segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Significado e origem de sobrenomes alemães - Parte 38


591. Schlee: sobrenome poligenético que significa que significa abrunho (Prunus spinosa). Provém etimologicamente do alto alemão medieval sle com o mesmo sentido. O sobrenome denomina alguém que vive num local com muitos abrunheiros ou em sentido figurativo pessoa de baixa estatura, pessoa pequena. Ou ainda um nome de casa. Aparentemente originou-se no século XIV na região renana. Atualmente concentra-se justamente na Renânia do Norte. Pode ser um sobrenome vinculado a algumas famílias judias.
Variantes:
Schle - variante simples, porém pouco comum.
Schlehe - variante mais comum, encontrada sobretudo na Renânia do Norte-Westfália e Baixa Saxônia.
Schleemann - variante derivada encontrada no centro-noroeste da Alemanha.
Schlehdorn, Schlehedorn - variantes que significam literalmente abrunheiro na língua alemã.
Schlebusch, Schlehebusch, Schlebom, Schlehbom, Schlehebom, Schlebaum, Schlehbaum, Schlehebaum - variantes que também significam abrunheiro, ocorrendo com mais frequência no norte e noroeste da Alemanha.
Sloe, Scheehe, Schleeh, Slehe, Sleh, Schleh, Schlech, Slee, Schleen, Schlen, Schlenn, Schlön, Schloen, Schlöhen - variantes do alto alemão.
Schlehlein, Schlelein, Schelhele - variantes derivadas típicas do sul da Alemanha.

592. Hoch (1a. vertente): sobrenome poligenético que significa alto, elevado. Provém etimologicamente do gótico hauhs, por sua vez também aparentado com o saxão antigo hoh, ambos com o mesmo sentido. Serve para denominar um indivíduo que habita no lugar mais alto de uma vila, burgo, povoado ou aldeia. Figurativamente também designa pessoa orgulhosa, pessoa nobre, pessoa pretensiosa. Em alguns casos pode se referir a uma característica física.
Hoch (2a. vertente): sobrenome poligenético que significa jovem, menino. Etimologicamente está relacionado a uma palavra homônima da língua tcheca que possui o mesmo sentido. Neste caso, seria uma forma originária do sudeste da Alemanha.
O sobrenome é comum em toda a Europa de língua alemã e seus primeiros registros são do século XIV.
Variantes:
Hoh - variante arcaica.
Hochs, Hoches - variantes no genitivo e no plural da língua alemã.
Höch - variante no dialeto alemânico.
Höchst, Hoechst - variantes que significam literalmente maior.
Høgh, Høegh, Hoegh - variantes na língua dinamarquesa.
Hoche - variante comum no centro e oeste da Alemanha.
Hoog - variante do noroeste da Alemanha e Países Baixos.
Höjd, Hög - variantes na língua sueca.
Höchner, Hoechner - variantes derivadas comuns no centro e norte da Alemanha.
Höhe - variante que significa literalmente altura.
Anhöhe - variante que significa literalmente encosta.
Höher - variante que significa literalmente elevado.

593. Kratz: sobrenome patronímico que significa filho de Pankratius. Pankratius (Pancrácio em português) é um primeiro nome da língua alemã que remete a um santo católico homônimo de origem frígia que foi mártir em Roma no século IV. O santo historicamente é venerado com veemência entre os católicos alemães, sendo inclusive recordado seu nome na Igreja Luterana (não com caráter de veneração). Seu dia de festa é 12 de Maio (meados da primavera no hemisfério norte), o que inspirou ditos populares sobre esta data: "Se no dia de São Pancrácio congela, a horta e o jardim estão arruinados"; "Dia de São Pancrácio agradável, bom vinho se há de ver." 
A forma Kratz é uma redução do nome que se consagrou como mais abundante entre as variantes do patronímico, sendo originada no alto alemão. O sobrenome é comum em toda a Europa da língua alemã, mas concentra-se principalmente no Hesse e Renânia-Palatinado. Data do século XIII.
Variantes:
Pankratius - variante original.
Pancrace - variante na língua francesa.
Pancratius - variante na língua holandesa.
Pankracy - variante na língua polonesa.
Pankrácij - variante na língua eslovena.
Pankrác - variante na língua tcheca.
Pankraz - variante comum do leste da Alemanha.
Kratzel - variante derivada do alto alemão.
Krätzig - variante da Silésia.
Kraz - variante encontrada em Wüttemberg.
Kraaz, Kraatz - variantes do norte e nordeste da Alemanha.
Craz, Cratz - variantes mais comuns na região dos Alpes, principalmente Suíça.
Graz, Gratz - variantes mais comuns no sul da Alemanha e sobretudo Áustria.
Pankratz - variante encontrada em Brandemburgo.
Kratzl, Gratzl, Gratzel - variantes encontrada no Hesse, Suábia, Francônia e Baviera.
Kretz - variante do centro da Alemanha e região renana.
Pangratz, Pankrath, Pankrat, Pankratt, Bangratz, Pongratz, Bongraz, Bongratz, Pongraz, Kratzer, Gradl, Grätz - outras variantes relacionadas desde o noroeste da Alemanha até à Áustria.
Grätzel - variante encontrada na Áustria.
Kretzel, Kretzl - variantes do Hesse e Renânia-Palatinado.

594. Zöllner: sobrenome poligenético que significa cobrador de impostos. Provém etimologicamente do alto alemão medieval zolnaere com o mesmo sentido. A profissão é detalhada desde o século XI com a grafia atual, entretanto o sobrenome data do século XIII. Ocorre em toda a Alemanha, mas com concentrações na Renânia-Palatinado, Renânia do Norte-Westfália, Hesse, Turíngia e região de Berlim. Atualmente, o termo é utilizado mais especificamente para o oficial aduaneiro.
Variantes:
Zoellner - variante do centro-oeste da Alemanha.
Zollner - variante comum.
Zoelner, Zölner, Zolner - variantes simples.
Söll, Soll, Söllner, Sollner, Söller, Soller - variantes comuns, mas o "S" inicial é considerado uma grafia arcaica.
Zöller - variante muito comum em toda a Europa de língua alemã.
Zoeller - variante do oeste da Alemanha.
Zolleinnehmer - variante que se refere à grafia usual da profissão.
Czoelner - variante do leste da Alemanha, principalmente Silésia.
Zöllers, Zoellers, Zöllners, Zoellners, Söllners, Söllers- variantes no plural.
Zella - variante encontrada em Westerwald.
Zollhaus - variante que significa literalmente casa de impostos.
Zollern, Zöllern, Zoellern - variantes derivadas.
Zölle, Zöll, Zoelle - variantes curtas.

595. Emmerich: sobrenome patronímico que significa filho de Emmerich. Emmerich é um primeiro nome da língua alemã originário da aglutinação dos termos rihhi do alto alemão antigo que significa poder, governo; e amals do gótico que significa poderoso, admirável. Por isso, o significado do nome é governante poderoso, governante admirável. O sobrenome data aproximadamente do século XIII e é comum no centro e no sul da Alemanha.
Variantes:
Emerich - variante comum.
Emmerichs, Emerichs - variantes no plural.
Emerca, Emerka, Embrico, Imbreka, Emmercho, Imbrecke - variantes arcaicas muito antigas provavelmente extintas.
Emmerich (toponímico) - uma cidade na Renânia do Norte-Westfália.
Emrich - variante do centro-sudoeste da Alemanha.
Emericus - variante latinizada.
Emric - variante arcaica da Turíngia.
Emig - variante curta encontrada na Baviera.
Ermanrich - variante arcaica descrita no século XII.
Emmrich - variante encontrada no Hesse e Turíngia.
Emmerick - variante encontrada na Baixa Saxônia.
Emmerig - variante no dialeto alemânico.
Emrich - variante do oeste da Alemanha.
Emrick - variante do norte da Alemanha.
Emrik - variante arcaica do norte da Alemanha.
Emery, Emich, Ehmig, Emrig - variantes curtas do sul da Alemanha.
Amrich, Ammerich, Americh, Americk, Ammerick, Amrig - variantes com aliteração da região renana e Hesse.
Ermanarich - variante na língua gótica.
Irmin - variante relacionada do leste da Alemanha.
Embrecht - variante encontrada na região renana.
Emmelrich, Amelrich, Amalric - variantes da região renana.
Emmel, Emmlein, Emmelmann, Emelmann - variantes típicas da região do Alto Reno.
Emcke, Emke, Emkke, Ehmcke, Emeke, Eimke - variantes do norte da Alemanha.
Emmery, Ammery, Emery, Amery, Imer, Amori, Amory, Emary, Emery, Emory, Emberry, Embrey, Embry, Embury, Imbery, Imbrey, Imbrie, Imery, Imray, Imrie, Hemery, Hembrey, Hembry - variantes históricas e arcaicas listadas oficialmente pela Genealogia Alemã. Aparentemente estariam vinculadas e distribuídas por toda a zona ocidental alemã, mas sendo possível que sejam também compartilhadas pela Suíça, França e Países Baixos. Existem igualmente homônimos encontrados como sobrenomes ingleses.
Emeric, Emmericque, Amauri, Amaury - variantes francesas.
Amrico, Amerigo, Emrico, Amauri - variantes italianas.

596. Post: sobrenome poligenético que literalmente significa carteiro, agente postal, todavia sua real origem remonta a Idade Média e com uma explicação diferente. Seu real significado seria carpinteiro de acordo com o Dicionário Alemão de Grimm, vinculando-se a um termo homônimo presente no baixo alemão e na língua holandesa que possui este sentido. O substantivo reaparece mais ao sul, na Baixa Francônia, com idêntica correspondência. O sobrenome remonta ao século XIV e ocorre principalmente no oeste da Baixa Saxônia, no centro-oeste e na região de Berlim.
O fato do sobrenome não corresponder ao agente postal se deve à data da criação do serviço de correios na Alemanha ter acontecido somente em 1490 e se generalizado somente dois séculos depois.
Variantes:
Poste - variante arcaica.
Postlo - variante arcaica encontrada na Westfália e Flandres.
Postt - variante do extremo noroeste da Alemanha.
Posth - variante do centro-norte da Alemanha.
Posthius - variante latinizada.
Poster - variante derivada comum no sul da Alemanha e Áustria.
Posten - variante no plural.

597. Wächter: sobrenome poligenético que significa guarda, vigia, sentinela. Atualmente designa o guarda civil comum nas cidades alemãs. Na Idade Média, o Wächter era primeiramente o vigia ou sentinela noturno, encarregado de percorrer as ruas e vielas dos burgos anunciando o toque de recolher, bem como o responsável por dar o alarme em caso de invasões próximas. A função do Wächter também varia regionalmente na Alemanha e na Áustria. Em algumas cidades, o Wächter possui poder de polícia, em outros lugares é meramente o guarda noturno, em outras áreas ainda pode simplesmente salvaguardar prédios públicos. Etimologicamente provém do termo do alto alemão medieval wahtäre com o sentido de vigia, sentinela. O sobrenome é difundido em toda a Europa de língua alemã, mas de forma irregular. Data aproximadamente do século XIV.
Variantes:
Waechter - variante comum.
Wachter - variante simples.
Altwächter, Aldwächter, Altwaechter, Aldwaechter - variantes que significam velho guarda, velho sentinela, no sentido de mais experiente, mais graduado.
Burgwächter, Burgwaechter, Burkwächter, Burkwaechter - variantes que significam guarda do burgo. É uma composição comum.
Wacht, Wart, Ward - formas curtas associadas.
Nachtwächter, Nachtwaechter - variantes que significam guarda noturno, vigia noturno.
Wächters, Waechters - variantes no genitivo da língua alemã.
Wächtern, Waechtern - variantes no plural da língua alemã.
Wache, Wacha, Wachen - variantes com o mesmo significado que são mais comuns no centro e sul da Alemanha.
Wärter, Waerter, Warter, Werter, Wärterin - variantes relacionadas.
Wachmann - variante com o sufixo mann.
Wack, Waack, Wak, Waak - formas curtas do norte da Alemanha e Países Baixos.

598. Stratmann: sobrenome poligenético que significa homem que vive na rua, homem que vive na estrada, andarilho. Provém do baixo alemão strate (rua, estrada, via) ou straote (sentido idêntico). Acrescenta-se o sufixo mann (homem). O sobrenome concentra-se no centro-noroeste da Alemanha, em particular nas regiões da Westfália, Enger, Baixa Saxônia, Vest Recklinghausen e Stift Essen. Data aproximadamente do século XIV.
Variantes:
Strathmann - variante mais comum na Baixa Saxônia.
Stratman - variante comum.
Stratmanns - variante simples no plural.
Stratmans - variante encontrada em Wesel.
Stratemann, Strateman, Straotemann, Straoteman, Straotmann, Straotman - variantes arcaicas.
Strassmann, Strassman, Strasmann, Strasman - variantes mais recentes do ponto de vista histórico, com origem aproximada no século XVIII.
Strat, Stratt, Straot, Straott, Strass, Strath - variantes curtas.

599. Palm: sobrenome poligenético que literalmente significa palmeira, mas provavelmente sua correspondência histórica e genealógica mais provável seja bálsamo. Todavia, não se exclui que Palm signifique palmeira, pois uma família nobre de Esslingen am Neckar ostenta em seu brasão justamente esta planta. 
Para dirimir a questão, há quatro acepções possíveis para o significado do sobrenome:
1 - Quer dizer palmeira, mas que se relaciona a um aspecto religioso cristão: a celebração do Domingo de Ramos.
2 - Significa bálsamo, denotando o ofício de boticário ou farmacêutico.
3 - Do alto alemão medieval balme que significa rocha ou caverna, designando assim um habitante de um lugar rochoso ou próximo a uma caverna.
4 - Derivado do termo homônimo usado em séculos passados para denominar um soldado sueco na Europa Central. Neste caso, seria uma forma pejorativa.
O sobrenome, seja de qual linhagem for, parece ter sua origem na Idade Moderna. Concentra-se especialmente no sudoeste do Palatinado, região de Rhein-Lahn e região de Aachen.
Variantes:
Palme - variante comum no norte da Alemanha.
Balm, Balme - variantes relacionadas do sul da Alemanha.
Palms - variante no genitivo da língua alemã.
Palmen - variante no plural da língua alemã.

600. Hopfner: sobrenome poligenético que significa fazendeiro ou agricultor de lúpulo (Humulus lupus). O termo é próprio do sul da Alemanha, Áustria, República Tcheca e Eslováquia, sendo desconhecido ou pouco usado mais para o norte. Consequentemente, esta área concentra a maior parte das famílias com esse sobrenome e suas variantes, sobretudo na Áustria. Data do século XV.
Variantes:
Hoepfner, Höpfner, Hoepffner - variantes muito comuns no sul da Alemanha e Áustria.
Hopf, Hopfen - variantes curtas que significam literalmente lúpulo.
Hopfer - variante comum na Áustria.
Hopffer - variante comum na Baviera.
Höppner, Hoeppner, Höpner, Hoepner - variantes comuns no Hesse, Palatinado, Baden-Württemberg, Baviera e no Tirol, Áustria.
Hoeppener - variante comum no sudeste e leste da Alemanha.
Heppner, Hepner - variantes comuns na região dos Alpes Austríacos.

601. Krohn (1a. vertente): sobrenome poligenético que significa coroa ou guindaste. Pode significar alguém que exerce uma função de chefe ou alguém que possui uma cabeça grande ou cabelos espessos e volumosos. Nesta vertente, sua origem é a região de Hamburgo, no noroeste da Alemanha.
Krohn (2a. vertente): sobrenome poligenético de origem lituano-prussiana que significa cravo (Dianthus caryophyllus). Sua explicação como sobrenome se relaciona a aspectos religiosos pré-cristãos na Europa Central, provavelmente vinculados à nobreza.
O sobrenome aparece com mais frequência no norte da Alemanha. Data do final da Idade Média.
Observação: as variantes deste sobrenome podem igualmente corresponder a cantor, pois há um termo aproximado na língua alemã que significa cantarolar (croon).
Variantes:
Crohn - variante documentada na Pomerânia polonesa.
Kron - variante encontrada no noroeste da Alemanha e oeste da Polônia.
Kroon - variante encontrada nos Países Baixos e Escandinávia.
Cron - variante encontrada no centro-leste da Alemanha.
Croon - variante encontrada no norte da Alemanha, região renana e Países Baixos.
Gron, Grohn, Grohne, Gröhne, Groehne - variantes encontradas no norte da Alemanha, principalmente região de Hamburgo e Países Baixos.
Kronas - variante da região báltica.
Kronis, Kronies - variantes de origem prussiana.
Kröner, Kroener, Kronert, Krönertin, Kroenertin, Kronys - variantes relacionadas.
Kroehner - variante encontrada na Saxônia-Anhalt.
Kroenke - variante encontrada em Mecklemburgo-Pomerânia.

602. Morgenstern: sobrenome poligenético que significa estrela-da-manhã, estrela-d'alva. Possui uma vertente judia conhecida que corresponde a um patronímico de Mordechai (Mardoqueu). Entretanto, pode ainda designar um sobrenome de vinculação religiosa cristã conforme Apocalipse 22:16 que compara Cristo a estrela-da-manhã. Contudo, a vertente que explica universalmente este sobrenome se refere a um tipo de arma medieval homônima que trata de um bastão de madeira ou ferro que possui numa de suas extremidades uma proeminência repleta de espinhos pontiagudos, o que lembrava uma estrela. A Morgenstern foi usada até aproximadamente o século XVII e tinha um processo de fabricação deveras simples, sendo uma das armas preferidas pelos camponeses alemães. Por isso, o sobrenome pode também significar um artesão que fabrica este tipo de arma ou alguém que usa preferencialmente este tipo de arma. Não desconsiderando também que o sobrenome possa ter um aspecto figurado, como no caso de se referir ao formato dos cabelos de um indivíduo.
Quanto ao sobrenome, ele é mais comum no sul da Alemanha, principalmente na Baviera. Data do século XII.
Variantes:
Morgenstjerne - variante na língua dinamarquesa.
Morgenster - variante na língua holandesa.
Morgonstjärnan - variante na língua sueca.

603. Rogge: sobrenome poligenético que significa centeio (Secale cereale), designando assim o plantador de centeio ou ainda o padeiro que produz pães de centeio. Data do século XV e ocorre principalmente no norte da Alemanha, principalmente em Brandemburgo, Mecklemburgo-Pomerânia, Schleswig-Holstein e Baixa Saxônia.
Variantes:
Roggen - variante que significa literalmente centeio na língua alemã, mas essa forma se tornou menos comum, sendo mais frequente Rogge. Na Alemanha, ocorre com mais força na Renânia do Norte-Westfália.
Roge, Rogen - variantes simples.
Rocke, Roke, Rokke - variante de Schleswig-Holstein que possuem parentesco relacionado com o termo original.
Roggenbauer - variante que significa agricultor de centeio.
Roggenbäcker, Roggenbecker - variantes que significam padeiro de centeio.

604. Lewandowski: sobrenome de origem polonesa com boa distribuição na Alemanha, principalmente devido às migrações correntes entre as duas regiões desde a Idade Média. O sobrenome provém etimologicamente do polaco lawenda ou lewanda que quer dizer lavanda em português, acrescentado do sufixo wski que denota o pertencimento a um clã ou linhagem familiar. Em outras palavras, o sobrenome quer dizer plantador de lavandas ou aquele que vive próximo a uma plantação de lavandas, alfazemas.
É um sobrenome comum no norte da Alemanha e que, neste país, passou a abundar a partir do século XIX.
Variantes:
Lewandowsky - variante simples.
Lewandawsky, Lewandawski - variantes comuns.

605. Ziege: sobrenome poligenético que significa cabra. Provém etimologicamente do alto alemão medieval ziga com o mesmo sentido. Designa o criador de caprinos. Figurativamente pode também corresponder a indivíduo de pernas finas ou ainda um indivíduo de pés tortos. Ocorre principalmente no sul e sudoeste de Brandemburgo. Data do século XIII.
Variantes:
Ziegen - variante simples no plural.
Ziegenfuss - variante comum, originária da região do vale do Ruhr no século XV, principalmente Eichsfeld e Odenwald.
Ziegenbein - variante que significa de forma figurada perna de cabra.















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...