quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Significado e origem de sobrenomes alemães - Parte 46


701. Kopf: sobrenome poligenético que significa cabeça. Provém etimologicamente do alto alemão medieval choph com o mesmo sentido. O termo pode representar outros significados como copo ou navio, todavia a Genealogia considera que o desenvolvimento histórico e linguístico da palavra assumiu em diferentes regiões da Europa Central realmente o significado expresso inicialmente. O sobrenome designa aquele que tem uma cabeça grande ou uma cabeça com aspecto ímpar e também usado figurativamente de forma ampla para designar chefe, comandante, pessoa que exerce liderança. Num aspecto muito mais estrito, o sobrenome poderia igualmente corresponder a horticultor. O sobrenome é mais comum no sul da Alemanha e data do século XIII.
Variantes:
Kopff - variante comum no norte da Alemanha.
Kopfs, Kopfes - variantes no genitivo da língua alemã.
Köpfe, Kopfe - variantes no plural da língua alemã.
Kop - variante no baixo alemão.
Glatzkopf - variante composta que significa careca, calvo.
Kinderkopf - variante composta que significa literalmente cabeça de criança. É uma forma pejorativa para designar pessoas de cabeça pequena.
Ochsenkopf - variante composta que significa cabeça de touro. Compreende-se que esta variante é um nome de casa ou ainda uma forma figurada para designar pessoa de rosto angulado, rosto fino.
Schafskopf - variante composta que significa cabeça de carneiro. Pejorativamente designa pessoa tola, simplória.
Totenkopf - variante composta que significa caveira, crânio. Pejorativamente designa pessoa muito magra, esquálida.
Betonkopf, Dickkopf - variantes composta que significam figurativamente pessoa teimosa.
Bubikopf - variante composta que significa cabelo curto, designando portanto pessoa de cabelo curto.
Hitzkopf - variante composta que significa pessoa exaltada, pessoa colérica.
Holzkopf - variante composta que significa cabeça de madeira. Designa figurativamente pessoa estúpida, pessoa ignorante, pessoa de pouca juízo ou saber.
Querkopf - variante composta que significa cabeça de cruz. É uma forma pejorativa para designar pessoa teimosa.
Schwachkopf - variante composta que significa cabeça fraca. Designa pejorativamente pessoa pouco inteligente.
Wirrkopf - variante composta que significa pejorativamente pessoa confusa, pessoa atrapalhada, desastrada.
Pfeifenkopf - variante composta que significa tigela ou fornilho de cachimbo. Designa figurativamente pessoa abusada ou pessoa pouco confiável.
Stecknadelkopf - variante composta que significa cabeça de alfinete. Designa figurativamente pessoa de cabeça pequena.
Hoved - variante na língua dinamarquesa.
Kopp - variante na língua luxemburguesa, nos dialetos berlinense, kölsch, loreno, de Mecklemburgo, da Pomerânia e do Palatinado.
Hoofd - variante na língua holandesa.
Hode, Hovud - variantes na língua norueguesa.
Chau - variante no dialeto romanche.
Huvud - variante na língua sueca.
Hlava - variante nas línguas eslovaca e tcheca.
Omme - variante na região de Berlim e Brandemburgo.
Köpp - variante no dialeto baixo prussiano.
Chopf - variante da Alsácia.
Bonje - variante da região da Lusácia.
Chapp, Chopp - variantes no dialeto loreno.
Nüschel - variante no alto saxão.
Kapp, Kepfel, Kepfle, Kepflich, Keppche, Keppelche, Keppelin, Kepple, Kepplich, Keppsche, Kupp - variantes no dialeto do Palatinado.
Grind, Hira, Meggl - variantes no dialeto suábio.
Chopf, Grind, Naggl - variantes no suíço-alemão.
Bir, Grind, Grint, Scheps, Teschtus, Tetz - variantes do Tirol do Sul.
Dez - variante no baixo alemão ocidental.
Bluza, Happel - variante no dialeto vienense.
Kepp - variante no dialeto wolyniendeutsch.

702. Schreck: sobrenome poligenético que significa susto. Provém etimologicamente do alto alemão clássico homônimo com o mesmo sentido. Designa pessoa assustadora, pessoa de aparência terrível. O sobrenome pode estar vinculado a um aspecto físico, bem como ser uma alcunha utilizada no contexto militar para denominar um chefe impiedoso ou um guerreiro que impõe temor em seus adversários.
O sobrenome está mais relacionado ao sul da Alemanha e data do século XIV.
Variantes:
Schrecks, Schreckes - variantes no genitivo da língua alemã.
Schrecke - variante no plural da língua alemã.
Shrek, Shreke - variantes do noroeste da Alemanha.
Strach, Strache, Straches, Strachel, Strachon, Strachan - variantes que aparecem na língua polonesa, mas que também são comuns no leste da Alemanha e na Boêmia, República Tcheca.
Skraek - variante na língua dinamarquesa.
Schrik - variante na língua holandesa.
Skräck - variante na língua sueca.

703. Depp: sobrenome poligenético que significa desajeitado, desastrado. Embora no alemão moderno o significado seja idiota, tolo, historicamente o termo se relaciona ao vocábulo täppisch que provém etimologicamente do alto alemão medieval taepisch que é uma derivação substantivada do termo tape (pata). Na Idade Média, existia a expressão comum que "enquanto o camponês diligente usa a mão hábil, o desajeitado usa as patas".
O sobrenome é próprio da região renana e data do século XV.
Variantes:
Deppe - variante mais comum na região da Westfália Central-Lippe e região de Hannover.
Deppen - variante comum na região de Osnabrück.
Deppes - variante encontrada no noroeste da Alemanha.
Depps - variante do oeste da Alemanha.
Debbe - variante comum na região leste da Westfália e na região de Bremen.
Debb, Debben, Debbes, Debbs - variantes do noroeste da Alemanha.
Täppisch, Taeppisch, Tappisch, Tapp, Tappe, Tappes, Tapps, Tappen, Tepp, Teppe, Teppen, Teppes, Tepps - variantes mais comuns no centro e centro-sul da Alemanha.
Depping - variante concentrada na Westfália e Baixa Saxônia.
Dabb, Dabbe, Dabben, Dabbes - variantes encontradas na região renana.
Depke, Deppeke, Dapke - variantes do norte e nordeste da Alemanha.
Truschn, Dodscherl - variantes no dialeto bávaro.
Doldi - variante no dialeto francônio.
Döösbaddel - variante no baixo alemão.
Dappes - variante no dialeto do Hesse.
Jeck - variante no dialeto kölsch.
Dubbl, Dubbel - variantes na língua suábia.
Diddi - variante no dialeto do Sarre.
Hejel - variante no dialeto de Kowelenzer.

704. Hauke: sobrenome patronímico que significa filho de Hauke. Hauke (Hugo em português) é um primeiro nome masculino na língua frísia, comum no noroeste e norte da Alemanha. O sobrenome data do século XIV e ocorre principalmente no noroeste da Alemanha.
Variantes:
Haukeli - variante na língua norueguesa.
Haucke - variante comum no norte da Alemanha.
Hauck - variante comum no noroeste da Baviera, sul do Hesse e norte de Baden-Wüttemberg.
Hauk - variante encontrada em Schleswig-Holstein.
Hauge - variante arcaica.

705. Kreis: sobrenome poligenético que significa círculo. Provém etimologicamente do alto alemão medieval kritzen que significa rabisco, desenho. Compreende-se que o sobrenome se refere aproximadamente a condado - não no aspecto de um território feudal de um conde, mas a uma divisão regional existente na Alemanha, comparada no Brasil à microrregião de um estado, uma comarca. Desde a Idade Média, o kreis ou landkreis é um tipo de divisão administrativa e política muito comum, englobando vilas, aldeias e povoados de uma área. Por isso, o sobrenome é um tipo de alcunha para se referir a aquele que vive num kreis ou aquele que é proveniente de um kreis ou ainda um funcionário administrativo ou judicial de um kreis
O sobrenome ocorre em toda a Alemanha e data do século XV.
Variantes:
Kreises - variante no genitivo da língua alemã.
Kreise - variante no plural da língua alemã.
Kring - variante na língua holandesa e no noroeste da Alemanha.
Krets - variante na língua sueca.
Krais, Kreiss, Kreisse, Greis, Greiss - variantes relacionadas.

706. Brandenburg: sobrenome toponímico que significa procedente ou natural de Brandemburgo. Brandemburgo atualmente é um estado da República Federal da Alemanha, situado no nordeste do País, cuja capital é Potsdam. Historicamente, o território de Brandemburgo surgiu na expansão germânica para o leste, quando no século X, foi estabelecido os bispados de Brandenburg e Havelberg na região. Em 1157, foi estabelecida a Marca de Brandemburgo, que séculos mais tarde, em 1701, foi incorporada ao Reino da Prússia, sendo aliás seu centro político.
O sobrenome data do século XVI e concentra-se sobretudo no norte de Mecklemburgo-Pomerânia e no leste da Renânia do Norte-Westfália.
Variantes:
Brandenburguer - variante como adjetivo de origem.
Brandenburgh, Brandenburgher - variantes pouco usuais.
Brendanburg, Brennaburg - variantes arcaicas.
Branneborg, Brannenborg - variante no baixo alemão.
Brandenbursko - variantes nas línguas eslovaca e esloveno.
Bramborska, Braniborska - variantes na língua sérvia.
Braniborsko, Branibory, Brandenburk, Branibor - variantes na língua tcheca.
Brandenburch - variante no dialeto berlinense.
Brandnborch, Brandnborg, Brandnburch, Brandnburg - variantes no dialeto meissnich (Saxônia) e na região de Österland.

707. Cristoph: sobrenome patronímico que significa filho de Cristoph. Cristoph ou Christopher (Cristóvão em português) é um primeiro nome na língua alemã popular desde o início da Idade Média graças a São Cristóvão, santo lendário cristão do século III. Cristoph é uma forma curta que se tornou mais comum que Christopher. O sobrenome data do século XIV e ocorre principalmente nas fronteiras orientais da Alemanha, desde o nordeste até o sudeste.
Variantes:
Christopher - forma original que existe na Alemanha em pequena concentração no noroeste.
Christoffel - variante do sul da Alemanha.
Christof, Christoff, Christophel, Christoffer, Christophers, Christofers, Christofersen, Christophersen - variantes que ocorrem em diferentes regiões da Alemanha, sem concentração específica.
Stoff, Stoffe, Stoffel, Stoffer, Stoffels, Stoffers,  Toffl, Toffel, Toffe, Toffer - variantes curtas do centro e do sul da Alemanha.
Christoforus - variante latinizada do século XIV.
Christuff - variante arcaica do norte da Alemanha.
Christophe - variante na língua francesa.
Christoffel - variante na língua holandesa.
Kristof - variante encontrada nas línguas eslovaca, húngara e dinamarquesa.
Krystof - variante na língua tcheca.
Krzysztof, Krzysztoff - variantes na língua polonesa.

708. Gast: sobrenome poligenético que significa convidado, hóspede, cliente, estranho, hospitaleiro. Etimologicamente deriva do termo homônimo do alto alemão antigo. É uma palavra atestada desde o século VIII e corresponde ao antigo costume medieval da hospitalidade em que um indivíduo passava a habitar a casa ou as terras de outrem por um período temporário que, em alguns casos, poderia se tornar definitivo. Em tempos de guerra, em situações de sítio ou exílio, o costume da hospitalidade era muito recorrente. Por isso, o sobrenome pode ser entendido como estrangeiro ou forasteiro em uma determinada região que passou a habitá-la de modo temporário ou definitivo.
Num aspecto mais estrito, Gast é um termo figurado do meio náutico para designar marujo, tripulante de baixa patente.
O sobrenome data do século XII e concentra-se no sul de Baden-Wüttemberg e sul da Baviera.
Variantes:
Gasts, Gastes - variantes no genitivo da língua alemã.
Gäste - variante no plural da língua alemã.
Gasten - variante relacionada.
Gasthaus - variante que significa literalmente pousada, hospedaria. Variante arcaica de Gasthaus: Gasthus. Variantes relacionadas: Gastaus, Gastus.
Gaest - variante na língua dinamarquesa.
Gjest - variante na língua norueguesa.
Gosc - variante na língua polonesa.
Gäst - variante na língua sueca.
Hosc - variante na língua sorábia.

709. Schwan (1a. vertente): sobrenome poligenético que significa cisne (Cygnus cygnus). Deriva do alto alemão medieval swan com o mesmo sentido. Nesta vertente, o sobrenome deriva de um nome de casa ou ainda de modo figurado designa poeta, menestrel.
Schwan (2a. vertente): sobrenome poligenético que significa área desmatada, área florestal que foi transformada em terreno arável. Etimologicamente se vincula ao verbo swenden do alto alemão medieval que significa arrancar, destruir, consumir. Nesta vertente, o sobrenome denominaria aquele que habita uma área desmatada ou aquele que desmata áreas arborícolas (com o intuito de convertê-las em áreas agrícolas).
Schwan (3a. vertente): sobrenome poligenético usado de forma figurada para designar após o século XVI um luterano, um membro da Igreja Luterana, um seguidor das ideias reformistas de Lutero. No caso, o sobrenome não tem caráter pejorativo e é possível que até luteranos alemães usassem a alcunha como fator de distinção. 
O cisne é um símbolo associado a Martinho Lutero, devido a uma narrativa reformista que diz que o prerreformador tcheco Jan Hus (executado como herege pela Inquisição cerca de 100 anos antes da Reforma Protestante) teria ouvido de um de seus seguidores no momento em que iria ser queimado a seguinte frase: "Hoje você irá cozinhar como um ganso (Hus é a palavra tcheca para ganso), mas a partir de suas cinzas será um cisne ressuscitado!" Na tradição reformista Lutero é identificado como "o cisne ressuscitado" que concluiu a obra iniciada por Jan Hus. Além disso, entre os germânicos, o cisne é um animal associado à ideia de maturação e pureza. 
Nesta terceira vertente, os sobrenomes relacionados tendem a se concentrar no noroeste da Alemanha.
Em relação às outras vertentes, compreende-se que a distribuição do sobrenome é comum em toda a Europa de língua alemã, exceto nas áreas orientais que possuem variantes próprias.
Variantes:
Schwans, Schwanes - variantes no genitivo da língua alemã.
Schwäne - variante no plural da língua alemã.
Schwanen - variante no plural considerada obsoleta.
Swan - variante na língua inglesa, mas que também pode ser considerada um forma arcaica do noroeste da Alemanha. Variante relacionada: Swane.
Schwantz, Schwantze, Schwante, Schwant - variantes do norte e nordeste da Alemanha.
Swantje - variante na região da Frísia.
Schwänin - variante no gênero feminino.
Schwahn, Schwaan - variantes do extremo-norte da Alemanha, comuns também em Mecklemburgo-Pomerânia.
Zwaan - variante na língua holandesa.
Schwanitz - variante relacionada do leste da Alemanha.
Schwanis - uma cidade na Prússia Oriental que pode ser uma variante toponímica.
Swaan - variante no baixo alemão.
Swon - variante na língua sorábia.
Svan - variante na língua sueca.
Svane - variante na língua dinamarquesa.

710. Sack: sobrenome poligenético que significa saco. Etimologicamente provém do alto alemão medieval sac, por sua vez derivado do termo latino saccus, ambos com o mesmo sentido. Sack designa o fabricante ou comerciante de sacos de pano ou ainda o comerciante de estômagos de animais (usado em estofaria). Sack também pode ser uma forma curta do patronímico de Isaac, bem como um topônimo comum na Alemanha. Na Baixa Saxônia e na Pomerânia, o termo assume o significado de rua ou viela estreita que possui declive. O sobrenome se concentra na região do Reno e data do século XIV.
Variantes:
Sackes, Sacks - variantes no genitivo da língua alemã.
Säcke - variante no plural da língua alemã.
Sackmann - variante acrescida do sufixo mann, comum no norte da Alemanha.
Sekk, Sekke - variantes da Escandinávia.
Soog - variante no dialeto bávaro.

711. Spitzer: sobrenome poligenético que significa literalmente apontador, mas seu significado histórico é aquele que vive numa ponta, numa área em formato cônico, numa extremidade de terras ou de um povoado. Provém etimologicamente do alto alemão medieval spitze que corresponde a ponta. O sobrenome data do século XIV e é mais comum no sul da Alemanha.
Variantes:
Spitz - variante curta comum na região renana.
Spitzner - variante da região do Alto Palatinado, Baviera.
Spitznerus, Spiznerus - variantes latinizadas do século XVI.
Spizner - variante encontrada na Turíngia.
Spietzner - variante encontrada no Hesse e Renânia-Palatinado.
Spietzener - variante arcaica do sul da Alemanha.
Spitznern - variante do centro da Baviera.
Spitznerin - variante do centro-sul da Alemanha.
Spiz, Spietz, Spiez, Spis, Spies, Spiss - variantes relacionadas.

712. Steuer: sobrenome poligenético  que significa controle, imposto, volante no alemão moderno, mas possui três acepções possíveis, todas válidas do ponto de vista genealógico. São:
1 - Na Baviera medieval, a profissão de coletor de impostos. Derivado da palavra steur.
2 - Etimologicamente vinculado ao termo stiure do alto alemão medieval com o significado de controle, arrumação. Historicamente corresponderia à profissão de advogado ou de um advogado que faz parte de um conselho jurídico.
3 - Também derivado do alto alemão medieval stiure corresponde ao ofício de timoneiro.
O sobrenome concentra-se na região do Sarre e data do século XIII.
Variantes:
Steur - variante no dialeto bávaro.
Steuers, Steuern, Steurs - variantes relacionadas.
Steurer - variante comum na Áustria.
Steyer, Steier - variantes do oeste e noroeste da Alemanha.
Steurerr - variante encontrada na Baixa Saxônia.

713. Dunkel: sobrenome poligenético que significa escuro. Provém etimologicamente do alto alemão medieval tunkel com o sentido de escuridão, crepuscular, confuso. O sobrenome pode se referir a uma característica física (cor do cabelo), mas também pode ter a conotação de pessoa altiva, pessoa arrogante - fato verificado particularmente no norte da Alemanha.  Bem como figurativamente ainda engloba os significados de pessoa triste, pessoa melancólica, pessoa obscura. 
O sobrenome parece mais relacionado ao norte da Alemanha e data do século XIV.
Variantes:
Dünkel - variante que significa literalmente presunção.
Dunkeri - variante arcaica.
Dunckel, Duncker, Tunckel, Tuncker, Tunkel, Tunker, Dunkl, Dunker - variantes relacionadas de diferentes regiões alemãs.

714.  Hass: sobrenome poligenético que significa ódio, aversão. Deriva do alto alemão medieval has com o mesmo sentido. É um sobrenome que designa pessoa colérica, pessoa irritadiça. Pode ainda ser uma variantes de Haas (coelho, lebre). Não há como determinar sua distribuição, pois esse aspecto de variante de Haas impede de identificar se é uma forma original ou uma aliteração linguística.
Aparentemente data do século XV.
Variantes:
Hasses, Hasse, Has, Hassen - variantes relacionadas.

715. Pfau: sobrenome poligenético que significa pavão. Provém etimologicamente do alto alemão medieval phäwe por sua vez derivado do latim pavo, ambos com o mesmo sentido. É um sobrenome que serve para designar pessoa vaidosa, ou ainda um nome de casa, bem como também ser um sobrenome judeu ashkenazi em alguns casos. Ocorre com mais frequência na metade ocidental da Alemanha. Data do século XV.
Variantes:
Pfaus, Pfaues - variantes no genitivo da língua alemã.
Pfaue - variante no plural da língua alemã.
Pafugl - variante na língua dinamarquesa.
Pohunn - variante na língua luxemburguesa.
Pauw - variante na língua holandesa.
Pavun - variante no dialeto romanche.
Pafagel - variante na língua sueca.
Pav - variante eslava.
Pau - variante no frísio ocidental.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...