quarta-feira, 6 de julho de 2016

Significado e origem de sobrenomes alemães - Parte 51


761. Knebel: sobrenome poligenético que significa literalmente mordaça no alemão moderno, mas também significa chave de soquete (ferramenta), um tipo de freio e igualmente um tipo de cutelo. Etimologicamente vincula-se ao termo do alto alemão clássico knebil, bem como ao antigo saxão knevil, ambos com o sentido de coisa que aperta. Todavia, a palavra também se relaciona com o termo knabe (menino), ou ainda com o alto alemão medieval knip (faca). O Dicionário Grimm arrola uma série de significados para Knebel, mas são mais prováveis as seguintes acepções:
1 - Um afiador de facas na região da Westfália.
2 - Um vendedor de lenhas ou varas de madeira na região do Baixo Reno.
3 - Uma variante derivada de knabe (menino).
4 - Uma forma para designar figurativamente camponês servil, no sentido de "aquele que não tem voz" (dependente, agregado).
5 - Pessoa bruta ou desajeitada, no sentido de "pessoa que se movimenta de modo apertado, teso". 
O sobrenome data do século XIV e ocorre principalmente no norte de Baden-Wüttemberg, noroeste do Hesse e leste da Renânia-Palatinado. Não é um sobrenome muito comum no norte.
Variantes:
Knebels - variante no genitivo da língua alemã.
Knebeln - variante no plural da língua alemã.
Knobel, Knobbel, Knubel, Knubbel - variantes relacionadas.

762. Frost: sobrenome poligenético mais comum na língua inglesa, mas que possui igualmente sua vertente original alemã. Significa geada, frio. Etimologicamente provém do alto alemão medieval vrost com o mesmo sentido, derivado por sua vez do antigo germânico frusta. Pode significar alguém que mora num local muito frio ou um traço de personalidade como pessoa fria, pessoa desanimada, pessoa branca como a neve (desnutrição aparente), pessoa friorenta. 
O sobrenome concentra-se mais na metade norte da Alemanha, com maiores concentrações no norte da Turíngia e sul de Brandemburgo. Todavia, o sobrenome e suas variantes diretas ocorrem em todas as regiões da Alemanha e Áustria. É provável que as linhagens de Frost do noroeste da Alemanha e nos Países Baixos estejam mais relacionadas à língua inglesa. Frost também é uma palavra homônima nas línguas dinamarquesa, sueca e norueguesa.
Variantes:
Fröste - variante simples no plural da língua alemã.
Froste - variante irregular.
Frosts, Frostes - variantes no genitivo da língua alemã.
Frostig - variante que significa literalmente frio.
Frostbeule - variante que significa frieira e também pés congelados.
Vorst, Vorste - variantes na língua holandesa.
Vrost, Vroste - variantes arcaicas pouco comuns.
Frossa - variante regional da Suécia.

763. Schill: sobrenome poligenético que significa aproximadamente estrábico. Segundo o genealogista Lucas Rochlitz o sobrenome provém etimologicamente do alto alemão medieval schili com o mesmo sentido. O mais antigo registro do sobrenome remete ao nobre Hainrich Schili em 1271, na região do Palatinado - de onde teria se originado o sobrenome. O sobrenoem ocorre em toda a Alemanha, com concentrações significativas no norte do Hesse, noroeste da Turíngia e sudoeste de Baden-Württemberg.
Variantes:
Schil - variante simples.
Shil, Shill - variantes aparentadas na língua inglesa, no noroeste da Alemanha e Países Baixos.
Schiel, Schielle, Schielle - variantes na região do alto alemão.
Zschille - variante encontrada na região de Grossenhain, Saxônia.

764. Teufel: sobrenome poligenético que significa literalmente diabo na língua alemã moderna. É um sobrenome comum no sul da Alemanha, particularmente em Baden-Württemberg. Embora o significado apareça claro num primeiro momento, existem duas explicações para a origem do sobrenome:
1 - Derivado do alto alemão medieval tiufel, tiuvel ou tiefel, proveniente do românico diuvalus, por sua vez derivado do latim diabolus. O significado estrito é diabo. Serve para designar alguém com um aspecto comportamental reprovável ou temível, pode ainda corresponder ao contexto militar para denegrir ou exaltar as virtudes de um guerreiro. Igualmente pode se referir à aparência de alguém.
2 - No caso de linhagens com origem na Suábia, o termo Teufel seria originário de teut ou teuth que corresponde a pessoa, homem do povo, designando assim uma espécie de denominação genérica para indivíduo comum, zé-ninguém, populacho.
O sobrenome data do século XV.
Variantes:
Teufels - variante simples no genitivo da língua alemã.
Teuffel, Teufells - variantes mais comuns na Áustria e sudeste da Alemanha, com pequena concentração também na região de Hamburgo.
Toifl - variante comum da Áustria.
Mannteufel - variante que significa literalmente homem-diabo. Ocorre em toda a Alemanha e nomeia uma família nobre da Pomerânia.
Teufl - variante encontrada na Áustria e Baviera.
Duvel, Duvell, Deufel, Deufell, Deufl, Duvil, Deubel, Düwel - variantes na região do baixo alemão.
Duvelgen, Duvelgyn - variantes encontradas na região de Siegburg.
Deuvele. Teufele - variantes no diminutivos encontradas esparsamente no centro-norte e centro-sul da Alemanha.
Düweling, Dueweling - variantes encontradas na Westfália e Baixa Saxônia.
Neunteufel - variante que significa nove diabos. Origem desconhecida.
Jagenteufel - variante que significa caça-diabo.
Bietendüvel - variante que significa a expressão "morda o diabo" no baixo alemão.
Deubelius - variante latinizada do século XVI.
Duivel - variante na língua holandesa.
Djevel - variante na língua norueguesa.
Diabel - variante na língua polonesa.
Diavel - variante no dialeto romanche.
Dabel - variante na língua tcheca.
Deifel - variante na língua suábia.
Deiwi, Teifi - variantes na língua bávara.
Düwelsche - variante no dialeto kölsch.
Dübel - variante na região de Hamburgo.

765. Stich: sobrenome poligenético que significa ponto, costura, gravura, gravação, picada e coloquialmente loucura. Serve para designar o profissional que trabalha com gravação, que fabrica gravuras, seja em madeira, bronze ou outro tipo de liga metálica. Trata-se de um ofício medieval comum que se tornou mais abundante na época do Renascimento. O sobrenome ocorre em toda a Alemanha, mas principalmente no norte da Baviera, na região de Allgäu, sul de Baden e região de Odenwald.
O sobrenome pode ainda em alguns casos designar indiretamente o ofício de alfaiate.
Variantes:
Stichel - variante encontrada na região de Aschaffenburg.
Sticher - variante com origem na região do Sarre.
Stiche - variante simples no plural da língua alemã.
Sticht, Stichte - variantes encontradas na região do baixo alemão.

766. Platz: sobrenome poligenético que significa literalmente lugar. Etimologicamente deriva do alto alemão medieval platz ou plaz, por sua vez advindo do latim platea, proveniente do grego plateia que corresponderia em sua origem a estrada larga. Por isso, o sobrenome pode ter as diferentes acepções a seguir:
1 - Um morador do espaço central de um burgo ou cidade medieval, isto é, o morador daquilo que pode ser denominado praça central.
2 - Um morador de uma estrada.
3 - Um morador que está estabelecido próximo a um curso d'água largo.
4 - Um padeiro ou confeiteiro especializado na fabricação de pães e bolos de massa compacta e nutritiva (comuns na Alemanha) que servem como frumento ou ração diária. Nesta vertente, a origem seria a região do Reno.
5 - Enquanto toponímico se refere a dez localidades diferentes na Alemanha.
6 - Pode também significar tribunal, designando assim um juiz ou funcionário judicial.
O sobrenome é comum em toda a Alemanha, bem como na Europa da língua alemã.
Variantes:
Plaz - variante antiga.
Blaz, Blatz - variantes pouco comuns encontradas na região do baixo alemão. Podem significar bexiga.
Platzen, Plätze - variantes no plural.
Platzes - variante no genitivo da língua alemã.
Blatze, Blaze, Plaze, Platze - outras variantes relacionadas.

767. Feist: sobrenome poligenético que significa roliço, robusto, gordo. Etimologicamente provém do alto alemão medieval veizt ou veizte com o mesmo sentido. O sobrenome é auto-explicativo. O sobrenome data do século XIV e é comum em toda a Europa da língua alemã, exceto na Áustria, Suíça e sul da Alemanha onde tende a predominar a forma Faist.
Variantes:
Faist - variante comum no sul da Alemanha, Suíça e Áustria.
Feister - variante no comparativo da língua alemã.
Fett - variante que significa literalmente gordura.
Fet - variante na língua sueca.

768. Oldenburg: sobrenome toponímico com boa distribuição na Europa da língua alemã. Refere-se a duas comunidades, uma na Baixa Saxônia, outra em Mecklemburgo-Pomerânia, um distrito na Renânia do Norte-Westfália, e duas cidades, uma em Schleswig-Holstein e a uma na Baixa Saxônia (sendo esta considerada a principal do ponto de vista histórico). Oldenburg ("velho burgo"; "antigo burgo") mais especificamente está relacionada a uma antiga região histórica no noroeste da atual Alemanha, que fez parte do Sacro Império Romano-Germânico. Oldenburg foi um condado incorporado ao Sacro Império surgido em 1108, que tornou-se ducado em 1774 e em 1814 um Grão-Ducado, parte primeiramente da Confederação Germânica e depois do Império Alemão. Após a I Guerra Mundial, Oldenburg tornou-se um Estado Livre, condição perdida após a II Guerra Mundial. Em 1975, houve um referendo para restaurar sua antiga autonomia, mas não foi aprovado pela maioria da população. Oldenburg englobava boa parte do território da atual Baixa Saxônia, com pequenos territórios esparsos em Schleswig-Holstein, Renânia-Palatinado, Sarre e Bremen.
Por isso, Oldenburg é um toponímico que quer dizer nascido ou morador de Oldenburg (o antigo território que existiu até 1946). O sobrenome é muito antigo, pois a família nobre que usou primeiramente este nome data do século XI. O sobrenome concentra-se principalmente no noroeste e norte da Alemanha (principalmente Schleswig-Holstein) e na região do Reno.
Variantes:
Olinborg - variante no antigo baixo alemão.
Ooldenbuurich - variante no antigo frísio.
Oldenburguer - variante derivada.
Oldenburger - variante derivada.
Oldenborg - variante encontrada em Schleswig-Holstein e Dinamarca.
Oldenborch - variante na região do baixo alemão.

769. Zuber: sobrenome poligenético que significa banheira, cuba, vasilha d'água. Etimologicamente provém do alto alemão medieval zuber, por sua vez derivado do alto alemão antigo zubar ou zwibar significando vasilha de duas alças (objeto comum no mobiliário bárbaro germânico). O sobrenome designa o fabricante de banheiras ou o dono de uma casa de banhos na Idade Média. Zuber também é uma medida de capacidade na Alemanha e na Suíça, usada principalmente para a medição de grãos. 
O sobrenome é mais comum no sul da Alemanha e Suíça e data do século XV.
Variantes:
Zubers - variante no genitivo da língua alemã.
Zober - variante arcaica.

770. Garbe: sobrenome poligenético que significa maço, monte, feixe (de feno ou grãos). Provém etimologicamente do alto alemão medieval garba com o mesmo sentido. Garbe é um tipo de técnica de secagem de feno ou grãos típica da Europa Central desde o primeiro milênio da Era Cristã que consiste em criar um maço vertical com os talos ou ramos da planta que se quer juntar. Tal processo auxilia a secagem e o posterior armazenamento. Conforme a imagem: 
Brasão do distrito de Heiligensee, em Berlim
O sobrenome designa por isso um camponês que usa a técnica em seu trabalho agrícola. Garbe também corresponde enquanto toponímico a um rio e um lugar na Saxônia-Anhalt.
O sobrenome é mais comum no norte e leste da Alemanha e data do século XV.
Variantes:
Garba - variante arcaica.
Garben - variante no plural da língua alemã.
Garibo, Gerbo - variantes arcaicas pouco usuais.
Schafgarben - variante que significa milefólio (gênero Achillea).

771. Moos: sobrenome poligenético que significa musgo. Designa um habitante de um local pantanoso. É mais difundido no Hesse e no oeste da Alemanha e também na Suíça e Áustria. Também possui seu correspondente homônimo na língua inglesa. Na Alemanha, foi registrado pela primeira vez em 1459 em Limburg.
Variantes:
Moose - variante no plural da língua alemã.
Mooses - variante no genitivo da língua alemã.

772. Abt: sobrenome poligenético que significa abade. Provém etimologicamente do alto alemão medieval abbet com o mesmo sentido. Pode corresponder a um vassalo ou funcionário de um abade ou abadia, bem como a um mestre de uma corporação de ofício (a denominação "abade" era comum em algumas cidades para a função) ou ainda designar figurativamente um aspecto comportamental como garboso, imponente como um abade ou presunçoso como um abade - na língua alemã, a figura do abade é usada mais frequentemente para indicar poder do que outros títulos hierárquicos.
O sobrenome é mais comum no oeste e sul da Alemanha, bem como na Suíça e Áustria. Concentra-se fortemente no sudeste de Baden-Württemberg.
O mais antigo registro data de 1135 em Colônia.
Variantes:
Abbas - variante arcaica.
Abtid, Abtide - variantes no plural da língua alemã.
Apt, Apti - variantes comuns no sul da Alemanha.
Abts - variante comum no oeste e sudoeste da Alemanha.
Abbt - variante comum na região de Ulm.
Abbts - variante comum no Hesse e Baviera.
Appt, Appts - variantes do oeste e centro-oeste da Alemanha.
Abs - variante curta do sul da Alemanha.
Abbet - variante encontrada na região de Lüneburg.
Ept, Epti, Eptl, Eptle - variantes irregulares no centro e sul da Alemanha.
Apts, Abd, Abds - variantes relacionadas.
Abbot - variante similar na língua inglesa, mas que possui sua vertente alemã em Harthausen, no século XVII. 

773. Schimmel: sobrenome poligenético que pode significar cinzento-claro ou branco. Etimologicamente provém do alto alemão antigo scymel com o mesmo sentido. Verdadeiramente, o termo era e é usado para denominar um tipo de pelagem equina, mormente para o potro que nasce com uma tonalidade cinzenta-clara e quando adulto assume um aspecto mais claro ainda chegando ao branco. A Genealogia considera que o sobrenome surgiu como uma denominação para a cor dos cabelos de uma pessoa. Schimmel também é um município na Saxônia-Anhalt. 
O sobrenome ocorre em toda a Europa de língua alemã (com alguma escassez no oeste da Alemanha), com concentrações significativas na região de Berlim e na Saxônia. Data do século XIV.
Schimmel também é uma denominação para o mofo que ocorre em alimentos na língua alemã.
Variantes:
Schimel - variante comum.
Schimmels - variante no genitivo da língua alemã.
Shimmel, Shimmels - variantes irregulares do noroeste e norte da Alemanha.
Skimmel - variante na língua sueca.

774. Nebel: sobrenome poligenético que significa nevoeiro, neblina. Etimologicamente provém do alto alemão antigo nebul por sua vez derivado do latim nebula que significa nuvem, névoa. O sobrenome designa um habitante de um lugar sombrio ou com muitos nevoeiros. Figurativamente pode também corresponder a pessoa depressiva, sorumbática. O sobrenome data do século XV e ocorre em toda a Alemanha.
Também é um topônimo de dois lugares na Alemanha.
Nebels - variante no genitivo da língua alemã.
Nehbel - variante do leste da Alemanha e Polônia.
Nevel - variante dos Países Baixos.

775. Steininger: sobrenome poligenético que significa aproximadamente habitante de um lugar rochoso ou habitante de um campo com muitas pedras. É um sobrenome com origem e concentração bem definidas: Baixa Baviera e Alta Áustria, ambas regiões vizinhas. Data aproximadamente do século XVI.
Variantes:
Steiniger - variante que significa literalmente pedregoso.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...