quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Significado e origem de sobrenomes alemães - Parte 39


611. Grabowski: sobrenome poligenético de origem polaca que significa uma espécie de árvore da Europa Central denominada carpino (Carpinus betulus). Designa portanto alguém que vive próximo a uma floresta de carpinos ou ainda pode ser um nome clânico. Na Alemanha é um sobrenome comum generalizado no norte, principalmente Baixa Saxônia, Schleswig-Holstein, Brandemburgo, região de Berlim e Mecklemburgo-Pomerânia. É documentado nesta área desde o século XIV.
Grabowsky, Grabovski, Grabowska - variantes comuns.
Grabowski (nobre) - família nobre da Pomerânia alemã datada de 1230.
Grabow, Grabowo, Graby - variantes polonesas.

612. Wurm: sobrenome poligenético que significa verme, minhoca ou ainda víbora, serpente, dragão. Provém etimologicamente do termo homônimo do alto alemão oriental medieval, que por sua vez deriva do termo latino vermis com o mesmo sentido. Não está claro na Genealogia o real significado do sobrenome, mas há um consenso que: ou denomina um nome de casa (explicação comum) ou corresponde a uma denominação pejorativa por característica comportamental ou física. O sobrenome espalha-se por toda a Alemanha, mas há uma concentração maior do mesmo na região do Sarre.
Variantes:
Würm - variante comum.
Wurmb - variante do sul da Alemanha e Áustria.

613. Kummer: sobrenome poligenético que significa tristeza. Provém etimologicamente do alto alemão medieval kumber com o sentido de tristeza, aflição, pesar. Designa portanto uma pessoa trista, uma pessoa aflita, melancólica. Ocorre em toda a Alemanha, mas principalmente na Turíngia e no centro-leste da Baviera.
Variantes:
Kumer - variante comum.
Kummber, Kumber - variantes arcaicas, porém ainda usuais.
Kummers - variante no plural.
Kummermehr, Kumert, Kommer, Komer - variantes mais comuns no oeste da Alemanha.
Kumper - variante relacionada.

614. Zorn: sobrenome poligenético que significa raiva, ira. Provém etimologicamente do termo homônimo do alto alemão medieval com o mesmo sentido. Designa portanto uma pessoa raivosa, uma pessoa irascível. Ocorre principalmente no centro-sul, principalmente no Hesse, Palatinado, Turíngia e norte de Baden-Württemberg. Data do século XIV.
Variantes:
Zorns, Zornes - variantes no genitivo da língua alemã.
Zorne - variante comum.
Zorner, Zornert - variantes derivadas.

615. Heger: sobrenome poligenético com duas acepções possíveis:
1 - Denomina um guarda-florestal, de acordo com Hans Bahlow.
2 - Corresponde a um banco de cascalho em rios, formação típica do relevo da Europa Central, designando assim alguém que vive próximo a um banco de cascalho.
O sobrenome está mais concentrado no sul da Alemanha, principalmente no noroeste de Baden-Württemberg.
Variantes:
Häger - variante comum.
Heeger - variante comum na região renana e centro-sul da Alemanha.

616. Finger: sobrenome poligenético que significa dedo. Provém etimologicamente do alto alemão medieval vinger com o mesmo sentido. Designa uma característica física ou mais comumente o ourives especializado na produção de anéis. O sobrenome é comum em toda a Alemanha, mas se concentra particularmente no norte do Hesse.
Variantes:
Fingerhut - variante que significa dedal, denotando assim o ofício de costureiro ou alfaiate.
Finge - variante curta.
Fingar - variante na língua saxônica.
Vinger - variante na língua holandesa.
Figg, Figgr - variantes curtas derivadas da língua gótica.
Fanger - variante na língua luxemburguesa.
Fingur - variante na língua islandesa.

617. Maul: sobrenome poligenético que significa boca (de animais) ou focinho. O sobrenome denomina um profissional que faz arreios de montaria ou ainda pode designar pejorativamente alguém com boca grande (aspecto físico) ou alguém muito resmungão. O sobrenome é mais comum no sul da Alemanha, principalmente na Baviera e no Hesse.
Variantes:
Mauel - variante da Renânia-Palatinado.
Maull - variante na região do dialeto alemânico.
Mäuler - variante no plural.
Mauler - variante simples.
Mauls, Maules - variantes no genitivo da língua alemã.
Maule - variante do sudoeste da Alemanha.
Maulaffe, Maulen - variantes relacionadas.
Maulkorb - variante que significa literalmente focinho.
Muil - variante na língua holandesa.
Mula - variante na língua sueca.

618. Rein: sobrenome que significa puro, limpo. Na Genealogia, entende-se que o sobrenome denomina um aspecto geográfico, no sentido de descrever um relevo plano, com vegetação homogênea ou mesmo uma área rochosa de lajeados retilíneos. Em todo o caso, o sobrenome corresponderia a alguém que habita num local com essas características. Rein também pode ser uma forma curta do patronímico de Reinhardt. O sobrenome parece estar concentrado sobretudo no sul da Alemanha, na Áustria e na Suíça. Inclusive, reconhece-se que existe uma vertente distinta do sobrenome no dialeto romanche, incorporado para designar pastores que habitam na região intermediária dos lajeados nos Alpes Suíços.
Variantes:
Reinen - variante no plural.

619. Hock: sobrenome poligenético que significa mascate, pequeno comerciante. É um termo homônimo derivado do alto alemão medieval. O sobrenome pode ainda derivar da denominação de um tipo de vinho branco característico da região do Reno, o que designaria um vitivinicultor deste produto. Hock também é um tipo de festival de aldeia na região da Suábia. De todo modo, para a maioria das linhagens, considera-se que a primeira explicação é a mais correta para a origem do sobrenome. Ocorre com mais frequência no sul, principalmente no Hesse.
Variantes:
Hocke, Hockes, Hocken - variantes no genitivo e no plural da língua alemã.
Höck, Hoeck - variante comuns.
Hoc - variante polonesa.
Hok - variante da Escandinávia.

620. Holzapfel: sobrenome poligenético que significa maçã silvestre (Malus sylvestris). É um sobrenome com grande possibilidade de estar vinculado a famílias judias, mas também corresponder a um habitante de um lugar com muitas macieiras silvestre. Data do século XIV e ocorre principalmente no centro da Baixa-Saxônia, na região norte do Hesse, oeste da Turíngia e leste da Baviera.
Variantes:
Holtappel - variante arcaica de Lübeck.
Holzappel - variante relacionada, mas que também pode ser um topônimo de uma região da Renânia-Palatinado.

621. Steiger: sobrenome poligenético com três acepções possíveis:
1 - Derivado do alto alemão medieval stige que significa lugar íngreme, caminho estreito entre as montanhas, correspondendo assim a um habitante de um relevo deste tipo.
2 - Derivado do alto alemão medieval stiger que corresponde ao ofício profissional de supervisor de mineração, isto é, um funcionário encarregado de coordenar o trabalho dos mineiros, estabelecendo procedimentos e planejando formas de melhor explorar os veios de rocha. Neste caso, o Steiger normalmente aparece em minas de carvão e/ou ferro.
3 - Uma forma figurada, derivada dos dois termos anteriores, para denominar uma pessoa errante, nômade.
As duas primeiras explicações são consideradas mais prováveis e abundantes.
O sobrenome parece ter sua origem na região do Sarre, bem como possuir uma concentração especial no sudoeste da Renânia-Palatinado. Igualmente, ocorre em toda a Alemanha mas com menos intensidade. Data do século XIV.
Variantes:
Staiger - variante comum em Baden-Württemberg, Hesse, Baviera e Suíça.
Steigers - variante no genitivo da língua alemã.
Steigern - variante no plural da língua alemã.
Steigner - variante do sudoeste da Alemanha, principalmente na região de Pirmasens.
Steigert - variante do centro-oeste da Alemanha.
Steige, Steig - variantes curtas comuns.
Stige, Stigge, Stigger, Stiger - variantes aparentemente relacionadas ao norte da Alemanha, mas aparecem no sul com certa relevância na Baviera.
Staig, Staige, Staigg, Staigge, Staigger - variantes do centro-sul da Alemanha, Baviera e região dos Alpes Suíços.
Sztygar - variante na língua polonesa.

622. Fleck: sobrenome poligenético que significa mancha ou remendo. Provém etimologicamente do alto alemão medieval vlecke que significa aproximadamente mancha na pele, marca de nascença. Por isso, compreende-se que o sobrenome quer dizer aquele que possui uma mancha na pele (comumente rosto) ou aquele que possui sardas. Pode ainda designar um habitante de uma "mancha" (forma figurada para denominar uma galeria de floresta ou um espaço de campo entre duas formações florestais). Bem como, enquanto nome profissional, ainda pode corresponder a um alfaiate ou um sapateiro (região oriental da Alemanha). O sobrenome data do século XIII e ocorre principalmente no Hesse, Renânia-Palatinado e Baden-Württemberg.
Variantes:
Flecke, Flecken - variantes no plural.
Vleck, Vlecke. Vlecken - variantes mais comuns no noroeste da Alemanha e Países Baixos.
Flek, Fleke, Flekke - variantes que significam bloco de campo.
Flack - variante na língua sueca.
Flicken - variante relacionada.

623. Rohr: sobrenome poligenético que significa literalmente tubo. Todavia, Rohr é a forma comum do sul da Alemanha e Áustria que designa o forno de barro usado para assar pães. Por isso, o sobrenome denomina o construtor de fornos de barros ou ainda alguém que numa comunidade tem um forno de barro
O sobrenome também pode corresponder a vegetação ciliar, podendo indicar alguém que vive à beira de um rio com muita mata ciliar
Data do século XIII. Ocorre principalmente no sul do Hesse, norte de Baden-Württemberg e Renânia-Palatinado.
Variantes:
Ror, Rore - variantes arcaicas.
Rohre, Rohrer - variantes simples, comuns no sul da Alemanha.
Rohrs, Rohrers - outras variantes.
Rohrig - variante do sul da Alemanha.

624. Klee (1a. vertente): sobrenome poligenético que significa trevo (gênero Trifolium). Provém etimologicamente do alto alemão medieval com o mesmo sentido. Designa um habitante de um lugar gramado com trevos.
Klee (2a. vertente): sobrenome poligenético que significa penhasco, rocha, colina rochosa. Provém etimologicamente do baixo alemão medieval klef com o mesmo sentido. Designa portanto um habitante deste tipo de relevo.
O sobrenome data do século XIV e ocorre principalmente no Hesse, Renânia-Palatinado e Baixa Saxônia.
Variantes:
Glee - variante rara.
Klees - variante no genitivo da língua alemã.
Clee - variante no baixo alemão.
Clever - variante do sul da Baixa Saxônia.
Cleve - variante mais comum na Renânia do Norte-Westfália.
Clevers, Cleves, Klever, Klevers, Kleves, Klewer, Klewe, Klewes, Clewe, Clewer, Clewes - variantes na região do baixo alemão.
Klef, Kleef, Kleeve, Klefe, Klefer, Kleff - variantes do noroeste da Alemanha.
Clevemann, Klevemann, Clevermann, Klevermann, Klevemann, Klewemann, Klewermann, Kleffmann, Klefemann, Klefermann - variante acrescidas do sufixo mann.
Klaver, Klavermann - variantes na língua holandesa.
Klei - variante na língua luxemburguesa.
Kløver - variante na língua norueguesa.
Klover - variante na língua sueca.

625. Deutsch: sobrenome toponímico que significa alemão, procedente da Alemanha, todavia seu real significado serviu como elemento de diferenciação. Isto é, o sobrenome foi usado sobretudo na região leste do antigo Sacro Império Romano-Germânico para identificar o sujeito que não era judeu, eslavo ou de outra etnia. Sua origem remonta ao século XII. É um sobrenome corrente em toda a Europa de língua alemã.
Variantes:
Deutsche - variante no plural
Deutch, Teutsch - variantes relacionadas.
Tysk - variante na língua dinamarquesa.
Tedesco - variante na língua italiana.
Duits, Duitse - variantes na língua holandesa.
Niemiecki - variante na língua polonesa.
Tudestg - variante na língua rética.
Tyska - variante na língua sueca.









Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...