respeito com a falta de discernimento, de informação, de saber o que estão afirmando. Isto é ignorância! 


Ninguém sabe de tudo. Quando algo nos incomoda ou nos opomos a algum acontecimento ou ideia, podemos expressar nosso desconforto ou nossa desaprovação, ou ainda nosso questionamento. Porém, na posição de indagadores que querem entender determinada situação. Alguns ultrapassam esse limite razoável e imediatamente já se colocam como juízes de algo, proferindo suas sentenças sem nem saber se o alvo é realmente aquele e todas as circunstâncias de um fato. Esse é o problema!

Em Capão do Leão, tanto entre os que postam suas opiniões, quanto aqueles que as comentam nas redes sociais, a falta de discernimento é generalizada. O escritor italiano Umberto Eco afirmava que "as redes sociais deram voz aos imbecis". E não há como não concordar com esta sentença. Tem coisa que salta aos olhos de tão absurda. Mas daí pode se pensar assim: bem, quem sabe melhor tem que esclarecer então! Só que infelizmente não é assim. Quem não gosta de ser contrariado nos seus absurdos, tende a atacar usando subterfúgios comuns como "cupincha do governo tal", "alienado", "acomodado", "coxinha", "petralha", entre outros adjetivos.

Penso que, devido aos exemplos que abundam semanalmente nos principais espaços de comunicação nas redes sociais, uma prudente observância crítica daquilo que é postado e comentado é mais do que necessária para pessoas que querem ser mais esclarecidas, sem deixar de ser questionadoras. Como muitos vão na onda do "falar mal por falar mal", muita coisa distorcida está virando verdade. Não é um apelo à passividade. Para que não se perca o propósito de construir as coisas para o melhor, cumpre ser crítico diante da própria crítica

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Projeto Cultura em Movimento



No próximo domingo, 28 de Fevereiro, a partir das 15 horas, na Praça do Loteamento Municipal da Figueira (Cerro do Estado) estará ocorrendo o evento "Projeto Cultura em Movimento". Uma das atrações do evento é o ônibus-biblioteca que estará instalado no local. As atrações incluem ainda: shows musicais, mateada com erva-mate B1, brinquedos infantis e serviços de saúde (verificação de pressão arterial e teste de glicose).

Outro interessante programa para o fim de semana!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Mateada Solidária na Praça João Gomes


Próximo domingo, 27 de Fevereiro, ocorrerá na Praça João Gomes, no centro de Capão do Leão, a partir das 15 horas, a primeira edição da Mateada Solidária, realizada pela Igreja Ministério Fonte de Vida, com apoio da Prefeitura Municipal e da Erva Mate Pantanal. 

Entre várias atrações, haverá distribuição de erva-mate e água quente, brinquedos infláveis, apresentação de diversas bandas e serviços de saúde (verificação de pressão arterial e optometria). Conforme o anunciado no cartaz, o evento e suas atrações são totalmente gratuitos.

Ocorrerá arrecadação de alimentos não-perecíveis para os necessitados. A coordenação do evento convida a todos que tragam um quilo de alimento não-perecível para colaborar.

Um interessante programa para o fim de semana. Participe!

Significado e origem de sobrenomes alemães - Parte 48


731. List: sobrenome poligenético que significa astúcia, estratagema, ardil, artifício. Designa pessoa astuciosa, pessoa esperta, pessoa ardilosa. Provém etimologicamente do termo do antigo nórdico list com o mesmo sentido. Ocorre principalmente no norte e oeste da Alemanha. Data do século XVI.
Variantes:
Liste - variante no plural.
Liszt - variante do leste europeu.

732. Czech (1a. vertente): sobrenome toponímico que significa habitante ou procedente da República Tcheca ou do País Tcheco (referência medieval), tcheco. A etimologia da palavra provém do proto-eslavo cel que significa pessoa, parente. Na Idade Média, na língua polonesa surgiu o termo cech para designar a etnia que atualmente caracteriza o país.
Czech (2a. vertente): sobrenome patronímico que significa filho de Ceslav. Ceslav é um primeiro nome eslavo que significa honra
O sobrenome é registrado desde 1372 e ocorre principalmente na Baviera e na Saxônia.
Variantes:
Cech - variante na língua polonesa.
Czeski - variante eslava.
Zech - variante comum na Áustria.
Tschech - variante comum.
Czechy - variante no genitivo da língua alemã.
Zschech - variante da Silésia.

733. Löwe (1a. vertente): sobrenome poligenético que significa leão. Provém etimologicamente do alto alemão medieval leu ou lewe com o mesmo sentido. Enquanto sobrenome designa pessoa corajosa, pessoa que demonstra bravura. Neste aspecto é encarado como um sobrenome auto-atribuído em alguns casos, por ser no contexto medieval o leão um animal simbolicamente forte, que indica poder. A Heráldica sobejamente comprova esse fato.
Num sentido mais estrito, Löwe pode se referir à juba do animal e assim figurativamente designar pessoa com cabelo volumoso, desgranhado, espesso.
Löwe (2a. vertente): sobrenome poligenético que significa caçador. Provém etimologicamente do antigo prussiano oriental lowis com o mesmo sentido. 
Löwe (3a. vertente): sobrenome judeu ashkenazi que nomeia famílias que se consideram descendentes da tribo hebreia de Judá. É um sobrenome comum entre famílias judias.
O sobrenome data do século XV e ocorre principalmente na Saxônia, sul de Brandemburgo, região de Berlim e sudeste de Mecklemburgo-Pomerânia.
Variantes:
Löwen - variante no plural da língua alemã.
Loewe, Loewen, Lowe, Lowen - variantes comuns.
Löw, Loew, Low - variantes mais comuns no sul da Alemanha.
Leeuw - variante comum na Bélgica e Países Baixos.
Löwer, Lower, Loewer - variantes mais comuns na região do Reno e centro da Alemanha.
Lewyte - variante da região do Báltico.
Lewe - variante do leste europeu e leste da Alemanha.
Löffke - variante encontrada em Brandemburgo e Mecklemburgo-Pomerânia.
Löweck, Loeweck, Löwecke, Loewecke - variantes do norte da Alemanha.
Lew, Lewy, Leve, Levien, Leweke, Lewen, Leven, Lewien, Lewing, Lewke, Lewohn - variantes encontradas no norte e nordeste da Alemanha e no oeste da Polônia.
Louwe, Lewo, Leeuwe - variantes do noroeste e norte da Alemanha.
Leu - variante obsoleta.
Løve, Løver, Løven - variantes na língua dinamarquesa.
Leiw - variante na língua luxemburguesa.
Lew - variante na língua polonesa.
Lejon - variante na língua sueca.
Liun - variante no dialeto romanche.
Lev - variante comum a diferentes línguas eslavas.
Lööf, Leuf - variantes no baixo alemão.
Loei - variante no suíço-alemão e no alemânico.
Leebe - variante na região da Saxônia e Turíngia.
Lewin - variante da Silésia.

734. Esch: sobrenome poligenético que significa campo agrícola, terra áravel num relevo predominante úmido. Provém etimologicamente do termo homônimo do língua gótica com o mesmo sentido. Designa agricultor, homem do campo, camponês. O sobrenome ocorre com mais frequência no oeste da Alemanha e concentra-se fortemente na Renânia-Palatinado. Data do século XV.
Variantes:
Aesch - variante comum na Suíça.
Asch - variante comum na Baviera.
Aeschi - variante no suíço-alemão, principalmente no cantão de Berna.
Ösch, Oesch, Osch - variantes comuns no noroeste da Alemanha.
Escher - variante que significa agricultor de um esch.
Eschert - variante comum na Westfália e Baixa Saxônia.
Eschel - variante do centro-oeste da Alemanha.

735. Sandmann: sobrenome poligenético que significa homem de areia. Designa um habitante de um lugar arenoso, um proprietário de um areal ou um comerciante de areia. A areia era uma matéria-prima largamente utilizada na construção civil na Idade Média. Em Schleswig-Holstein, Sandmann significava membro de um júri, sendo uma germanização da palavra dinamarquesa Sandemand que possui este sentido. 
O sobrenome data do século XIV e ocorre principalmente no noroeste da Alemanha, sendo sua principal concentração na região de Emsland.
Variantes:
Sandmanns, Sandman, Sandmans - variantes comuns.
Sandtmann, Sandemann - variantes do norte da Alemanha.
Santmann, Santemann - variantes arcaicas.
Sandmandl, Sandmandal - variantes no dialeto bávaro.
Sandermann - variante relacionada.

736. Wunsch: sobrenome poligenético que significa literalmente desejo, mas a raiz semântica é diferente da palavra na língua moderna. O termo apropriado para identificar a origem do sobrenome é wendisch que possui dois significados: inconstante e eslavo (povo). 
No primeiro aspecto elencado (inconstante) a palavra é atestada desde 1691 e serve para denominar pessoa inconstante, pessoa volúvel ou ainda pessoa temperamental, bem como pessoa brincalhona. É um termo usado diferentemente conforme a situação.
No segundo aspecto (eslavo), Wendisch seria a forma surgida na Silésia para o alto alemão medieval wenden que significa justamente eslavo, povo do leste.
O sobrenome se distribui uniformemente em toda a Alemanha e Áustria, com uma concentração especial no oeste de Baden-Wüttemberg. Data do século XVII.
Variantes:
Wunsche, Wunschen, Wunchs, Wunsches - variantes comuns.
Wünsch, Wünsche, Wuensche, Wuensch - variantes mais frequentes no leste e sul da Alemanha.
Wendisch, Windisch, Wendische, Windische - variantes comuns na Silésia e Saxônia.

737. Kleber: sobrenome poligenético que significa construtor de paredes de barro, construtor de casas de barro. Etimologicamente provém do termo homônimo do alto alemão medieval que significa aproximadamente coisa que liga, coisa que cola, coisa que junta, coisa pegajosa. O sobrenome data do século XIV e ocorre principalmente na região de Berlim e na região de Munique.
Variantes:
Klebers - variante comum.
Kleper, Klepers - variantes do centro-oeste da Alemanha e região renana.
Kléber - variante do leste da França.
Kläber, Klaber, Klaeber, Kläbers, Klabers, Klaebers - variantes mais comuns no norte da Alemanha.
Kleiber, Klaiber, Kloiber, Kleiper, Klaiper, Kloiper - variantes do sul da Alemanha.
Kleiver, Klaiver - variantes do noroeste da Alemanha.
Klyber - variante no suíço-alemão.
Klever - variante dos Países Baixos.
Kluiver - variante encontrada na Bélgica, Países Baixos e noroeste da Alemanha.

738. Kiesel: sobrenome poligenético que significa seixo. Etimologicamente provém do termo do alto alemão medieval kisel e do alto alemão clássico kisil com o mesmo sentido. Denomina o habitante de uma zona com muitos seixos ou muito cascalho. O sobrenome ocorre irregularmente na Alemanha com concentrações no noroeste e sul do país.
Variantes:
Kiesels - variante no genitivo da língua alemã que também significa silícico.
Kisel, Kisil - variantes antigas.
Kies, Kiese, Kieses - variantes que significam cascalho na língua alemã.
Kiselsten - variante na língua sueca.
Kieselbach - variante que significa rio de seixos.
Kieselhorst - variante que significa pântano com seixos.
Kiesler, Kiesle, Kiesl - variantes no alto alemão.
Kiesl - variante do sul da Alemanha e Áustria.
Kissel - variante comum no centro da Alemanha.
Kisell - variante comum nos Estados Unidos da América.

739. Abele: sobrenome que pode ser uma variante de Albrecht ou Abel, entretanto também pode ser um poligenético que significa choupo-branco ou álamo-branco (Populus alba) - árvore de madeira branca com largo uso na carpintaria e marcenaria. O sobrenome concentra-se principalmente em Baden-Wüttemberg. A única variante é Abeles.

740. Dorsch: sobrenome poligenético que significa bacalhau (gênero Gadus). Etimologicamente é um termo originário da região do Báltico. O bacalhau é um peixe que serve de base para a alimentação das populações costeiras do mares Báltico, do Norte e do litoral atlântico europeu desde a Antiguidade, sendo o seu consumo muito comum. O sobrenome designa o pescador ou comerciante de bacalhau. O sobrenome data do século XVI e ocorre com mais frequência (curiosamente!) no norte da Baviera.
Variantes:
Dorschs, Dorsches - variantes no genitivo da língua alemã.
Dorsche - variante no plural da língua alemã.
Dorschmann - variante com o sufixo mann.
Dorschel - variante comum na Turíngia.
Dorschen - variante do noroeste da Alemanha e Polônia.
Dorschhaus - variante que significa loja que vende bacalhau.
Dorschleber - variante que significa fígado de bacalhau.
Dorschner - variante encontrada em Jena.
Torsk - variante nas línguas dinamarquesa e sueca.
Dorsz - variante na língua polonesa.
Kabeljau - variante que designa o verdadeiro bacalhau (Gadus morhua) do mares do Norte.
Kabeljauw - variante na língua holandesa.
Pomuchel - variante no antigo prussiano.

741. Steinhauer: sobrenome poligenético que significa trabalhador de pedreira, graniteiro, minerador de pedras, cortador de pedras, rachador de pedras. O sobrenome data do século XV e ocorre principalmente no oeste da Alemanha, principalmente no Hesse e Renânia-Palatinado.
Variantes:
Steinhauers - variante no plural.
Steinheuer - variante comum na linha limítrofe entre a Renânia do Norte-Westfália e Renânia-Palatinado.
Steinhäwer, Stenhouwer - variantes no baixo alemão.

742. Montag: sobrenome poligenético que significa segunda-feira. Etimologicamente provém do alto alemão medieval mantac ou mentac e corresponde a "dia da Lua" ou "dia da deusa da Lua". O significado do sobrenome pode ser entendido como alcunha de credor ou cobrador. Na Idade Média, as cobranças de alugueis, dívidas ou juros eram costumeiramente realizadas neste dia. Por isso, o sobrenome surgiu como uma espécie de denominação pejorativa para aqueles que realizavam seu ofício neste dia.
O sobrenome ocorre em toda a Alemanha e data do século XV.
Variantes:
Montags, Montages, Montage, Montak, Montaks, Montakes - variantes comuns.
Mandag - variante nas línguas dinamarquesa, norueguesa e sueca.
Méindeg - variante na língua luxemburguesa.
Maandag - variante na língua holandesa.
Mandi - variante na língua frísia.
Poniedzialek - variante na língua polonesa.
Glindesdi - variante no dialeto romanche.
Pondelok - variante na língua eslovaca.
Ponedeljek - variante na língua eslovena.
Pondeli - variante na língua tcheca.
Moandei - variante no frísio ocidental.
Montach - variante no dialeto berlinense.
Monda, Afdamending - variante no dialeto bávaro.
Moantog - variante no dialeto steirisch.
Montog - variante da Caríntia.
Maadich - variante no frâncico.
Mondach - variante no dialeto kölsch.
Määntig, Medich, Medig - variantes na língua suábia.
Mäntig - variante no suíço-alemão.
Moontig, Muuntig, Maantig - variantes do Tirol do Sul.

743. Stroh: sobrenome poligenético que significa palha. Etimologicamente provém do alto alemão medieval stro com o mesmo sentido. O sobrenome designa o comerciante ou produtor de palha - matéria-prima para cestaria ou como revestimento de estábulos. O sobrenome data do século XVI e ocorre principalmente no Hesse.
Variantes:
Stro - variante arcaica.
Strohs, Strohes - variantes no genitivo da língua alemã.
Streu - variante que significa literalmente palha de estábulo, mas também maca.
Strawe, Strewe, Straw. Strew, Streuen, Streue - variantes relacionadas.
Ströer - variante incerta.
Strüh - variante no dialeto renano.

744. Mehl: sobrenome poligenético que significa farinha. Provém etimologicamente do alto alemão medieval mel que corresponde a aquilo que foi moído. Designa um moleiro, comerciante de farinha ou padeiro. Data do século XIV e ocorre principalmente na região de Forchheim, Baviera.
Variantes:
Mehls, Mehles - variantes no genitivo da língua alemã.
Mehle, Mehlen - variantes no plural da língua alemã.
Mähl - variante do norte da Alemanha.
Mahl, Mall - variantes do sul da Alemanha.
Mel, Mell, Mele, Melle, Mels, Meles, Melles - variantes encontradas no noroeste da Alemanha e região renana.
Mehlich, Mahlich - variantes do leste da Alemanha.
Mel - variantes nas línguas dinamarquesa e norueguesa.
Maka - variante na língua polonesa.
Muka - variante na língua eslovaca.
Mouka, Moucka - variantes na língua tcheca.
Mjöl - variante na língua sueca.
Meel - variante na língua holandesa.
Mehlmann, Melmann, Mellmann, Mahlmann, Malmann, Mallmann - variantes acrescidas do sufixo mann.
Mehler, Meler, Meller - variantes derivadas.

745. Penner: sobrenome poligenético que significa desabrigado, mendigo, sem-teto. Etimologicamente o termo estaria associado ao latim penitentiarius (penitenciária). Os chamados vagabundos ou desocupados das cidades europeias do fim da Idade Média passaram a ser encarcerados em casas de correção para serem reeducados ao trabalho. Daí surgiu o termo curto Penner. O sobrenome é registrado desde o século XIV e é típico da Westfália.
Variantes:
Penners, Pener, Peners - variantes comuns.
Slusk - variante pejorativa da língua sueca.
Benner, Bender, Pender - variantes relacionadas.
Phenner - variante arcaica encontrada em Kassel.
Penna - variante curta do sul da Alemanha e Áustria.




segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

IHGCL estará presente na XI Festa da Melancia e Potencialidades Regionais de Capão do Leão


O Instituto Histórico e Geográfico de Capão do Leão (IHGCL) estará presente na décima-primeira edição da Festa da Melancia e Potencialidades Regionais de Capão do Leão, que acontecerá nos dias 04, 05 e 06 de Março de 2016 na sede e no entorno do Independente Futebol Clube.

Na ocasião, o IHGCL estará levando parte de seu acervo para exposição, bem como divulgando seu trabalho e propósitos junto à população. O IHGCL também estará coletando fotografias de valor histórico junto às famílias leonenses, além de estar receptivo a doação de outros materiais. O instituto salienta a importância da comunidade no esforço de preservação da memória e história leonenses, pois é por meio dos relatos e fotografias de caráter privado e familiar que se torna possível a construção de um rico acervo cultural de grande interesse. Por isso, quem tiver ou puder levar fotografias antigas ou materiais antigos de interesse, fique à vontade. O IHGCL aceita doações de vários tipos, mas também somente digitaliza fotos, caso a família queira permanecer com as originais. 

O IHGCL estará aberto também ao cadastro de novos sócios e colaboradores.

Mas, antes de tudo, o IHGCL estará presente e convida a todos a conhecerem seu estande para que possam observar o trabalho desenvolvido pela associação. O IHGCL é uma entidade privada, cultural e sem fins lucrativos. 

Venha conhecer o IHGCL!

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Jogo festivo internacional no Capão do Leão em 1915

Trecho extraído de: O CORREIO, 12 de Julho de 1915, pág. 3, col. 1

Match commemorativo
Effectuou-se ante-hontem no Capão do Leão, um match commerativo de foot-ball entre representantes das ligas sportivas de Pelotas e um combinado de athletas da Liga Uruguaya. Após o termino do animado match, em que os brazileiros lograram êxicto com dous goals contra hum dos uruguayos, a Cia Franceza ofereceu aos presentes sandwichs e suco de uva.

Pela occasião, discursaram o sr. Simon, engenheiro da Cia. Franceza, o sr. João Taddey e o representante da Liga Uruguaya, após calorosos vivas em que se celebraram o Brazil, o Uruguay e a França.”

Significado e origem de sobrenomes alemães - Parte 47


716. Koslowski: sobrenome poligenético de origem polonesa comum na Alemanha, concentrando-se em especial no norte do país: Baixa Saxônia, Saxônia-Anhalt, região de Berlim, Brandemburgo e Mecklemburgo-Pomerânia.  O sobrenome tornou-se corrente nas regiões da atual Alemanha durante os séculos XVIII e XIX graças à expansão prussiana. Etimologicamente o sobrenome estaria relacionado a dois termos da língua polaca medieval:
1 - O substantivo Koza ou Kozla que significa cabra, designando assim um pastor de cabras.
2 - O substantivo Kosa ou Kosz que significa cesto, objeto côncavo, podendo designar um fabricante de cestos, um fabricante de sacos de couro, um fabricante de sacos de pano, ou ainda um habitante de um vale ou depressão.
O sufixo wski funciona como patronímico ou indica pertencimento a uma linhagem ou grupo social.
Variantes:
Koslowsky, Koslovski, Koslovsky, Koslofski, Koslofsky - variantes comuns.

717. Geist: sobrenome poligenético que significa espírito ou intelecto. Provém etimologicamente do termo homônimo do alto alemão medieval com os mesmos sentidos. É um sobrenome cujo real significado não está necessariamente vinculado à palavra atual. Segundo o pesquisador Udo Wilhelm, Geist seria a evolução do vocábulo geest que significa terra seca, lugar alto, em oposição à zona úmida dos vales. Por isso, o sobrenome designa o habitante de um lugar seco e alto. O sobrenome ainda pode ser uma forma curta de Heiligen Geist (Espírito Santo), correspondendo assim a um morador ou a uma pessoa que tem vínculo com um lugar que ostente o nome "Espírito Santo" - podendo ser uma capela, uma aldeia, uma abadia, um burgo, etc. 
Numa acepção mais estrita, o sobrenome pode ainda designar pastor de cabras, caso das linhagens do norte do Reno (mas isso não é consenso na Genealogia).
O sobrenome é atestado desde o século XVI e concentra-se principalmente no Hesse e parte de Baden-Wüttemberg.
Variantes:
Geists, Geistes - variantes no genitivo da língua alemã.
Geiste, Geister - variantes no plural da língua alemã.
Gaist, Gayst, Geyst - variantes arcaicas.

718. Fuss: sobrenome poligenético que significa pé, sendo que no sul da Alemanha e na Áustria pode ser usado para denominar perna e pé, no sentido de membros inferiores. Etimologicamente provém tanto do latim pes quanto do grego podos, em ambos com o mesmo sentido. De acordo com o site Mittelhessen, o sobrenome designa pessoa de pé grande ou pessoa que possui pés com características particulares (peludo, esquálido, machucado, perneta, etc.). Fuss também é considerado com muito segurança um vocábulo metafórico para designar pessoa de muita força nas pernas, corredor. O sobrenome data do século XIV e concentra-se principalmente no sudeste da Alemanha.
Variantes:
Rauchfuss - variante que significa literalmente pé peludo.
Klumpfuss - variante que significa literalmente pé torto.
Kinderfuss - variante que significa literalmente pé de criança.
Plattfuss - variante que significa literalmente pé chato.
Sesselfuss - variante que significa literalmente pé de cadeira.
Fuhs - variante mais comum no noroeste da Alemanha.
Fus - variante comum.
Füsses -variante no genitivo da língua alemã.
Füsse - variante no plural da língua alemã.
Fod - variante na língua dinamarquesa.
Fouss - variante na língua luxemburguesa.
Voet - variante na língua holandesa.
Fot - variante nas línguas norueguesa e sueca.
Fuas, Tschagga, Scheiche - variantes no dialeto alemânico.
Fuas - variante no dialeto bávaro.
Quante - variante no dialeto berlinense.
Fööss - variante no dialeto kölsch.
Fuass, Fiass - variante no dialeto suábio.

719. Speck: sobrenome poligenético que significa bacon ou toucinho, mas deve ser entendido para entendimento do sobrenome como gordura, adiposidade, gordura do quadril, gordura da nádega. Etimologicamente remonta ao século X, quando registra-se o termo do alto alemão medieval spekk, aparentado com o antigo nórdico spik, sendo que ambos tendem a possuir os significados acima descritos. Por estas razões, é um sobrenome com diferentes interpretações, a maioria mais ou menos aceita pelos genealogistas. São elas:
1 - O comerciante de carne de porco (muito provável).
2 - O comerciante de gorduras animais (interpretação também muito sustentada pela Genealogia).
3 - Um chacurteiro.
4 - Uma pessoa com quadril gordo ou nádegas proeminentes.
5 - Um topônimo para paisagem entremeada, isto é, um local com diversidade de colinas ou formações florestais dando a impressão visual de "camadas". Há vários locais na Alemanha e na Áustria com o nome Speck.
O sobrenome é mais ou menos bem distribuído na Europa de língua alemã. Data do século XIV.
Variantes:
Specks, Speckes - variantes no genitivo da língua alemã.
Specke - variante no plural da língua alemã.
Spek, Spekk, Spekke, Spekkes, Speks, Spekks - variante antigas.
Späck, Spack, Späk, Spak, Spake, Spakner - variante mais comuns no leste e sudeste da Alemanha.
Speckner - variante mais comum na região renana.
Spyrka - variante polonesa antiga.
Speckig - variante que significa gorduroso.
Spekis - variante na língua letã.
Spack - variante na língua sueca.
Specher, Speicher, Speycher - variantes encontradas na Westfália e Baixa Saxônia.
Speckrin - variante no diminutivo da língua alemã.
Speckmann, Spekmann - variantes acrescidas do sufixo mann.
Specker - variante adjetivada.

720. Hauptmann: sobrenome poligenético que significa capitão no alemão moderno. Etimologicamente é uma aglutinação dos termos Haupt (cabeça, principal) e Mann (homem). Todavia, seu real significado deve ser compreendido como comandante de um grupo, supervisor geral de uma coletividade, chefe-geral. O esclarecimento é necessário pois a função de Hauptmann seja na Idade Média, seja na Idade Moderna, seguramente correspondia a postos de trabalho que iam além do contexto militar. Muitas vezes, o Hauptmann era comumente uma espécie de chefe de um órgão público qualquer. Todavia, isso não exclui que Hauptmann também designasse o capitão de exército. 
No alto alemão antigo, já são registradas as formas haubitmann e houbetmann
Aparentemente o sobrenome data do século XIII e ocorre de forma mais ou menos uniforme em toda a Alemanha e a Áustria.
Variantes:
Hauptman - variante comum.
Hauptmanns, Hauptmanne - variantes no genitivo da língua alemã.
Hauptmänner - variante no plural da língua alemã.
Haubtmann, Haubtman - variantes no baixo alemão.

721. Procházka ou Prochazka: sobrenome poligenético de origem boêmia (República Tcheca) com concentrações importantes no sudeste da Alemanha e destacada frequência no leste da Áustria. Seu significado é caminhada, etimologicamente aparentado com o verbo da língua tcheca prochazet que significa vagar. O sobrenome surgiu por volta de século XV e designa um estudante ou aprendiz de uma loja artesanal que "fez sua caminhada", no sentido de concluinte. Isto é, alguém que atingiu o grau de oficial em uma profissão. Em alguns casos, o sobrenome é interpretado como sinônimo de vagante, caminhante, pessoa errante, mas não há consenso sobre isso. 
Procházka também nomeia uma família nobre importante da Boêmia do século XVI.
Obviamente, o sobrenome é tipicamente frequente na República Tcheca, além das regiões supracitadas. 
Variantes:
Prochaska, Procháska, Prohaska, Prohazka - variantes comuns.

722. Leopold: sobrenome patronímico que significa filho de Leopold. Leopold (Leopoldo em português) é um primeiro nome da língua alemã derivado do nome Liutbald do alto alemão antigo que significa pessoa guerreira, pessoa corajosa. A popularidade do nome na Idade Média se deve a uma dinastia de margraves da Áustria, em especial Leopoldo III, o Santo (1073-1136), aliás considerado padroeiro nacional daquele país. O sobrenome está mais ou menos distribuído de forma regular em toda a Europa de língua alemã, mas é inequívoca sua forte concentração na Áustria. Data do século XIII.
Variantes:
Leopoldt, Leopolt, Leopolde - variantes comuns.
Leutold - variante encontrada na região de Berlim.
Lupold, Luitpold, Luitbolt, Luitpolt, Luitbolt - variantes arcaicas.
Liutold - variante encontrada no sul da Áustria.
Leuthold - variante encontrada na Suíça, Áustria e sul da Alemanha.
Liutbold, Liutpold, Liutbolt, Liutbolt - variantes arcaicas do norte da Alemanha.
Lebold - variante encontrada no Sarre.
Leibel - variante comum no Palatinado e Alsácia.
Leibelt - variante do centro-leste da Alemanha.
Leipelt - variante do sudeste da Alemanha e Áustria.
Liepelt - variante do norte da Alemanha.
Leibold, Leibolds, Leipold - variantes comuns na Baviera e Baden-Wüttemberg.
Leybold, Laipold - variantes do sul da Alemanha e Áustria.
Leypold - variante encontrada em Baden-Wüttemberg.
Leiboldt, Leyboldt - variantes do norte da Alemanha.
Liebaldt, Liebold, Liebhold, Leupold, Leubold, Leibhold, Leubel - variantes distribuídas do centro-norte ao oeste da Alemanha.
Liebel - variante do centro-oeste da Alemanha.
Löbell, Loebell, Lobell, Löbel, Loebel - variantes do antigo Reino da Prússia.
Löbl - variante curta da Suábia.
Leupelt - variante encontrada na Westfália.
Lewbold - variante encontrada na Baixa Saxônia.
Lüpold - variante encontrada na Saxônia e Brandemburgo.
Poldi - variante no diminutivo.

723. Wunder: sobrenome poligenético que significa milagre, algo maravilhoso, algo inexplicável. Etimologicamente provém do alto alemão antigo wuntar com o mesmos sentidos, mas também como sinônimo de choque, surpresa. A origem do substantivo não é clara, por isso não há consenso sobre o significado do sobrenome. São hipóteses aceitas uma referência física ou comportamental, talvez um traço de caráter que se destaque. Na Saxônia medieval, o vocábulo servia para denominar o pigmento azul extraído de minas de cobalto utilizado em cerâmica. Neste caso, poderia denominar o mineiro de minas de cobalto, o comerciante de cobalto ou um porcelanista. O sobrenome é registrado desde o século XV e distribui-se mais ou menos uniformemente na Alemanha, com uma pequena concentração na linha limítrofe bávara-turíngia.
Variantes:
Wunders - variante no genitivo da língua alemã.
Wunderer - variante arcaica.
Wunderl, Wunderls, Wunderle, Wunderli, Wunderlin - variantes associadas ao sul da Alemanha e Suíça.
Wunderlich - variante que significa lunático, maluco, louco.

724. Laub: sobrenome poligenético que significa folha caduca, decídua (isto é, que caiu ao chão) aproximadamente, mas trata-se de um termo que descreve mais precisamente o conjunto de folhas caducas no chão (e outros resíduos orgânicos vegetais) - cenário tipicamente outonal na Europa Central. Etimologicamente provém do termo do antigo germânico lauba com o mesmo sentido. Designa um habitante de uma paisagem com muitas folhas caducas. Entretanto, figurativamente pode também designar uma pessoa de aspecto doente fisicamente - isto é, representando a palidez e a fragilidade de uma "folha morta".
O sobrenome é mais comum no norte da Alemanha.
Variantes:
Laube - variante comum no noroeste da Alemanha.
Lauber, Laubmann - variantes relacionadas.

725. Hauer: sobrenome poligenético que significa mineiro. Etimologicamente provém do termo do alto alemão medieval haue que corresponde a abate, arranque, corte. Neste aspecto dos significados antigos, surge uma outra possível correspondência: Hauer também é uma palavra usada entre caçadores para designar a presa do javali, por isso em um contexto mais estrito pode denominar igualmente caçador de javalis. Contudo, admite-se que a explicação inicial é preponderante do ponto de vista da Genealogia.
Na Áustria designa um enólogo (Weinhauer).
O sobrenome concentra-se mais no oeste e no norte da Alemanha, mas se estende regularmente em toda a Europa de língua alemã.
Variantes:
Hauers - variante no genitivo da língua alemã.
Hauern - variante no plural da língua alemã.
Huggare - variante na língua sueca.

726. Mahr (1a. vertente): sobrenome poligenético que significa lago, pântano, vala. Etimologicamente provém do termo homônimo do baixo alemão medieval com o mesmo sentido.
Mahr (2a. vertente): sobrenome poligenético ou patronímico derivado historicamente do alto alemão antigo mari que significa famoso, lindo, grande. 
Quanto à sua distribuição não há uma região específica na Alemanha que agrupe um maior número de famílias com esse sobrenome, pois ele ocorre irregularmente do oeste ao leste.
Variantes:
Marhs, Marr, Mar, Marre, Maar - variante relacionada.
Mehrs, Mers - variantes na língua gótica.

727. Bruder: sobrenome poligenético que significa irmão. Provém etimologicamente do alto alemão medieval bruoder com o mesmo sentido. O sobrenome pode designar simplesmente um irmão, sendo que, no caso, muito provavelmente alguém que é irmão consanguíneo de um nobre ou guerreiro importante. Todavia, o sobrenome também pode designar um membro leigo de um ordem religiosa regular ou um membro de uma fraternidade universitária, profissional ou de outra natureza. O sobrenome concentra-se especialmente em Baden-Wüttemberg, com alta ocorrência na sua região ocidental.
Variantes:
Bruder, Bruders, Bruderin - variantes comuns.
Brüder - variante no plural da língua alemã.
Breur - variante na língua bretã.
Bralis - variante na língua letã.
Bruols - variante na língua latgalian.
Brolis - variante na língua lituana.
Braar - variante no dialeto da Ilha de Man.
Broer, Broeder - variantes na língua holandesa.
Bror - variante na língua norueguesa.
Brat - variante na língua polonesa.
Bror - variante na língua sueca.
Brats - variante na língua sérvia.
Bratr - variante na língua tcheca.
Broder - variante no dialeto kölsch.
Bruda, Brula - variante no dialeto do Palatinado.
Atze - variante no dialeto berlinense.

728. Knopp: sobrenome poligenético que significa botão. Provém etimologicamente do baixo alemão medieval knoop com o mesmo sentido. No alemão moderno vigora a forma knopf para botão. De acordo com o pesquisador Peter Knopp o sobrenome possui três acepções possíveis:
1 - Denomina a profissão de Knopfmacher, isto é, fabricante de botões, que inclui também a fabricação de cintos, fivelas, adereços de vestuário, etc., e até teclas para pianos e outros instrumentos musicais.
2 - Designa alguém que trabalha com laços ou nós (impreciso).
3 - Uma forma figurada para denominar homem pequeno e gordo.
O sobrenome data do século XIV e ocorre principalmente na região de Westerwaldkreis, na Renânia-Palatinado, em também com focos importantes na Renânia do Norte-Westfália e Baviera.
Variantes:
Knopf, Knopff, Knopfs, Knopfes, Knöpfe, Knopfe, Knouf - variante relacionadas ao alto alemão.
Knop, Knoppe, Knoppen - variantes relacionadas ao baixo alemão.
Knopfmacher - variante que significa literalmente fabricante de botões.
Knapp - variante na língua sueca.
Chnopf - variante na língua alemânica.

729. Salomon: sobrenome patronímico que significa filho de Salomon. Salomon (Salomão em português) é um primeiro nome da língua alemã, popular desde a Idade Média graças ao rei hebreu homônimo descrito na Bíblia. Embora não seja uma regra estrita, a maioria das linhagens de Salomon tende a ser judias (ashkenazi). O sobrenome data do século XII e concentra-se na metade sul da Alemanha.
Variantes:
Salomons, Solomon, Solomons, Salomo - variantes comuns.
Shlomo, Schlomo - variantes judaicas.
Salenmon - variante prussiana.
Saluman - variante arcaica.

730. Strunk: sobrenome poligenético que significa talo, tronco de árvore, objeto baixo e oblongo. Provém etimologicamente do alto alemão medieval strunc com o mesmo sentido. Designa figurativamente pessoa baixa atarracada, bem como na região do Báltico um tipo de vestimenta agrícola com formato parecido. O sobrenome concentra-se na Renânia do Norte-Westfália. Data do século XV.
Variantes:
Strunks, Strunkes - variantes no genitivo da língua alemã.
Strünke - variante no plural da língua alemã.
Strunck, Struncks, Struncke - variantes do norte da Alemanha.
Strunkis - variante da região do Báltico.
Striuke - variante encontrada na Lituânia.
Strunkeit - variante na região da Prússia Oriental.
Strunkait, Strunkys, Strunka - variantes relacionadas.











Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...