sábado, 9 de julho de 2016

Significado e origem de sobrenomes alemães - Parte 52


776. Zinke: sobrenome poligenético que significa dente ou forcado. Etimologicamente provém do alto alemão medieval zinko com o sentido de apêndice longo de uma ferramenta ou objeto (garfo de feno, forcado, ancinho, pente, etc.). O vocábulo é mais usado para se referir aos "dentes" de uma ferramenta, todavia figurativamente pode também designar dentes humanos. A Genealogia considera que Zinke tanto pode ter origem numa referência a um trabalhador que usa um instrumento com dentes, um artesão que produz ferramentas com dentes ou ainda figurativamente alguém que possui dentes proeminentes em série. O sobrenome é mais comum na metade oriental da Alemanha e concentra-se sobretudo no norte da Saxônia, região de Berlim, extremo-sul da Baixa Saxônia e sul da Saxônia-Anhalt.
Zinke também é um topônimo comum na Europa da língua alemã, comumente encontrado em regiões montanhosas que lembram os "dentes de um forcado".
Data do século XV.
Variantes:
Zinken - variante simples no plural.
Zinko - variante arcaica.
Zincke - variante comum no sudeste da Alemanha e Áustria.
Zincken - variante comum no leste da Alemanha.
Zink - variante curta comum na Baviera. Também significa zinco.
Zingg - variante muito comum na Suíça.
Zing - variante pouco usual com origem na Suábia.

777. Behringer: sobrenome que pode ser tanto um toponímico quanto um patronímico. Enquanto patronímico está relacionado ao antigo primeiro nome alemão masculino Bero (urso). De acordo com Klaus Butenbach, no século XIII encontra-se as formas Bere e Bering como correspondentes a filho de Bero. Enquanto toponímico se refere a uma série de lugares na Alemanha, particularmente os mais importantes dois municípios, um em Baden-Württemberg e outro na Turíngia. O sobrenome concentra-se na metade meridional da Alemanha.
Variantes:
Beringer - variante simples.
Bering, Behring - variantes mais comuns no centro-sul da Alemanha, com ocorrências significativas no norte da Alemanha.
Bähringer - variante encontrada na Turíngia.
Baeringer - variante encontrada na Baixa Saxônia e Hesse.
Berringer - variante encontrada no nordeste da Alemanha.
Böhringer, Böringer, Boehringer, Boeringer - variantes espalhadas irregularmente pela Alemanha e Suíça.
Behling, Beling, Behlinger, Belinger - variantes do norte da Alemanha e também com ocorrência na região central.
Behringen, Beringen, Bohringen, Boringen - variantes relacionadas.

778. Schmuck: sobrenome poligenético que significa joia, ornamento. Provém etimologicamente do baixo alemão oriental medieval smuck que significa aproximadamente joia, coisa preciosa, coisa dobrável, ornamento. Designa o artesão especializado na confecção de joias, ornamentos, cintos ou fivelas. Todavia pode derivar de casos especiais igualmente:
1 - Um patronímico para o antigo primeiro nome alemão Smucho, hoje em completo desuso.
2 - Em alguns locais do norte da Alemanha, usado de forma figurada para denominar pessoa pequena
3 - Na Suíça, corresponde a homem de pescoço retraído.
Todavia, a Genealogia sustenta que o sobrenome enquanto nome profissional é mais abundante como origem na maioria das linhagens. 
O sobrenome data do século XIV e ocorre principalmente nas regiões de Hamburgo, Munique, Pinneberg, Berlim, Mainz-Bingen e Ravensburg. Também é significativo na Áustria, Suíça e na região dos Sudetos, República Tcheca.
Variantes:
Schmücking - variante mais comum no norte da Alemanha.
Schmückle, Schmuckle, Schmuckli, Schmückle - variantes mais comuns no sul da Alemanha e Suíça.
Schmugg, Schmugge, Schmug, Schmuge - variantes mais comuns na Baviera, Hesse e Baden-Württemberg.
Smuck - variante arcaica do norte da Alemanha.
Smuc - variante rara.
Schmucker - variante derivada no comparativo da língua alemã.
Smokke, Smoke, Smokk, Smok - variantes pouco usuais encontradas no norte da Alemanha.
Smuchart - variante do norte e nordeste da Alemanha.
Schmuckat - variante encontrada na Saxônia e norte da Baviera.
Schmukert - variante encontrada no centro e centro-oeste da Alemanha.
Schmuckermeier, Schmuckermeyer - variantes que significam mestre-joalheiro.
Schmuckler - variante do sul da Alemanha.
Schmück - variante encontrada na Baixa Saxônia.
Schmücking, Schmucking - variantes mais comuns no Hesse, Renânia do Norte-Westfália e Turíngia.
Schmok - variante incerta, pois concentra-se em Brandemburgo e Mecklemburgo-Pomerânia, mas pode corresponder a um vocábulo regional que significa fumaça, névoa, designando também o trabalhador de minas de carvão. Variantes diretas: Schmöckel, Schmökel, Schmoke, Schmok, Schmokke, Schmoke.

779. Taube: sobrenome poligenético que significa pombo. Etimologicamente provém do alto alemão medieval tube com o mesmo sentido. O Basel Portal compreende que o sobrenome denomina pessoa mansa, pessoa submissa. O sobrenome foi registrado primeiramente em 1288 e ocorre principalmente nas regiões do Oberlausitz, Pomerânia, Brandemburgo, bem como na Polônia, no Báltico e nas regiões do leste europeu de influência alemã.
Taube também é um topônimo comum na Alemanha.
Variantes:
Tauben - variante no plural da língua alemã.
Duben, Tuben - variantes arcaicas relacionadas.
Daube, Dauben - variantes na região do baixo alemão.
Duif - variante na língua holandesa.
Due - variante na língua dinamarquesa.
Duva - variante na língua sueca.
Dove - variante na língua inglesa.

780. Neuner: sobrenome poligenético que significa nove, particularmente em alguns falares regionais do sul da Alemanha e serve para denominar qualquer coisa com o valor, tamanho ou medida do número nove no restante do País. É um sobrenome muito comum na Áustria e no sul da Alemanha.
Nove foi um número importante entre os antigos povos celtas e germânicos antes do processo de cristianização que introduziu o simbolismo do número sete, importado do Oriente e do Mediterrâneo. Por esta razão, na Europa Central do primeiro milênio da Era Cristã o número nove indicava excelência, plenitude, perfeição. Em muitas expressões idiomáticas e provérbios em que predominam as línguas de matriz germânica na Europa a reminiscência do número nove é bem perceptível. De acordo com Hans Markus Thomsen, a denominação Neuner significa ao se referir a uma pessoa algo como atrevido, intrépido, picante, sabichão, esmerado, esmero. Na Suábia e nas regiões do baixo alemão encontram-se estes significados. 
Na região do Reno, os antigos tribunais eram compostos por nove juízes municipais, por isso Neuner também indica um antiga função judicial.
Neuner também é um topônimo comum na região dos Alpes Austríacos e no Tirol do Sul, Itália.
O sobrenome data do século XIV e ocorre em toda a Alemanha.
Variantes:
Neun - variante simples que significa nove (numeral).
Nuener - variante arcaica da região do Reno.
Neunerd, Neunerdt, Neunert - variantes do centro-noroeste da Alemanha.
Neuneier, Neuneyer - variante que corresponde a um funcionário de um tribunal de nove juízes (como visto um costume da região do Reno).
Neunherz - variante composta que significa nove corações. É a denominação figurada para muito corajoso.
Neunast - variante composta que significa figurativamente bom madeireiro, excelente lenhador.
Neunfinger - variante composta que significa figurativamente artesão habilidoso, profissional que usa habilmente os dedos.
Neunteufel, Neundeubel - variantes compostas que significam figurativamente nove diabos.
Neunkirchen - variante composta que significa literalmente nove igrejas e figurativamente pessoa que beneficia igrejas, pessoa que beneficia a religião.

781. Knauf: sobrenome poligenético que significa botão, maçaneta, globo, pomo, peça arrendondada. Provém etimologicamente do alto alemão medieval knouf com o mesmo sentido. Segundo o Krueger-Wiedenbrueck, o termo é usado figurativamente para designar homem áspero ou homem rechonchudo. É mais comum na Renânia do Norte-Westfália. Data do século XIV.
Variantes:
Knauff - variante concentrada na região de Schwalm-Eder-Kreis.
Knaufel - variante encontrada na Westfália e Hesse.

782. Haufe: sobrenome poligenético que significa pilha, montante, amontoado, rebanho. Provém etimologicamente do alto alemão medieval hufo com sentidos idênticos. O sobrenome pode designar:
1 - Um habitante de uma colina ou de um local com casas amontoadas.
2 - Um integrante de uma tropa militar. Haufe é um termo comum para denominar uma unidade militar qualquer ou um bando guerreiro.
3 - Um local com pilhas de madeira ou rocha, correspondendo assim um habitante de um local com estas características.
Haufe também é um topônimo comum na Alemanha.
O sobrenome ocorre desde o século XIII e concentra-se no norte da Alemanha, mas está igualmente distribuído no resto do País.
Variantes:
Hauffe - variante comum na Saxônia e região de Karlsruhe.
Haufen - variante simples no plural da língua alemã.
Huffmann - variante composta que tende a ser interpretada como lenhador que empilha madeiras. É própria da Saxônia.
Huff, Hauf - variantes curtas
Hauff - variante mais comum na região da Boêmia.
Humpel, Hump, Hümpel - variantes na região do baixo alemão.
Hoop - variante na língua holandesa e no baixo alemão.
Hop - variante na língua sueca.
Hufe, Houf, Houfe - variantes arcaicas.

783. Leber: sobrenome poligenético que significa literalmente fígado. Provém etimologicamente do alto alemão medieval lebara ou lebera com o mesmo sentido. O sobrenome denomina o açougueiro ou açougueiro de vísceras no sul da Alemanha, região dos Sudetos, República Tcheca e região fronteiriça alemã-austríaca. Na realidade, o termo é ultrapassado, sendo considerado em desuso desde o fim do século XVIII, embora tenha permanecido em alguns falares regionais.
Data do século XVI e ocorre principalmente nas áreas supracitadas e em alguns locais da Suíça alemã.
Variante:
Lebers - variante simples no plural.
Leiber, Leibers - variantes associadas na região central e centro-sul da Alemanha.
Leberl - variante mais comum na Áustria.
Lebar - variante arcaica.

784. Stürmer: sobrenome poligenético que significa atacante, pessoa que ataca, pessoa que agride. Está aparentado diretamente com o vocábulo alemão sturm que quer dizer tempestade.  O sobrenome tem sua origem no meio militar e quer dizer aproximadamente guerreiro que ataca impetuosamente, guerreiro corajoso. O sobrenome é mais comum no sul da Alemanha.
Variantes:
Sturmer, Stuermer - variantes simples.
Sturmers, Stuermers, Stürmers - variantes no genitivo da língua alemã.
Stümer, Stuemer, Stumer, Stümers, Stuemers, Stumers - variantes mais comuns no sul da Alemanha.

785. Schneemilch: sobrenome poligenético com duas explicações possíveis:
1 - Schneemilch é um tipo de sopa tradicional do centro da Alemanha à base de leite e ovo, antigamente vendida em tavernas de beira de estrada. Pode por isso designar o comerciante deste tipo de alimento.
2 - O sobrenome pode designar também o comerciante de leitelho. 
Schneemilch literalmente quer dizer leite-neve.
O sobrenome concentra-se especialmente no leste da Baixa Saxônia e oeste da Saxônia-Anhalt.
Variantes:
Schneemus - variante na região do baixo alemão.
Schlegelmilch - variante encontrada na região de Berlim e na Turíngia.
Schleemilch - variante encontrada na Turíngia e Hesse.
Slegemilch - variante relacionada.
Schneemilcher, Schneemelcher, Schlegelmilcher, Schlegelmelcher, Slegemilcher, Slegemelcher - variantes derivadas.
Slemilch - variante arcaica.

786. Schneemann: sobrenome poligenético que significa boneco de neve. Todavia o sobrenome se relaciona a um termo do baixo alemão medieval que serve para designar o morador da borda, do limite, da fronteira de um distrito, condado ou área feudal qualquer. O sobrenome é comum nas regiões de Göttingen e Friedland.
Não se descarta que Schneemann possa também ter se originado de um apelido para designar homem parecido com um boneco de neve, mas isso se refere a linhagens seguramente fora da área do baixo alemão. O primeiro registro do sobrenome é do século XVIII.
Variantes:
Snemand - variante na língua dinamarquesa.
Schnéimännchen - variante na língua luxemburguesa.
Sneemann - variante no baixo alemão moderno.
Sneeuwman, Sneeuwpop - variantes na língua holandesa.
Snomann - variante na língua norueguesa.
Snowman - variante na língua inglesa.

787. Schneekönig: sobrenome poligenético que significa literalmente rei do inverno ou rei da neve. È um termo regional particular da Silésia, Turíngia e Saxônia para designar o pássaro carriça (Troglodytes troglodytes), que tem por hábito cantar alegremente mesmo no mais rigoroso inverno. Por isso, o sobrenome serve para designar pessoa muito alegre, pessoa com muita vivacidade, pessoa "feliz da vida". 
O sobrenome é mais comum na Saxônia, sul de Brandemburgo e Silésia.
Variante:
Schneevogt - variante regional de Schleswig-Holstein.

788. Schnee: sobrenome poligenético e toponímico que significa neve. Provém etimologicamente do alto alemão medieval sne, por sua vez derivado do alto alemão antigo sneo, ambos com o mesmo sentido.
Schnee é um sobrenome com origem muito ampla na Europa da língua alemã e germânica, pois os mais variados motivos podem ter levado a alguém receber a alcunha. Refere-se a lugares tanto na Alemanha, Suíça e Áustria, bem como pode se referir à cor dos cabelos de alguém, o fato de alguém morar num lugar em que constantemente neva, assim como indicar um aspecto comportamental ou ainda uma vinculação religiosa (a devoção à Santa Maria das Neves decorrente de um milagre que aconteceu no século IV é especialmente forte na Alemanha católica).
O sobrenome data do século XIV e ocorre em toda a Europa de língua alemã.
Variantes:
Snow - variante direta na língua inglesa.
Snijeg - variante na língua croata.
Schnees - variante no genitivo da língua alemã.
Snee, Snai, Snei - variantes na região do baixo alemão.
Sneeuw - variante na língua holandesa.
Sno - variante na língua norueguesa.
Sneg - variante na língua polábia, na língua sérvia e na língua eslovena.
Snieg - variante na língua polonesa.
Naiv - variante no dialeto romanche.
Snö - variante na língua sueca.
Sneh - variante na língua eslovaca.
Snih - variante na língua tcheca.
Snie - variante no frísio ocidental.
Schnää - variante no bávaro.
Schnéa, Schnéé - variante no suábio.
Altschnee - variante composta que significa literalmente neve velha. Diz-se a respeito dos lugares em que há neve perene.
Neuschnee - variante composta que significa literalmente neve nova. Diz-se a respeito dos lugares que não registram neve além de três dias de nevasca.
Blutschnee, Roterschnee - variantes compostas que significam neve-sangue. Diz-se a respeito de lugares em que no período de degelo da neve no verão acontece uma mistura com pigmentos vermelhos ou rosáceos causados por micro-organismos.
Büsserschnee - variante composta que significa neve em forma de pirâmide ou cilindro. É um fenômeno meteorológico que acontece em altas altitudes.
Faulschnee - variante composta que significa a mistura de neve e água corrente que acontece em alguns locais frios.
Feuchtschnee - variante composta que significa neve molhada. Diz-se a respeito de lugares em que ocorre um tipo de neve úmida que se descongela facilmente. Variante: Nassschnee.
Pulverschnee - variante composta que significa neve em pó. Diz-se a respeito da neve muito congelada que forma grânulos uniformes e não se descongela facilmente.

789. Schweinsteiger: sobrenome poligenético com origem na Baviera que significa aproximadamente lugar dos porcos, chiqueiro, pocilga, ou numa melhor acepção ladeira ou subida do(s) porco(s). Está concentrada na região de Rosenheim, Alta Baviera e com outra linhagem na região de Berlim (provavelmente por causa da migração interna). O registro mais antigo dá conta de um Kaspar Schweinsteiger em Brannenburg no ano de 1494.
Variante:
Schweinsteig - variante simples.

790. Siemens: sobrenome patronímico que significa filho de Simon (Simão em português). Siemens é um patronímico típico da Baixa Saxônia. A família empresarial alemã famosa tem sua origem na cidade de Goslar na mesma região. O mais antigo registro do sobrenome é de 1384. 
O sobrenome ocorre na metade ocidental da Alemanha, mas principalmente na Baixa Saxônia.
Variantes:
Siemen - variante simples.
Symonis - variante arcaica.
Simonis - variante na região do baixo alemão.
Schimanski - variante polonesa da família.







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...